terça-feira, 19 de outubro de 2021 - 02:06 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Presidente da Bolívia condena “tentativa de golpe” na Venezuela

Presidente da Bolívia condena “tentativa de golpe” na Venezuela

Matéria publicada em 30 de abril de 2019, 10:58 horas

 


O presidente da Bolívia, Evo Morales

Brasília – O presidente da Bolívia, Evo Morales, condenou, hoje (30), o que classificou como uma “tentativa de golpe de Estado” na Venezuela. Por meio de sua conta pessoal no Twitter, o mandatário boliviano acusou o governo dos Estados Unidos de estar por trás da instabilidade política no país governado por Nicolás Maduro.

“Com sua ingerência e promovendo golpes de Estado, os Estados Unidos buscam provocar violência e morte na Venezuela, não importando as perdas humanas, mas apenas seus interesses”, escreveu Morales ao condenar “energicamente” o que classificou como tentativa de golpe “por parte da direita submissa a interesses estrangeiros”.

“Convocamos os governos da América Latina a condenar o golpe de Estado na Venezuela e impedir que a violência cobre vidas de inocentes. Seria um nefasto antecedente deixar que a intromissão golpista se instale na região. O diálogo e a paz deve impor-se sobre o golpe”, acrescentou Morales.

Estados Unidos

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, também se manifestou. Em um comunicado, Pompeo afirmou que, “hoje, o presidente [autoproclamado] interino Juan Guaidó anunciou o início da Operação Liberdade. O governo dos Estados Unidos apoia integralmente o povo da Venezuela em sua busca pela liberdade e pela democracia. A democracia não pode ser derrotada”.

Brasil

O governo brasileiro ainda não se pronunciou oficialmente sobre as manifestações, que voltaram a tomar as ru

as de Caracas e de outras importantes cidades venezuelanas depois que o presidente da Assembleia Nacional, deputado e autodeclarado presidente interino Juan Guaidó divulgou uma mensagem em vídeo afirmando ter obtido o apoio de oficiais das Forças Armadas para tirar o presidente Nicolás Maduro do poder.

No mesmo vídeo, Guaidó conclama a população a sair às ruas para se manifestar contra o governo de Maduro. Em Brasília, uma reunião foi agendada para esta tarde, no Palácio do Planalto, com as participações esperadas do presidente Jair Bolsonaro; do vice-presidente Hamilton Mourão e de ministros.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. O presidente da Bolívia está preocupado, pois todos os amigos dele e de Lula, ou seja, todos que participavam do FORO de São Paulo foram depostos, impichados, varridos da cena política de seus países, basta lembrar daquele bispo reprodutor do Paraguai; da bandida da Argentina; do moleque do Equador; da anta do Brasil; do presidiário do Peru; etc… Ou seja, o presidente da Bolívia está vendo que depois da queda de Maduro ele será o próximo no processo de democratização que a América do Sul está sofrendo nesses últimos dez anos!

Untitled Document