Polícia Civil liberta advogada do cativeiro em Barra do Piraí

Namorado teria impedido a vítima de ir trabalhar para que agressões físicas não fossem notadas

Por Otávio de Paiva

Foto: Divulgação

Barra do Piraí – Policiais civis da 88ª DP (Barra do Piraí) resgataram na manhã desta quinta-feira (8), uma advogada de 37 anos que estava sendo mantida em cárcere pelo próprio namorado, um jovem de 29 anos, em uma residência localizada no Centro da cidade. A intervenção ocorreu após denúncias de vizinhos, que relataram ter ouvido os gritos de socorro da vítima. O casal estava junto há apenas três meses.

De acordo com o delegado titular da 88ª DP, Antonio Furtado, que supervisou a ação, a advogada foi encontrada com múltiplos ferimentos, hematomas e cortes de faca nas mãos, enquanto o interior da casa estava completamente revirado.

Durante a abordagem, a vítima chegou a dialogar com o namorado dizendo: “eu não chamei a polícia”, expressando receio de sofrer novas agressões. Em seu depoimento, ela revelou ter sido mantida trancada dentro da casa por semanas, só podendo sair quando ele permitia e a acompanhava.

O suspeito, segundo depoimentos colhidos, era usuário de cocaína e já havia tido envolvimento com o tráfico de drogas. Furtado destacou que o jovem exercia controle absoluto sobre a vida da advogada, inclusive determinando quais medicamentos ela poderia tomar, quais alimentos poderia consumir e com quem poderia se comunicar.

A vítima relatou que, em um dos episódios de abstinência, o suspeito vendeu seu botijão de gás por não ter dinheiro para comprar drogas. O delegado esclareceu que ela foi submetida a constantes espancamentos, ameaças de morte e o jovem chegou a afirmar que “picaria” a filha dela, fruto de outro relacionamento, caso fosse denunciado. Os ataques incluíam socos, chutes e esganaduras. A advogada também era proibida de buscar tratamento médico ou de ir trabalhar, a fim de evitar que as agressões fossem notadas.

Foto: Divulgação

Após o resgate, ambos foram conduzidos à 88ª DP e a vítima foi encaminhada para exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) em Volta Redonda. A prisão em flagrante do suspeito foi determinada pela delegada assistente da unidade, Bianca Pellegrino.

O jovem responderá pelos crimes de cárcere privado qualificado, maus-tratos, ameaça e lesão corporal com violência doméstica. Se condenado, pode enfrentar uma pena de até 12 anos e seis meses de prisão.

Em relação ao caso, o delegado Furtado destacou a gravidade da situação, afirmando que a advogada não foi libertada de um simples cativeiro, mas sim de um verdadeiro inferno. Ele aproveitou para comentar sobre a operação “NÃO É NÃO”, realizada também ontem (8), em conjunto por órgãos de segurança de Barra do Piraí.

Advertisement

-A iniciativa teve como objetivo conscientizar a população e prevenir crimes contra mulheres durante o Carnaval e ao longo do ano. Mais uma vez mostramos que lugar de quem gosta de bater em mulher é na cadeia. As leis existem para isso e nós não vamos hesitar em colocá-las em prática para garantir direitos – concluiu.

Foto: Divulgação

Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

1 Comentário

José Alvarenga 9 de fevereiro de 2024, 14:48h - 14:48

Parabéns a equipe da 88ªDP, pelo o empenho de apurar uma denúncia e ao Delegado de Polícia Dr. Antônio Furtado, que não deixa passar nada impune a lei.

Responder

Deixe um comentário

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996