Projeto Revi-VER atende 10,5 mil moradores de Volta Redonda 

by Vivian Costa e Silva

Volta Redonda – O projeto “Revi-VER”, da Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda, já beneficiou 10.548 moradores que precisavam passar por cirurgias de catarata e agora voltaram a enxergar melhor. Foram 5.577 procedimentos na primeira etapa, e nesta segunda já foram 4.971. O número de operações realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é referente ao período de junho de 2021, quando o projeto foi criado, até o último dia 12 deste mês.

“Em pouco mais de um ano e meio, conseguimos atender mais de 10 mil cidadãos de Volta Redonda que aguardavam pela cirurgia e agora estão enxergando melhor. O ‘Revi-VER’ é um sucesso e vamos continuar trabalhando para atender quem ainda precisa”, ressaltou o prefeito Antonio Francisco Neto.

As operações acontecem em um caminhão adaptado que funciona como centro cirúrgico, na Ilha São João. Os pacientes comparecem com hora marcada e o exame pré-operatório pronto. Após a operação, a enfermeira responsável do projeto, Érika Souza Santos, faz a primeira aplicação do colírio, que deve ser usado de hora em hora no primeiro dia, e entrega o frasco do medicamento, que é doado pela prefeitura. A consulta de revisão é feita no dia seguinte ao procedimento, também na Ilha São João. Ainda há revisão após 30 dias da cirurgia.

O projeto contemplou ainda algumas cirurgias no Hospital São João Batista (HSJB), por conta do quadro clínico de alguns pacientes (algumas crianças e pessoas com comorbidades), que precisam de sedação durante o procedimento e acompanhamento em ambiente hospitalar. De acordo com o diretor-geral do HSJB e vice-prefeito de Volta Redonda, Sebastião Faria, a necessidade é identificada no momento do exame pré-operatório, na Ilha São João.

“Todas as crianças têm indicação de sedação e entre os adultos são pessoas que apresentam problemas cardíacos, Alzheimer e outras comorbidades que os impedem de serem operados no centro cirúrgico oftalmológico móvel, instalado na Ilha São João. Eles precisam de sedação e acompanhamento em ambiente hospitalar”, explicou Faria.

De acordo com a direção do projeto, a próxima etapa do “Revi-VER” está prevista para acontecer de 11 a 15 de abril, período em que estão programadas 525 cirurgias, 500 procedimentos pós-operatórios e 250 avaliações.

 

Participação

O morador de Volta Redonda que tenha diagnóstico de catarata e ainda não está cadastrado no “Revi-VER”, pode se inscrever. O interessado ou familiar deve procurar o Dipa (Departamento de Informação, Programação e Avaliação), na sede da secretaria de Saúde, no bairro Niterói, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. É preciso levar cartão do SUS ou CPF, e documento com foto do paciente, além de um número de telefone para contato.

As pessoas que já fizeram cadastro para cirurgia de catarata não precisam ir ao Dipa para renovar a solicitação. Todos que estão na fila de espera serão convocados para fazer o procedimento, através de comunicação oficial da secretaria de Saúde. A prefeitura ressalta que não há orientação para que as pessoas procurem atendimento diretamente na Ilha São João.

 

 

 

You may also like

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996