sábado, 14 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Radares da BR-393 começam a funcionar nos próximos dias

Radares da BR-393 começam a funcionar nos próximos dias

Matéria publicada em 23 de março de 2015, 19:54 horas

 


Inmetro, responsável pela aferição dos equipamentos, se limitou a dizer que sistema estará pronto em breve

Sem solução e manutenção: Radares estão instalados mas condições ainda são ruins na Rodovia Lúcio Meira  (Foto: Felipe Vieira)

Sem solução e manutenção: Radares estão instalados mas condições ainda são ruins na Rodovia Lúcio Meira
(Foto: Felipe Vieira)

Barra Mansa e Volta Redonda

Começam a funcionar nos próximos dias, os radares instalados pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) na BR-393 (Rodovia Lúcio Meira), em frente ao Restaurante Casarão, em Volta Redonda, e em um longo trecho da Rua 207 até a Via Dutra, no limite entre Volta Redonda e Barra Mansa. A informação foi passada hoje pela assessoria de comunicação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia), responsável pela aferição do equipamento. O órgão não quis entrar em detalhes e se limitou a informar que o sistema estará pronto em breve.
Os radares têm como objetivo impedir o excesso de velocidade (máximo permitido é 50 Km/h), no entanto, muitos motoristas e até pedestres reclamam das condições da rodovia – principalmente no trecho entre a Rua 207 e a Via Dutra -, que apresenta muitos buracos e falta de iluminação à noite, por exemplo.
O caminhoneiro Nailson Santana contou que passa pela rodovia com frequência e criticou as más condições da pista.
– É bom que utilizem radares, mas o problema é que precisam recapear a pista. Nós levamos muita mercadoria e é complicado passar nesse trecho – disse.
Já o motorista Daniel da Silva, que costuma utilizar a estrada, não vê necessidade da instalação dos radares, uma vez que a pista não está em condições favoráveis para dirigir em alta velocidade.
– Quem passa por trechos onde a pista está esburacada, nem arrisca correr muito. Eu creio que a maioria dos motoristas não ousa aumentar a velocidade nesse trecho. Enquanto não melhorar a estrada, não há necessidade de investir em radares – apontou.
A dona de casa e moradora do bairro Santa Rita da Dutra, que fica às margens da rodovia, Cecília Dias, disse que a medida é válida, mas pede maiores investimentos, como a colocação de semáforos e a instalação de faixas de pedestres próximos aos bairros que a estrada corta.
– Não adianta investir só nisso, já vi muito acidente aqui. É muita criança que atravessa esse trecho e a maioria dos motoristas não respeitam os pedestres aqui – reclamou a moradora.

Justiça determinou que Dnit
realizasse obras na BR-393

No dia 19 de fevereiro deste mês, o DIÁRIO DO VALE publicou uma reportagem sobre a determinação da Justiça Federal, que apoiou o pedido do Ministério Público, determinando que o DNIT conclua, no prazo máximo de 180 dias, a licitação das obras de restauração da rodovia nos trechos 291 e 300. A Justiça determinou ainda a realização de obras de manutenção rotineira e preventiva em até 60 dias. A ação ainda pretende que o DNIT seja condenado a analisar a possibilidade de inclusão do trecho em contrato de concessão a ser repassado à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Apesar disso, até agora nada foi realizado nesse sentido.
O MPF requer que o departamento seja condenado a realizar a adequação do pavimento, dos pontos de ônibus e acostamento, iluminação eficiente, sinalização interna e externa e instalação de passarelas, independentemente do andamento do processo licitatório de restauração do trecho. Desde 2004, o Ministério Público acompanha a situação da rodovia, realizando audiências e inspeções no local.
Para o Procurador da República Julio José Araujo Junior, que assina a ação, a medida representa uma resposta do Poder Judiciário ao estado alarmante da rodovia na região.
“Muitos acidentes acontecem com frequência. A maior parte da rodovia é objeto de concessão e este trecho ficou abandonado” ressaltou na época.
Em reunião realizada em novembro do ano passado com os moradores da região, foram relatadas as dificuldades diárias da população com a pista, que possui apenas uma passarela e provoca constantes acidentes.
O MPF pede também que, ao final, o Dnit seja condenado ao ressarcimento por danos materiais causados e pelo dano moral coletivo no valor de R$ 1 milhão, em razão do reconhecimento da responsabilidade civil por atos omissivos na manutenção de condições adequadas de trafegabilidade na rodovia.

Por: Thaís Fraga


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Avatar

    Revoltante. Uma estrada abandonada, em pessimas condiçöes, colocarem radar. Tenho caminhäo e passo com frequência no local. Já tive molas quebradas devido aos buracos na altura do bairro jardim guanabara. Justamente onde colocaram 2 radares. Pra que? Si os buracos näo deixam aumentar a velocidade. Esse negócio de radar é um negócio lucrativo para alguem que näo somos nós usários. Muito revoltado com tudo isso que acontece no Brasil. Muitos impostos e nada em troca.

  2. Avatar

    Esse trecho apesar de federal pertence a BM. é totalmente abandonado e político nenhum dessa cidade corre atras para ajudar, tão nem aí, se bem que essa concessão deve ser igual as outras, eles só privatizam trechos bons das rodovias, quem sabe a operação lava jato já não estejam investigando também essa concessão, aproveitando BM esta abandonada né prefeito?

  3. Avatar

    Cada radar custa 1 milhão…… Não tenho mais nada a dizer…

  4. Avatar

    Infelizmente, todos com razão !

  5. Avatar

    E um absurdo colocar radar nesse local trecho todo esburacado perigoso .todo mundo quer ganhar dinheiro facil nas costas do trabalhador ,ondevse encontra o ministério publico que não toma nenhuma ação contra essa safadeza esse trecho vive causando acidentes ,quebra de veículos .estamos perdidos com as pessoas nesses pais que deveria ver essa robalheiras e fecham os olhos e pensam em si próprio.

  6. Avatar

    absurdo e a nossa justiça que não faz nada eles determinam que sejam feita obras e nada. manda prender os responsaveis ja que foi solicitado as obras e nada eles g e andam para a justiça que cada dia perde força, desrespeitam e nada acontece e e justiça federal, os radares devem ser suspensos e que eles tenham uma so velocidades para todos pois vi placas de 30 km , 50, km neste pequeno trecho. cade os homens da lei . quando deixamos de pagar qualquer centavos federais samos intimados e se não pagarmos bens são penhorados e talvez preso para que a familia possa pagar . vamos la justiça federal agem conforme a lei pune esses responsaveis.

  7. Avatar

    É UM ABSURDO COLOCAR RADAR NUMA RODOVIA ABANDONADA DAQUELA,O DINHEIRO DAS MULTAS COM CERTEZA NÃO VAI RESOLVER OS PROBLEMAS DA RODOVIA.

  8. Avatar

    De vez em quando passo pela 207 e a estrada está cheia de buracos, em péssimo estado de conservação.
    Deveriam recapeá-la antes de colocar pardais.

  9. Avatar

    Radar eles colocam, agora arrumar a pista que é bom nada !! Vão lá e fazem uns “remendos” de vez enquanto e acham que tá ótimo! Absurdo!

  10. Avatar

    Primeiro vão refazer o alfalto né!

  11. Avatar

    Vários deputados eleitos por V. Redonda e Barra Mansa ao longo desses primeiros anos do século 21 e nada fizeram para reverter a situação desse trecho da BR 393 que passa pelos dois municípios que ainda é coisa da metade do século passado. Inclusive esses políticos foram omissos, para não dizer coisa pior, quanto ao edital da privatização dessa rodovia, que deixou de fora esses poucos quilômetros do J. Amália até a Dutra.

Untitled Document