domingo, 15 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Procon BM orienta consumidores sobre riscos de fraudes

Procon BM orienta consumidores sobre riscos de fraudes

Matéria publicada em 25 de agosto de 2019, 11:30 horas

 


Pesquisa revela que mais de 12 milhões de brasileiros foram vítimas desse tipo de crime nos últimos 12 meses

Compras pela Internet devem ser feitas com cuidado para evitar fraudadores (Foto: Arquivo)

Barra Mansa – “Meu sonho de consumo era ter um Iphone. Quando fui demitida do meu emprego, paguei algumas contas e com o resto do dinheiro da rescisão decidi comprar o telefone, em uma promoção que vi na internet. Infelizmente era um golpe e eu fiquei sem o telefone e sem o dinheiro”. O depoimento é da autônoma Larissa Helena Miguel, de 25 anos, que assim como mais de 12 milhões de brasileiros já caíram em algum tipo de golpe. O número vem de uma pesquisa feita Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), foi vítima de uma fraude financeira nos últimos doze anos.

Segundo a pesquisa, entre as principais fraudes que atingem os consumidores brasileiros estão: não receber item comprado; receber produto ou serviço diferente das especificações da venda; clonagem de cartão de crédito. Para que situações como a de Larissa sejam evitadas, o Procon de Barra Mansa alerta os consumidores sobre os riscos de compras pela internet e promoções cujas oferta são exorbitantes.

De acordo com o gerente do Procon, Felipe Fonseca, queixas sobre esse tipo de crime que são muito comuns no órgão.

– Recebemos com muita frequência atendimentos de pessoas que caíram em algum tipo de golpe. Um exemplo muito comum é do consumidor comprando produto com valor baixo demais da média de mercado. Como, por exemplo, uma TV que custa R$ 2,5 mil sair pro R$ 700. Ou um Iphone 8, que é super caro, ser vendido por mil reais. Se a promoção for boa demais, o cliente deve ficar atento e o cuidado deve ser redobrado. Nossa orientação é para que não façam nenhuma compra sem antes se certificarem de que é realmente de uma loja ou fornecedor seguro. Que busquem referências de pessoas que já tenham efetuado alguma compra naquele portal – disse o gerente.

Ainda de acordo com ele, o Procon também reforça a importância do cuidado com os cartões e orienta aos consumidores para que não forneçam seus dados em nenhum lugar que possa parecer inseguro.

– A clonagem de cartões é muito perigosa. Por isso, as pessoas devem verificar qualquer despesa que não reconheça na fatura e o mais rápido possível entrar em contato com a operadora. O mesmo vale para correspondências de débitos que a pessoa não reconhece. Nesses casos, deve-se entrar em contato imediato com a empresa responsável pela cobrança –  explicou Fonseca.

 

Preços que seduzem

Ansiosa para comprar o aparelho Iphone, Larissa Helena Miguel fez várias pesquisas em sites da internet para encontrar o melhor preço. Foi numa página no Instagram que ela viu o modelo que queria, pela metade do valor de mercado. Ela conta que teve a preocupação em se certificar de que a página era segura, olhando os comentários dos supostos clientes, mas isso não impediu que caísse em um golpe. A página hoje foi desfeita.

– Eu vi várias pessoas comentando e elogiando, que o aparelho tinha chegado e que recomendava o site, aí não pensei duas vezes em comprar. Depositei  mil reais e, até hoje, depois de quatro meses, o telefone não chegou. Já fiz de tudo para entra em contato com eles e não consigo. Ou seja: fiquei sem o telefone e o dinheiro – lamentou a autônoma.

Com um pouco mais de sorte que Larissa, a comerciária Cátia Fernandes, de 36 anos, quase foi vítima de uma fraude. Ela tentou comprar pela metade do preço uma geladeira que custava R$ 2,4 mil. De acordo com Cátia, que entrou em um grupo fechado de vendas no Facebook, todas as promoções de eletrodomésticos postadas nas páginas eram tentadoras.

– Eles postavam muitos eletrônicos e eletrodomésticos, todos os dias, com preços muito bons e bem abaixo das grandes lojas. O pagamento tinha que ser à vista. Tinha um telefone para os interessados em comprar e até cheguei a fazer para ver se tinha o modelo de geladeira que eu queria. Quando estava pra fechar o negócio, eu comentei com uma amiga e ela me disse para não comprar, que podia ser arriscado. A tia dela perdeu mil reais num grupo desses ao comprar uma televisão. Ainda bem que ele me abriu os olhos – disse Cátia.

 

Cuidado com o comércio eletrônico 

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, é importante que o consumidor tome cuidados básicos para evitar transtornos com as fraudes e desconfie de facilidades ofertadas.

– O comércio eletrônico tem crescido consistentemente no Brasil, em grande medida, devido a uma combinação entre diversidade, preços competitivos, comodidade e segurança nos mais diversos segmentos de consumo. Entretanto, muitas pessoas não tomam os cuidados necessários nas transações on-line o que contribui para que sejam enganadas. São comuns, por exemplo, ofertas com valor muito abaixo da média praticada no mercado, o que já mostra um indício de que pode ser se tratar de tentativa de golpe –  alerta o Costa.

Diante dessa vulnerabilidade, as fraudes mais sofridas pelos entrevistados foram o não recebimento de produto comprado (52%), compra de um produto ou serviço diferente das informações especificadas pelo vendedor (42%), cartão de crédito ou débito clonado (25%), contratação de serviços ou compra indevida de itens usando documentos falsos, perdidos ou roubados da vítima (14%), transações financeiras em conta bancária sem autorização (13%) e pagamento de serviço não realizado (11%).

Por Roze Martins

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document