Prefeitura realiza operação ‘Águas Limpas’ em Volta Redonda

by Diário do Vale

Fiscalização em 2019 rendeu centenas de multas
(Foto: Evandro Freitas / Secom VR)

Volta Redonda – A prefeitura de Volta Redonda iniciou nesta semana a operação “Águas Limpas” para vistoriar empresas com potencial de poluição, como lava jatos, oficinas mecânicas e postos de gasolina. Três equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) estão realizando a fiscalização e cobrando os responsáveis a documentação.

As equipes do Departamento de Licenciamento e Guarda Municipal da SMMA também estão orientando os locais sobre questões ambientais, dando um prazo de 30 dias para se adequarem.

O prefeito Samuca Silva explicou que as ações têm o objetivo de evitar danos ambientais ao município.

– Estamos intensificando essa vistoria devido à mancha de óleo que surgiu no Rio Paraíba do Sul na última semana, que comprometeu a capacitação de água pela ETA Belmonte, responsável por fornecer água para boa parte da população de Volta Redonda – explicou o prefeito.

O secretário de Meio Ambiente, Maurício Ruiz, acompanhou os fiscais na Avenida Beira Rio.

– A partir de hoje a SMMA deflagrou a operação Águas Limpas, que tem como objetivo realizar um grande mutirão para fiscalizar quase 50 empreendimentos na cidade potencialmente poluidores, especialmente postos de gasolina, oficinas mecânicas e lava jatos e que façam uso de lubrificantes parecidos com os que foram encontrados no Paraíba do Sul essa semana. É uma operação de caráter educativo, mas se forem constatadas situações graves serão aplicadas multas – alertou o secretário.

Balanço

De maio até dezembro de 2019, a SMMA realizou mais de 2500 ações fiscais gerando centenas de notificações e multas ambientais, que somadas, chegaram a quase R$ 2 milhões.

O gerente de um dos estabelecimentos vistoriados, Diogo Silva, aprovou a iniciativa.

– Nosso óleo queimado retirado dos carros é recolhido mensalmente por uma empresa autorizada. Estamos dentro das adequações que são previstas pela lei e sabemos da importância da fiscalização tanto para nós que andamos corretos como para os outros para que possam se adequar – concluiu.

You may also like

4 comments

Funcionário publico 22 de janeiro de 2020, 09:12h - 09:12

se parou a estação de tratamento, devido mancha de óleo no Paraíba, o vazamento não foi em volta redonda e sim em BM, não há empresa da ETA Belmonte até Barra Mansa, e sim em BM que existe

Maria 21 de janeiro de 2020, 13:39h - 13:39

CSN têm grana meu caro,compra quem eles querem.

cadu 21 de janeiro de 2020, 11:43h - 11:43

e a CSN????????????? Quando se tem dinheiro, todos se calam!

Jorge Lucas 21 de janeiro de 2020, 09:41h - 09:41

Fiscalização tem que ser a mesma em TODOS estabelecimentos que trazem agentes com potencial poluidor em seus processos. Inclusive os estabelecimentos dos “amigos”.

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996