domingo, 20 de junho de 2021 - 23:01 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / PMs da região que trabalham nas UPPs relatam medo e desejo de transferência

PMs da região que trabalham nas UPPs relatam medo e desejo de transferência

Matéria publicada em 15 de outubro de 2016, 20:30 horas

 


Policiais apontam falta de estrutura, salários atrasados e aumento do poderio dos criminosos como motivação para retornar

Sul Fluminense – Policiais militares que moram no Sul Fluminense e são lotados em Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) na capital relataram ao DIÁRIO DO VALE o clima de terror com que convivem no trabalho. As falas são extremamente parecidas: falta de estrutura, de apoio governamental e salários atrasados. Por outro lado, todos atestaram o aumento do poderio do crime e, consequentemente, da violência. A situação faz com que exista o desejo comum de conseguir uma sonhada transferência para um batalhão do interior.

A morte do soldado André de Jesus da Silva, de 36 anos, morador de Volta Redonda e baleado em uma ação na UPP da Cidade de Deus, Zona Oeste do Rio, fez despontar o desejo dos jovens falarem o que estão enfrentando. As declarações são um retrato claro de como a segurança pública se tornou falha na mesma medida com que os recursos financeiros do estado definharam. A falta de dinheiro, no entanto, é apenas um dos itens citados pelos soldados para a falência do projeto mais balado do governo estadual. Os nomes dos entrevistados serão preservados, pois uma vertente da Polícia Militar que ainda funciona bem é o castigo para quem quebra a hierarquia.

– Há quatro anos nós tínhamos salários em dia, horas extras pagas. Hoje fazemos hora extra e não sabemos quando ou se vamos receber. A situação é crítica, desanimadora – disse o soldado J.

Com 28 anos, ele está há quatro na Polícia Militar e durante todo esse período trabalhou em UPPs. Com tal experiência, diz que o projeto não foi implantado em sua totalidade a partir do momento que o Poder Público deixou o aspecto social de lado.

– Faltou a parte social. O governo mandou a gente para lá e não fez mais nada. Nas comunidades onde trabalhei só funciona com eficiência a coleta de lixo. O restante não funciona – disse ele.

J. destacou que a maior parte dos projetos sociais ou culturais em atividade nas áreas de UPPs têm como mentores e executores os próprios policiais. “A proximidade com a comunidade acontece quando os próprios policiais fazem algo. Quando um policial que toca violão decide fazer uma escolinha, ensinar uma arte marcial, pintura ou algo do tipo. Fora isso, hoje o estado não faz nada, nada, nada…”, afirmou.

Tida como ponta de lança do projeto da UPP, a retomada dos territórios antes ocupados pelo tráfico de drogas está em xeque. Segundo outro policial entrevistado pelo DIÁRIO DO VALE, já não é mais possível fazer patrulhas noturnas ou mesmo durante o dia em áreas do Complexo do Alemão e Manguinhos.

– Nosso efetivo é pequeno e as armas pesadas dos traficantes reapareceram. Elas ficaram enterradas e escondidas em paredes falsas. Os próprios bandidos falam que as armas “estavam no óleo”, que é uma gíria para guardada. E estavam, mesmo – disse ele, ao desmistificar que o tráfico chegou a ficar adormecido nas áreas ocupadas pela polícia:

“O movimento nunca parou. As armas ficaram realmente escondidas, mas na medida em que os bandidos captaram a falência da área social apareceu uma pistola aqui, uma outra ali. Vieram os fuzis. Eles arregimentaram jovens, formaram bandos e hoje estão retomando toda a área. Se nada mudar, as comunidades cairão totalmente na mão do tráfico”, disse o policial, de 26 anos.

 

No local: Soldados da PM iniciam patrulha em uma área de UPP no Rio de Janeiro (Foto: ABr)

No local: Soldados da PM iniciam patrulha em uma área de UPP no Rio de Janeiro (Foto: ABr)

Tiros aumentam em áreas que deveriam estar pacificadas

Além dos episódios citados pelos policiais em favelas localizadas na Zona Norte, outros dois casos ocorreram nos últimos dias em outras áreas do Rio de Janeiro, mostrando que o problema está se generalizando. Da Zona Oeste a Zona Sul os episódios de violência ficam cada vez mais evidentes em áreas que deveriam estar pacificadas.

Na sexta-feira do dia 7 de outubro o policial militar André de Jesus Silva, de 36 anos, foi morto em uma troca de tiros na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Ele foi atingido na axila e, segundo colegas de farda, poderia ter sido salvo caso o socorro não tivesse demorado a acessar o local onde ocorreu o tiroteio. Com um detalhe: policiais que estavam na operação disseram que a retirada de André da Cidade de Deus só demorou por conta do poderio de fogo dos bandidos, que impediu a entrada do resgate. O soldado ainda chegou a ser levado para o hospital, mas morreu em seguida.

Na semana passada, numa segunda-feira, um intenso tiroteio ocorreu nas comunidades Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, entre Copacabana e Ipanema. Os tiros se estenderam entre a manhã e o final da tarde, com três suspeitos de tráfico mortos e três policiais militares feridos, incluindo o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, capitão Vinícius de Oliveira. Foram presos oito homens, também suspeitos de ligações com o tráfico no local.

Arriscado: Região do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo viveu dias de tensão (Foto: Divulgação)

Arriscado: Região do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo viveu dias de tensão (Foto: Divulgação)

Morte de soldado de Volta Redonda faz crescer vontade de retornar

Por tudo o que já passou nos últimos quatro anos, o soldado J. tem em mente uma certeza e um desejo. Para ele o Rio de Janeiro está longe de ser a Cidade Maravilhosa dos cartões postais e o que mais quer é a transferência para um batalhão da região.

– Tento sempre a transferência. Nem cachorro quer ficar no alojamento, que não tem ar-condicionado, é cheio de mosquito e com colchões que mais cansam que nos descansam. Com isso, toda folga para descansar de verdade temos de voltar para casa – disse ele.

J. não esconde que em muitas ocasiões o sentimento é de medo ao sair para simples patrulhas. Questionado sobre o momento mais tenso da carreira na PM, ele surpreendeu:

– Não foi tiroteio, não foi operação. Foi quando recebi a notícia da morte do André de Jesus, de Volta Redonda. Nem mesmo o conhecia direito, mas me coloquei no lugar dele. Estou no lugar dele muitas vezes – disse J.

Dois lados

O DIÁRIO DO VALE também conversou com um policial militar que chegou a trabalhar em uma UPP no Rio e conseguiu ser transferido para um batalhão do Sul Fluminense. Ainda jovem, o soldado I. garantiu que não pensa jamais em voltar a patrulhar o Rio de Janeiro.

– Perto do que os colegas do Rio enfrentam, os morros e áreas mais perigosas do Sul Fluminense lembram o paraíso – disse.

Nem mesmo quando comenta a questão salarial o soldado deixa de comparar o que viveu no passado recente patrulhando o Rio e o trabalho de agora. “É melhor em tudo ficar por aqui. Ideal era receber em dia, mas se for para não receber que fiquemos perto de casa”, afirmou.

‘UPPs são hoje o mesmo que o DPO’

Um dos soldados entrevistados pelo DIÁRIO DO VALE comparou a situação nas áreas com UPPs a uma panela de pressão prestes a explodir. Segundo ele, na atualidade a Unidade de Polícia Pacificadora nada mais é que uma versão repaginada dos antigos DPOs (Destacamentos de Policiamento Ostensivo).

– A UPP é uma panela de pressão. Você pode começar um dia calmo, com tudo tranquilo e de repente assistir a revolta da comunidade. Ou ainda ficar no fogo cruzado num conflito de traficantes, disse ele, que destacou outro problema:

– Criou-se uma expectativa com nossa chegada. Foi dito que as coisas melhorariam, que os serviços públicos iriam chegar. A UPP carregava esse peso, todos sabiam. Como nada mudou, a culpa é nossa (policiais. Falta luz, jogam pedra na UPP. Falta água, protesto na frente da UPP. Não somos mais bem vistos nas comunidades – disse o policial.

Pezão diz que projeto das UPPs terá continuidade

O governador licenciado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou que o projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) continuará mesmo com o afastamento do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Em entrevista por telefone para a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Pezão afirmou que o novo secretário, Roberto Sá, conhece o programa e terá autonomia para montar sua equipe.

Beltrame deixará o comando da Secretaria Estadual de Segurança logo após o segundo turno das eleições municipais, marcadas para 30 de outubro. “Ele [Roberto Sá] vai ter a mesma autonomia que o secretário Beltrame teve. O programa [das UPPs] vai continuar. Nós não vamos arredar pé, mesmo no maior momento de dificuldades que estamos vivenciando hoje. A política de pacificação continuará. Foi uma política que se mostrou acertada. A gente quer continuar e com um secretário que conhece isso profundamente”, disse.

Prioridades definidas

Mesmo com as dificuldades financeiras, o governador licenciado afirmou que segurança e saúde serão prioridades. “Nós temos que nos adequar à receita que temos. Todas as pastas estão fazendo ajustes e nós vamos continuar a fazer esses ajustes. E a segurança, saúde e educação continuam sendo a nossa prioridade, claro que dentro de uma realidade que a gente vivencia hoje no Brasil”, afirmou.

Novos cortes no orçamento serão anunciados ainda neste mês. Pezão não adiantou valores, mas disse que todas as áreas terão ajustes. Ele descartou ajuda extra do governo federal.

“Não tem espaço para isso. A União está com muitos problemas também. O déficit da União é muito grande. Nós temos que fazer primeiro o dever de casa, como todos os estados estão fazendo, e nos adequarmos à realidade que a gente tem hoje”, disse.

Pezão, que está afastado desde março, para tratamento de um câncer, anunciou que pretende voltar ao cargo no início de novembro e que depende apenas de avaliações médicas.

Assim como soldados, Beltrame criticou falta de recursos e de projeto social

Na semana que passou o delegado de Polícia Federal, José Mariano Beltrame, confirmou a saída do cargo de Secretário Segurança do Rio de Janeiro. O tom do discurso de despedida foi ameno, mas em outras oportunidades ainda em 2016 ele fez críticas parecidas com aquelas feitas pela tropa: falta apoio financeiro e social.

Em março deste ano Beltrame participou de uma audiência na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, na qual falou sobre a situação da segurança no estado.

Beltrame é o idealizador do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora e também um crítico à falta de investimento em programas sociais. Na época, o governo estadual havia anunciado o corte de 35% nos investimentos do setor. Uma nova tesourada deverá ser anunciada em breve, mas em março Beltrame já havia sinalizado que o cenário iria ficar ruim.

“O corte resultou em 130 pessoas demitidas, redução de viaturas, cortes de contratos pequenos de manutenção. Fiz a lição de casa, mas não gostei do corte, porque sempre trabalhei enxuto”, comentou o então secretário na Alerj.

Beltrame informou que, para minimizar os efeitos da crise econômica da pasta, solicitou reingresso dos policiais cedidos a outros órgãos para suprir parcialmente a falta de novos concursados. “Mais de 2,3 mil policiais estão há anos em outras instituições. Estes órgãos poderiam nos devolver temporariamente esse efetivo significativo durante o período de crise”, disse, meses antes de “jogar a toalha”.

Em outro evento, em maio, ele criticou a falta de apoio da área social: “Não tenha dúvida de que a falta de programas sociais está inserida na consequência dos problemas. Fizemos um trabalho no Morro da Providência, em que 16 pessoas foram presas ou neutralizadas. A Providência está estabilizada, ainda que as pessoas estejam traumatizadas pelas operações policiais recentes. Agora era o momento de agir, de procurar os jovens, as famílias, de fazer alguma coisa. Porque tenho certeza de que em cinco, seis meses, nós vamos ter de ir lá de novo. O que venho diuturnamente pregando no deserto é que não venham mais falar da polícia, porque a polícia está fazendo seu trabalho. E não cobrem da polícia colocar na cabeça de um jovem que não opte pelo crime. Gostaria que tivessem outras CPIs para dizer para onde foi o dinheiro da assistência social. Você abre os dados do Instituto de Segurança Pública. E as questões sociais: quantos gastaram, quantos jovens recuperaram?”, disse.

 

Por Rafael Paiva

rafael@diariodovale.com.br

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

86 comentários

  1. Pois então no interior são macho pra caramba,Blitz o dia inteiro tentando extorquir o trabalhador.Lá é missão real fio.Trata melhor o trabalhador, PM parem de pegar o arrego nos morros de Volta Redonda.Vão pra cima dessa vagabundada que estão proliferando e quem se ferra são vcs mesmo pq eles possuem armamentos pesados.

  2. Aqui querem ser rambos, na capital se transformam em bambis kkkk

  3. Vou parafrasear Bezerra da Silva “Em VR no interior mostra a a arma, grita sou polícia e é um bicho feroz, no Rio capital anda rebolando, esconde o distintivo e até muda de voz” kkkkkkkkkkkkkkk

    • Vai lá para a capital então!!! Veste a farda e vai você fazer o patrulhamento nos morros e bairros de periferia lá do Rio, quero ver ser homem para enfrentar os vagabundos de lá!!!! Criticar a Policia é muito fácil quando se está atrás de um computador ou celular. Difícil é vivenciar tudo o que eles vivem no dia a dia de trabalho.
      Reclama dos maus policiais que pegam dinheiro de “trabalhador”, mas são os primeiros a oferecer uma grana quando estão com seus veículos irregulares.
      Corrupção é uma via de mão dupla, ou seja, se alguém recebe é porquê tem alguém disposto a pagar!!!!

      #hipocrisia

  4. É soldado pra ficar pegando o chamado arrego nos bairros tipo
    Vila brasilia
    Vale verde
    Jardim cidade do aço
    Padre josimo
    E tantos outros da cidade ralar primeiro.
    A população ja ta cansada

  5. Eles ficam comedo na capital, voltam pra região trabalhador e vagadundo bate na cara trata as pessoas com falta de respeito, quando estão nas UPP ai ficam que nem uma moça esses cara tem que ficar no Rio.

  6. Aqui que fica fazendo graça dando tapa na cara e os carai la eles peidam pede benção la o arrego deles e bala muita bala

  7. Foram votar no PMDB, agora aguentem.

    E avisei bem antes do dia 02/10.

    Com a votação de vocês no PMDB até o Pezão ficou bem de saúde de repente.

    • eu que votei no Zoinho 22 agora sou OBRIGADO POR VOCÊS a votar no Baltazar 10 e pior, ter de pedir votos para o Baltazar 10.

      Senão no próximo ano poderemos ter a a maior Marcha para liberação da maconha em VR

    • Vão pagar para ver novamente?

    • Eta Povinho, a vida de cabo-eleitoral é dura. Ser obrigado a pedir voto para quem não se gosta é o preço pra tentar aquela vaguinha de aspone baixa-renda… Mas boa sorte lá! 🙂

  8. Quer fazer concurso e não sair de debaixo da saia da mamãe? Faz pra Guarda Municipal de Vr ou Bm. Aí não vai pra capital! Agora, o cara faz uma prova pro Estado, e quer ficar na cidadezinha natal. Toma vergonha!!!!

  9. Samuca Baltazar Neto

    A solução é Bolsonaro.
    O problema é que a maioria dos que escrevem “Bolsomito” nas redes sociais ainda não tem idade pra votar.

  10. Um país de merda esse Brasil, somos extorquidos com impostos, não temos saúde, educação e segurança, só um general porra louca pra colocar ordem nesse caos, pena de morte para corruptos e bandidos, Bolsonaro já!!!

  11. Já tenho 6 anos de pmerj. Não me considero recruta. Quando entrei, sabia que iria servir na capital no projeto das UPPs. Sempre soube disso, até mesmo durante os exames, isso foi falado. Todos que ali estão, sabiam das dificuldades em trabalhar na capital. Desses desmandos, da única coisa que não falaram era sobre o atraso nos pagamentos, isso nunca foi dito. Agora sobre as condições de trabalho, sobre as adversidades, foi falado sim. Agora o sujeito que comentou aí que quem quer combate é bandido, deve morar em Vr ou Bm. Pois aqui na capital a bala voa legal e quase todo plantão tem troca de tiro. Quisera eu trabalhar num local tranquilo também, mas como ao me inscrever pro concurso eu já sabiaonde iria trabalhar, não vou me acovardar ou me eximir de minha obrigação. E quanto ao colega aí que falou que eu chamei os pms do interior de frouxos, isso eu nunca disse. Deve se dançar conforme a música!Se me transferirem pro interior, ficarei feliz por demais! Mas o que nunca farei é me dar uma de coitadinho pra tentar comover alguém. Foi isso que eu disse. Tenho vários amigos que servem no interior e fazem o necessário pra manterem a ordem pública. Jamais irei desfazer de algum colega por que serve no interior. Só disse que quem já sabia da missão, não poderia se acovardar agora. Somente isso. Perdão ao colega que me interpretou mal. Tmj

    • Negativo. Quem tem 6 anos de praça é do concurso 2009, o qual o edital prevê vagas para o interior. Quem entrou sabendo que serviria na capital, não tem 6 anos de praça ainda.

  12. Quem ta falando cagao, medroso…. vou so falar uma parada…..posta o endereço ai pra ver quem e o cagao….falar escondido e mole. ….posta o endereço ai vcs q sao macho. Posta ai……

  13. se cada bandido ao inves de ser preso fosse executado garanto que tudo seria uma maravilha pra qualquer estado brasileiro.

  14. CAMBADA DE BABACAS FICAM DANDO DE VÍTIMA AGORA… QUANDO É TRANSFERIDO PRA CÁ FICA DANDO DE VALENTÃO DANDO TAPA NA CARA DE TRABALHADOR E CATANDO DINHEIRO DE AUTOMÓVEIS COM DOCUMENTO ATRASADOS , O MUNDO GIRA LÁ NÃO É VOLTA REDONDA NÃO FEZ O CONCURSO SABENDO QUE IA PRA LÁ …

    • Anda na linha, igual um trem, que o risco de “incidentes” com sua pessoa irá diminuir sensivelmente. Vc é o tipo que aponta o rabo dos outros ao mesmo tempo em que esconde o próprio, não merece crédito em suas palavras…

    • Queria q fosse parente seu .seu idiota tolo.melhor calar essa boca.com certeza vc deve ser um fora da lei .ou sem família.

  15. quando abre concurso pra pm lota de candidato. todo mundo que ser pm . eu nunca vi uma pm pedir conta .kkkkkkkk

  16. Uma cidade em que o Flávio bolsonaro chega em quarto lugar, tem mais é que levar ferro, crivella e Freixo kkkkk.
    Jair bolsonaro 2018!!!!

    • verdade pura amigo, na minha opinião o carioca tem que se ferrar mesmo, lógico que não são todos, mais como é democracia, quem quer o certo paga pelo fato da maioria amar o errado.

  17. Lamentável os comentários abaixo dos “pseudomachões”. Dizer que esses policiais da reportagem são frouxos estando vocês no anonimato é molezinha né? Quero ver estarem lá no lugar deles. Estamos falando de homens, humanos e que precisam trabalhar com o mínimo de dignidade que a nossa Constituição versa. Não estamos falando de “homens-de-aço ou do Batman”, acordem!

  18. Menos roubo das partes dos governantes e mais aplicacoes em salarios e segurancas para eses homens que saem de casa deixando suas familias seriam o mais viavel. nossos bandidos sao os governantes

  19. Bando de cagões!!!

  20. Não acho que eles sejam frouxos, mas ficar sem receber é inadmissível! Nos USA para comparar hipoteticamente um soldado da polícia de NY ganha em média 10 mil dólares por mês ( isso sem incluir todos os benefícios que os mesmos têm direito) então devemos refletir…, pois os policiais tb tem famílias para sustentarem.

    • Foram eles que escolheram essa vaga, correto? E já sabiam do valor do salário.
      Qual outro profissíonal de NÍVEL MÉDIO (2 Grau), tem salário melhor que de um soldado da PM?

      A polícia não paga mal, é só estudar e escolher a vaga certa.

    • La Place, não caia na vala comum… O problema não é o valor do salário, mas sim a falta dele! Vc trabalha sem receber, sem ter equipamento apropriado? Nem relógio trabalha de graça, cobra eletricidade ou corda…

      Ah sim, existem muitas carreiras no setor público que exigem nível médio e pagam melhor que a de policial militar… Muitos entram para a corporação como objetivo de vida, um sonho que acalentam ainda pequenos. Outros entram pelo status, pela distinção que a farda evoca (dentre esses costumam sair os maus policiais). Alguns poucos, bem poucos mesmo, fazem a prova pensando apenas no salário, já que a concorrência não é tão acirrada quanto em outros concursos… Tudo o que se disser de diferente sobre o tema não passa de puro achismo e visão preconceituosa…

  21. A vontade de transferência para esses polícias nada mas é chegar no interior em volta redonda ou barra mansa seja qual for a cidade do interior é se intitular Deus que está acima da lei é que no Rio não podem ostentar nem mesmo humilhar cidadão comum pq se não tomam bala na cara já no interior fazem o que quer i faça por isso mesmo entraram na PM pq quiseram ninguém chamaou agora aguentam rojão bamdo de medroso,pq não pedem pra sair e arrumam outra profissão ninguém obrigou virarem polícias bando de hipócritas o perigo está em qualquer lugar seja interior ou capital onram a farda que vestem querem ir pro interior esculachar trabalhado

  22. aqui em vr e bm tem uns pm valentão . aqui é facil ser valente

  23. É muito comentário imbecil junto. A maioria é semianalfabeta, tem déficit de leitura e não sabe interpretar um texto simples…

    Há casos e casos, mas no geral o policial não tem MEDO de exercer sua profissão, apenas não é LOUCO de querer enfrentar o inimigo sem equipamento apropriado, sem soldo, sem apoio e sem ver resultado concreto em suas ações. Cobrem o governo do estado, o poder público, não o agente que não passa de braço executor das políticas de segurança!… O mal do brasileiro é cobrar as pessoas erradas, da forma errada, nos canais errados…

    • Disse tudo! Fico feliz de saber que existem pessoas esclarecidas aqui.

    • E o seu mal é dar pitaco de receita de bolo a paz em Israel! Mala sem alça!

    • Vc pode falar o que quiser de mim, mas não tem argumentos para me refutar, porque é um incapacitado… Vc faz a minha fama…

    • Cobram errado e ainda escolhem errado para votar.

      Apesar de toda a campanha para ninguém votar no PMDB , o partido ganhou a CMVR e praticamente todas as cidades em torno de VR.

      O Pezão, claro, até ficou curado de repente, e novamente já está ajudando a piorar tanto aqui como em Brasília. Aqui ele já esta garantindo que as UPPs vão continuar e em Brasília já articulou com outros governadores o apoio a PEC 241 (a PEC 171)

      Você que votou no PMDB é cúmplice.

  24. curto e grosso para o SR.ANDERSOM

    SENHOR ANDERSON, DESCULPE ME, MAS VOSSA SENHORIA DEVE SER UM ALIENADO,UMA PESSOA QUE NÃO ENXERGA UM PALMO NA FRENTE DO NARIZ, ENFIM,NADA SE RESOLVE COM ” TIRO ,PORRADA E BOMBA” E SIM, COM EDUCAÇÃO, SEMPRE. UPPs,SÃO SIM,UM BARRIL DE PÓLVORA,ONDE UM IDIOTA COMO O GOVERNADOR PEZÃO E O IDIOTA DO BELTRAME,COLOCAM EM RISCO AS VIDAS DE POLICIAIS A TODA HORA, E FICAM ATRÁS DE UMA MESA COM O C… NA MÃO PARA QUE NÃO MORRA NENHUMA PESSOA E COM ISSO, O RIO DE JANEIRO NÃO APAREÇA NAS PAGINAS DO NEW YORK TIME OU OUTRO JORNALECO DE PAÍSES DE TERCEIRO MUNDO COMO O BRASIL. E AINDA, DIGA SE DE PASSAGEM, A INSTITUIÇÃO RIO DE JANEIRO ESTÁ FALIDA, FALTA SÓ UMA PESSOA COMO O SENHOR VER ISSO…

    • Amigo, primeiramente é desnecessário escrever em caixa alta, não sou cego. Vamos ao que interessa: essa é a função da polícia militar, combater a criminalidade. Quando entrei, trabalhava na CSN como inspetor e os salários eram praticamente iguais. Sai da CSN já sabendo o que me esperava. A função constitucional da Pm é a ostensividade, posso não estar de acordo com a política de segurança, no tocante a questão social, mas se entrei pra Pm foi pq me voluntariei, ninguém me obrigou a me inscrever e fazer o curso no CFAP. Agora, aguento as consequências da minha escolha sem ficar chorando pra imprensa. Estou me formando em Engenharia, se um dia eu achar que a Pm tá ruim, que está insuportável, peço baixa e tento retornar às origens. Agora o que não sou é frouxo pra ficar reclamando pra imprensa pra tentar comover a população. Ninguém liga pra nós, policiais. Vide os outros comentários. Ninguém falou que a Pm seria mil maravilhas. Ninguém me disse que a Pm era uma mãe. Eu me voluntariei e passei no concurso. Agora, como homem que sou, aturo as consequências da minha escolha. Se eu achar que tá ruim, peço baixa.

  25. Essa reportagem se reflete a meia dúzia de frouxos que não são policiais, são funcionários públicos. Há uma grande diferença. Sou policial, estou na UPP desde que entrei ( 2010 ) e não faço questão nenhuma de trabalhar nessas roças do interior. Talvez trabalhar em Angra, lá sim tem combate. Mas lá pra cima, VR, BM etc, molezinha. Aconselho a esses frouxos da reportagem pra pedirem baixa e fazerem concurso pros Correios, Comlurb, Cedae, Cbmerj…pra policiais tá na cara que não servem. Força e Honra.

    • Pelego! Por isso que o governo caga na cabeça do servidor. O plano era ocupar, fazer programa social e melhorar a vida das pessoas. Deu tudo errado e quem reclama e reivindica tá errado? PELEGO

    • Um coisa é o destemor necessário a todos os que engajam em carreiras militares, de guarda, segurança, escolta e vigilância. Outra coisa é a falta de zelo e prudência… O soldado que deseja o conflito não é um guerreiro, mas sim um insano temerário que coloca em risco sua própria vida e de seus parceiros. Com essa mentalidade, vc é um autêntico kamikaze, tem problemas neurológicos graves…

      Como diz o ditado da época dos romanos, “se queres a paz, prepara-te para a guerra”. Um leão pacato é mais respeitado que uma ovelha insana, e um leão raivoso tem mais riscos de morrer que uma ovelha mansa…

    • Por isso a PM é tão fraca no Brasil e Principalmente no RJ. Mentalidade de bandido… querendo combate. Triste ler isso e saber que vc pode realmente ser um polícial.

      A polícia deveria existir para inibir o crime, deveria ser aparelhada para isso, mas devido a políticos e policiais corruptos ou incompetentes existe para trocar tapa com bandido…

      Sem inteligência não se resolve nada e você, Anderson, mostrou que não tem nada a acrescentar ao combate real contra os bandidos.

      Acrescento que sou extremamente contra bandido…que quero ver esses lixos mortos, mas sei q não é pensando em combate físico e expondo a população ou as famílias dos PMs ao perigo que vamos conseguir eliminar esse monte de lixo que se afixou em nossa sociedade.

      Da pena ler o q vc escreveu

    • Quanto comentário idiota vejo aki. Uns se achando o tal pq trabalha na Upp e acham que os policiais do interior são tudo frouxo. Frouxo é vc seu idiota. Deve ser um recruta que fica escondido para não aparecer em nada.

      Vejo outros aki também criticando as ações policiais. Pq em vez de falarem aki aonde nada vai se resolver, não botam a cara e denunciem os maus policiais. Vcs são todos coniventes, pois qdo estão errados são os primeiros a oferecer dinheiro para não serem presos ou terem seus veículos apreendidos

      Quanta hipocrisia….Gostaria de ver o que falariam para os familiares que têm que enterrar seus filhos policiais. Quando uma tragédia desta acontecer nas suas próprias famílias.

      E o senhor andersen, que deve ser um recruta, se ponha no lugar dos seus colegas de farda, de seus familiares antes de fazer este comentário idiota seu.

    • entao vc esta no lugar certo. Pelo visto nao é da regiao pq senao falaria de outro jeito com relaçao as cidades de vr e bm. Cuidado com as balas perdidas ai..

  26. País que não tem lei….se tivece lei mesmo duvido q esistiria isso…tipo indonésia , Estados unidos….e tantos país por aí por fora…

  27. pagador de impostos

    Tudo culpa do FHC e a sua herança maldita……………..he….he…..

  28. Num país em que cafetão tem ciúme, traficante se vicia, prostituta goza e pobre é de direita, até que policial com medo de bandido não soa tão bizarro assim…

  29. Qual a novidade? Nunca existiu uma comunidade ser pacificada em uma semana sendo a mesma dominada pelo tráfico a vários anos. Caso alguém tenha alguma dúvida e só assistir o filme tropa de elite, lamentável.

  30. Governantes de merda esses que estão aí o inferno está de portas abertas para aqueles que enriquecem nas custas dos pobres lembrem que não é aqui que C paga tem um lugar para pagar e C chama inferno

  31. TERRA DE NINGUÉM... POR ENQUANTO...

    PRESSIONAR ESSES VAGABUNDOS…

  32. TERRA DE NINGUÉM... POR ENQUANTO...

    NÃO ME EXIMO DE CULPA DIANTE DOS FATOS… EU DEVERIA ESTAR MAIS POLITIZADA E ENTENDER MAIS, NO ENTANTO, É DIFÍCIL PARA O CIDADÃO DE BEM CONCEBER ESSA PORCARIADA, É IMPOSSÍVEL CRER QUE EXISTAM SERES TÃO DESPREZÍVEIS À PONTO DE RETIRAREM A DIGNIDADE DA POPULAÇÃO.

    ESTOU MESMO É ENFADADA, EXTASIADA, PERPLEXA E ESTÁTICA. MAS PESSOAL ENQUANTO NÓS MEROS BUNDAS MOLES FICARMOS AI ENTRE PT E PMDB, ENTRE FDP E PDF, DISCUTINDO A INFLUÊNCIA DO CICLO MENSTRUAL DA BALEIA AZUL NA COLORAÇÃO DO MAR VERMELHO…ENQUANTO FICARMOS NOS DIGLADIANDO POR BAIXO NÃO FAREMOS MOVIMENTO DE TSUNAME É PRECISO ABALAR ESSA PLACA MALIGNA COMPOSTA DE INESCRUPULOSOS E DESUMANOS CORRUPTOS. A MAROLINHA TA AI… E TANTOS CHEFES DE FAMÍLIA A PONTO DE FAZEREM O PIOR COM SUAS VIDAS. TA NA HORA MEU POVO, PASSOU DA HORA DO POVO REALMENTE PRESSIONAR E SEM ESSA DE ESSE OU AQUELE PARTIDO.
    PRESSIONAR OS ESSES VAGABUNDOS QUE DIZEM QUE DEFENDEM NOSSOS DIREITOS E SÓ FAZEM VOTAR O PIOR PARA NÓS, E O FILÉ PARA ELES.
    ESSA HISTÓRIA DE FARINHA POUCA MEU PIRÃO PRIMEIRO TA POR FORA. PORQUE O POVO DO PIRÃO, NÃO TEM NEM A ÁGUA. E ELES FICAM VOTANDO PARA QUE A POUCA ÁGUA SEQUE.

    ISSO TUDO REGADO NUM JANTAR DE VINHOS NOBRES ENVELHECIDOS, SALMÃO E O DIABO A QUATRO, E ESSE MESMO DIABO QUE OS CARREGUEM BANDO ASQUEROSO E CORRUPTOS.

    VAMOS PRA RUA MEU POVO, PELOS NOSSOS IRMÃOS MORTOS DE FOME, PELOS JOVENS QUE TIVERAM SUAS VIDAS CEIFADAS PRECOCEMENTE POR FALTA DE DIRECIONAMENTO SOCIAL DIGNO, POR FALTA DO MÍNIMO NECESSÁRIO.

    VAMOS PRA RUA GENTE UMA A UM, FORMANDO BLOCO, FORMANDO GRUPO, FORMANDO MOVIMENTO, FORMANDO BARREIRAS E FRENTES EM PROL DA MUDANÇA RADICAL DE NOSSO PAÍS.

    E VOCÊS POLICIAIS DO BEM A QUEM TENHO MAIOR RESPEITO, REALMENTE PIMENTA NO ORIFÍCIO ANAL DOS OUTROS É REFRESCO…

  33. Que pena tantas comentários em vao Brasil país sem lei, salve se quem poder. Que Deus pobreza os justos, não sei para tanto revolta nos comentários, sendo que os bandidos tem armas mais potentes eos polícias não podem matar, pena de morte já

  34. Aqui adoram tirar dinheiro do trabalhador, blitz o dia inteiro, lá borram as calças, não quiseram entrar na polícia? Chora na cama, embaixo do edredon.

    • Nao radicaliza.nem todos sao assim.Sao vidas.e vidas sao tiradas,que vc nunca tenha um familiar na policia,pq o seu comentario foi infeliz ,todos teem familia.axo q vc tambem neh entao respeite

  35. MEDO DE BANDIDO??? SÓ FALTAVA ESSA, O GATO COM MEDO DO RATO.
    VIRA HOMEM CAMBADA DE COVARDES, OU ENTÃO PEDE PRA SAIR. KKKKKKKKKK

    • Tira onda no face e nas balada que é polícia é fácil, agoram tão com medo, tem que ser muito burro pra não saber que quando entra pra pm rj UPP estão sendo pagos pra morrer, pede pra sai, foda que se saírem não sabem fazer nada, puts que profissão de merda é essa de pm de upp

    • PMs tiram fotos com armamento pesado pra tirar onda com os amigos, com os parentes e com as namoradas. Na hora do pega pra capá, cagam de medo.

  36. AOS POLICIAIS, ESSE É O MOMENTO QUE VCS DEVERIAM REFLETIR O MODO QUE VCS TRATAM OS CIDADÃOS DE BEM NA CIDADE, NO ASFALTO, O MODO TRUCULENTO DE UMA ABORDAGEM, O MODO DESONESTO DAS BLITES.
    ESTÁ NA HORA DE SE DAR O RESPEITO, E SERÁS RESPEITADO . NÃO SÃO TODOS PMS, MAS AINDA SÃO MUITOS.
    BOA SORTE AOS BONS POLICIAIS..

  37. João Doria do Brejo

    Policial com medo quer vir pro interior correr atrás de ladrão de galinha? Escolheu a profissão errada…

    • Vc leu a reportagem ou tem déficit de inteligência? O medo é de ficar em comunidades no RIO DE JANEIRO (capital do estado), brejeiro!…

  38. Enquanto o consumidor for tratado como uma criança, nada vai mudar… Se a droga é ilícita, como o comprador fica impune? Só tem tráfico porque tem mercado livre!

  39. Larga o trampo no Rio. Melhor ficar vivo e desempregado do que morrer ganhando mal e levando tiro.

  40. Nao ta facil pra ninguem, mas para esses ai ta pior.

  41. Só que faltava!!! Saudade do tempo que a polícia colocava medo na bandidagem! Ser policial no interior deve ser muito bom mesmo, ficar parando carro e multando!

  42. Acho engraçado esses novatos da PM, quer moleza senta na gelatina mane, quis ser polícia Pq ? Vai ser babar de criança então, se não agüenta peça pra sair seus fonfarrões de meia tijela

  43. A coisa tá feia, a coisa tá preta quem não for filho de Deus tá na unha do capeta.

  44. Com Medo Vai Pesca então, é Policia meu irmão Ninguem falou q ia ser facil, ser policia aki na Região da andar o dia todo de carro atoa fazendo Blitz e dando tapa da cara do outros é Mole

  45. Tenho uma pergunta a fazer aos nossos governantes. O problema que esta acontecendo, com aumento da violência em nossa região e na capital, e a falta de competência de vcs governantes. Quando um policial pede socorro, assim como estão pedindo todos os dias, e vcs não fazem nada… Tudo bem que em toda profissão,existe o profissional bom e o profissional ruim, esses que estão pedindo ajuda são os profissionais bons. Agora vai a pergunta senho governador, por que o senhor não pede sua demissão junto ao povo e deixa alguém que quer realmente solucionar os problemas do estado e resolver, pede pra sair. Na porta da sua casa fica segurança do estado direto. E na frente da casa das pessoas comum fica o que, agora o sr. esta a favor de alterações na nossa previdência, por que não falam em alterar a previdência de vcs primeiro. Brincadeira na Gente…
    Eu me coloco como culpado por tudo também sr. governador. Por que votei no sr., acreditei no sr., Mais estou com tanta vergonha. Que falo para as pessoas, que esse lobe de UPP para ganhar eleição é sacanagem com a população… Acorda povo brasileiro, vamos para as ruas lutar com consciência por nossos diretos… Vamos mudar isso gente… Quantas pessoas mais vão ter que morrer, para eles políticos tomarem jeito…

  46. Dentro de casa machões, no bairro tiram a maior onda rs, agora estão aí dizendo que estão com medo. aff…recomendo outra profissão pra vocês. rs

  47. Como diz o ditado : Quem tem C. tem medo . E é verdade mesmo.

  48. Política da Indonésia no Brasil, a única salvação para o país.

    • Sim, eles te tiram as armas da cabeça, mas te amarram os pés. Viverás feito um trem, com poucos riscos de sinistros no cotidiano, mas sem poder sair do lugar…

  49. País falido, na mão de corruptos e bandidos

Untitled Document