sábado, 14 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / manchete1 / Radares da BR-393 quase prontos para funcionar

Radares da BR-393 quase prontos para funcionar

Matéria publicada em 5 de maio de 2015, 20:46 horas

 


Segundo Dnit, equipamentos próximos ao bairro Jardim Amália I só precisam de ajustes para começarem a operar

Volta Redonda

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) confirmou hoje que os radares instalados na BR-393 (Rodovia Lúcio Meira), na altura do bairro Jardim Amália I – próximo ao Restaurante Casarão, devem começar a funcionar nos próximos dias. Segundo o departamento, para que o inibidor de velocidade comece a funcionar basta a empresa de energia elétrica colocar medidores, esses usados para registrar o consumo de energia dos equipamentos.
Além do trecho no Jardim Amália I, outros pontos da rodovia também já receberam os radares, e esses já estariam funcionando de acordo com o Ipem-RJ (Instituto de Pesos e Medidas), são eles: os Kms 286, 291 e 300, que liga as cidades de Volta Redonda e Barra Mansa.
E muitos motoristas se queixaram exatamente da falta de informação sobre os radares. Nem mesmo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) teria sido informada sobre o funcionamento dos aparelhos nesses trechos.
“Se colocaram esse radar para funcionar, não nos avisaram, nem avisaram a população. Pode ser que eles tenham colocado em fase de teste”, disse a PRF.
O radar tem como objetivo impedir o excesso de velocidade dos veículos, limitando em 50 km/h. O problema é que muitos motoristas estão incomodados com a quantidade de buracos e a falta de manutenção em alguns trechos, que está sem concessão desde 2009, quando foi excluído do contrato firmado para a BR-393 pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), com a empresa Acciona, que continua administrando a rodovia em outros pontos.
– Esse trecho é perigosíssimo, o chão é todo esburacado. Passo com cautela porque já conheço essa pista há 11 anos, o problema é quem não conhece – lamentou o caminhoneiro João de Paula.
O também caminhoneiro Marcos José Reis mostrou-se indignado com a situação precária da estrada. Ele ressaltou que é muito grande a circulação de carros e pedestres para um trecho em más condições.  Ainda segundo Marcos, é improvável que essa medida reduza acidentes, já que, na opinião dele, os radares estão mal localizados.
– Não colocam um bom asfalto, nem uma sinalização adequada e agora querem arrancar dinheiro do povo com esses radares. Para onde vai esse dinheiro? É um absurdo. Muita cobrança em cima da gente, mas também precisamos cobrar – questionou o caminhoneiro.
O comerciante Hamilton de Oliveira, que trabalha há 30 anos na altura do trecho em que estão os radares, comentou que a falta de infraestrutura da pista se dá por conta de um problema com a rede de esgoto.
– O culpado disso é o Dnit, que deveria realizar obras nessa pista. Os bueiros estão entupidos e o esgoto não tem para onde sair, então ele corre por dentro da pista, deixando o asfalto deplorável. É fácil perceber isso quando se vê água podre nos cantos da rua – falou o comerciante.
A situação também é ruim para os pedestres, que reclamam da falta de segurança para atravessar a pista, já que o trecho corta vários bairros.
– Precisa de um semáforo aqui, porque essa pista corta muitos bairros. Já cansei de ver acidentes aqui, muitas crianças que voltam da escola precisam atravessar e a maioria dos motoristas não respeitam os pedestres – reclamou uma moradora, que preferiu não se identificar.

Justiça determinou que Dnit
realizasse obras no trecho

No dia 19 de fevereiro deste ano, o DIÁRIO DO VALE publicou uma reportagem sobre a determinação da Justiça Federal, que apoiou o pedido do Ministério Público Federal (MPF), determinando que o Dnit concluísse, no prazo máximo de 180 dias, a licitação das obras de restauração da rodovia nos trechos 291 e 300. A Justiça determinou ainda a realização de obras de manutenção rotineira e preventiva em até 60 dias. A ação ainda pretendia que o DNIT fosse condenado a analisar a possibilidade de inclusão do trecho em contrato de concessão a ser repassado à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Apesar disso, até agora nada foi realizado nesse sentido.
Além disso, o MPF requereu que o departamento fosse condenado a realizar a adequação do pavimento, dos pontos de ônibus e acostamento, iluminação eficiente, sinalização interna e externa e instalação de passarelas, independentemente do andamento do processo licitatório de restauração do trecho.
Desde 2004, o MPF tem acompanhado a situação da rodovia, realizando audiências e inspeções no local. Para o Procurador da República Julio José Araujo Junior, que assina a ação, a medida representa uma resposta do Poder Judiciário ao estado alarmante da rodovia na região.
“Muitos acidentes acontecem com frequência. A maior parte da rodovia é objeto de concessão e este trecho ficou abandonado” ressaltou na época.
Em reunião realizada em novembro do ano passado com os moradores da região, foram relatadas as dificuldades diárias da população com a pista, que possui apenas uma passarela e provoca constantes acidentes.
O MPF pediu também que, ao final, o Dnit fosse condenado ao ressarcimento por danos materiais causados e pelo dano moral coletivo no valor de R$ 1 milhão, em razão do reconhecimento da responsabilidade civil por atos omissivos na manutenção de condições adequadas de trafegabilidade na rodovia.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Avatar
    celso correa souza

    se me lembro bem havia muitos acidente na altura do bairro nove de abril fizeram manifestações
    pediram passarela, e toda vez que passo por lá tem pessoas se arriscando atravesando no meio da pista.
    esta estrada precisa de reparo? precisa mas nos motorista tambem precisa saber se a estrada corta varios
    bairros entao precisa de uma forma de educar o motoristae o radar foi um ponto de partida pois desde da sua implantação a velocidade foi reduzida ogora cabe as autoridades fazer sua (parte).

  2. Avatar

    E uma vergonha essa rodovia mal sinalizada, cheia de braços é uma mafia de dinheiro pra roupas o cidadao de bem

    • Avatar
      0,000001% honesto

      Sabendo que o limite é de 50 por hora, sabendo que tem radar, sabendo que tem buraco e mesmo assim você anda a mais de 50. Então, lamento mas é roubado quem quer.

  3. Avatar

    Naquele trecho de rodovia que é uma merda colocar radares é um absurdo ,mas esse é nosso país ,tudo que é vantajoso para o governo está em primeiro lugar .

  4. Avatar

    Ao invés de colocarem radares para recolher mais porque não fazem a manutenção das rodovias, sera que e para pagar o rombo da presidência.

  5. Avatar

    Moradores da região, arranquem estes radares, a mais de trinta anos esta vergonha.

  6. Avatar
    VAI ACONTECER ACIDENTES

    Com certeza, sem medo de estar errado, o RADAR do Jardim Amália 1, em frente ao Casarão logo após o viaduto da Amaral peixoto com a Getúlio Vargas vai acontecer acidente TODOS OS DIAS, NINGUÉM, EU DISSE NINGUÉM RESPEITA a VELOCIDADE NAQUELE TRECHO, e é logo após o viaduto, muito escondido, quando o MOTORISTA ver vai querer FREAR, o veículo de trás não vai conseguir parar e o ROLO tá FORMADO, bom se ESSAS CARRETAS, CAMINHÕES E OS ÔNIBUS NÃO PASSAREM POR CIMA DOS CARROS, fica o alerta para as AUTORIDADES, SE É QUE TEM !!! Podem anotar esse comentário ai no Diário do Vale.

  7. Avatar

    E tem como passar de 50 km/h sem danificar o veículo?O radar já está no chão há muito tempo.

  8. Avatar

    Vergonhoso esse DNIT. Obra na pista nada , porquê esse trecho não entrou no contrato de concessão, ninguêm fala nada e nenhum político da região tá interessado , estranho isso!

  9. Avatar

    Primeiro radares depois as obras… Somos sempre feitos de idiotas não é!!!

    • Avatar

      Eu não votei na Dilma e muito menos no Pezão e nem pensar no Ex-prefeito de VR, não voto no PT, PMDB,PSDB, PP e nos partidos agregados, inclusive os comunistas sugadores da nação, portanto não sou feito idiota.

      Jogar a culpa no MEU BRasil, no POVO e nos POLÍTICOS e´fácil. Difícil é mudar de voto, né?

      O Pezão sabia que iria perder votos na região se liberasse esses radares, mas o POVINHO o elegeu, agora pagamos o pato.

Untitled Document