terça-feira, 3 de agosto de 2021 - 21:46 h

TEMPO REAL

 

Capa / Saúde / Reabertura do Cras Caieiras permitirá atendimento de mais de 1.300 famílias

Reabertura do Cras Caieiras permitirá atendimento de mais de 1.300 famílias

Matéria publicada em 2 de junho de 2021, 13:57 horas

 


Unidade foi reinaugurada na manhã desta quarta-feira após obras de revitalização

A unidade social já é a 19ª reaberta neste ano de 2021 – Foto: Geraldo Gonçalves(PMVR).

Volta Redonda- A Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac) reabriu na manhã desta quarta-feira, dia 02, a unidade do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Cecília Macedo da Costa, no bairro Caieiras.

A unidade social já é a 19ª reaberta neste ano de 2021, e estava com as suas atividades paralisadas há um ano.

Segundo a Smac, com o retorno de seu funcionamento, mais de 1.300 famílias dos bairros Caieiras, Brasilândia e Cailândia passarão a ser atendidas no local.

De acordo com a prefeitura, para devolver o espaço à comunidade, foi necessário executar, durante 20 dias, obras de revitalização em todos os ambientes da unidade, pintura geral e realizar jardinagem e capina.

Em discurso na cerimônia, a diretora do Departamento de Proteção Básica da Smac, Rosane Marques, destacou que a unidade retoma as atividades com uma equipe completa.

“Estamos com muita dedicação para reorganizar o trabalho da proteção básica em todos os Cras”, disse ela, frisando que a unidade terá reuniões mensais para ouvir os moradores. “Trabalharemos em duas linhas para o fortalecimento das famílias. No resgate da condição social, empoderamento e valorização das pessoas. E, em outra linha, vamos tratar da inclusão produtiva, que é uma oferta de possibilidades novas para a pessoa se reconstruir ou entrar no mercado de trabalho. Estamos muito felizes em poder reativar este Cras”, disse Rosane, que ao lado da coordenadora da unidade, Elizabeth Alves, apresentou a equipe da unidade.

A reconstrução da cidade e da assistência social foi destacada pelo secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco. “A cidade estava em um estado lastimável, quando retornamos para a prefeitura em janeiro desse ano. Muito ruim na Saúde, na Educação, na Cultura, no Esporte, na Segurança e na Assistência Social”, discursou Munir, frisando que quando deixou a prefeitura, em dezembro de 2016, havia um legado na assistência social, mas a gestão anterior, não deu continuidade.

“No nosso retorno, arregaçamos a manga, montamos uma equipe que realmente ama Volta Redonda e começamos a reconstruir o trabalho da assistência social. Já reabrimos 19 Cras e até o final de junho será 24 unidades reabertas. Até o final do ano, voltaremos com 35 Cras”, disse ele, explicando como está conseguindo promover estas mudanças.

“Isso se deve ao apoio que temos irrestrito do prefeito, da Câmara de Vereadores, ao trabalho de equipe, e, principalmente, a confiança da população no nosso trabalho, nos dando força e credibilidade. Voltaremos a ser referência na assistência social, como éramos em dezembro de 2016”, garantiu Munir.

A presidente da Associação de Moradores do Caieiras, Claudineia Aguiar, disse que a comunidade estava ansiosa pela reabertura do Cras. “A comunidade me perguntava diariamente quando o Cras seria reaberto, e agora chegou o dia, com esta boa notícia. Quero agradecer em nome de todos os moradores. Agora a comunidade será novamente acolhida por esta equipe e utilizarão, com certeza, as atividades que vão ser propostas aqui”, disse ela.

A coordenadora do grupo da terceira idade União Total, Maria José da Cruz, disse que os idosos sentiram muito com o fechamento do Cras.  “Estávamos doidos para voltar. Nosso grupo é pequeno, tem 20 pessoas, mas é muito ativo.

Além das viagens e passeios que fazíamos, que eu desejo que volte, o mais importante é a convivência do grupo no dia a dia, as amizades e os nossos encontros festivos. E realizar isso aqui no Cras é muito melhor”, disse a coordenadora.

A dona de casa, Maria de Lurdes Freitas, de 75 anos, disse que utiliza o Cras para obter informações. “Que bom que está de volta. Ficava triste em ver o Cras fechado, pois ele é uma referência no bairro”, disse.

A cerimônia contou também com a presença do vereador Rodrigo “Nós do Povo”; da coordenadora municipal de Prevenção às Drogas, Neuza Jordão; do vice-presidente do grupo de Convivência Alegria do bairro Brasilândia, Antônio José Neto; e o filho da homenageada com o nome do Cras, Carlos Macedo da Costa, que é também secretário municipal do Gabinete de Estratégia Governamental (Gegov).

Oficinas reabertas

Com a reabertura, o Cras, além de todos os serviços sociais, retorna com o serviço de convivência para crianças, adolescentes e idosos. Os encontros serão realizados de segunda a sexta-feira, no horário de funcionamento do Cras, das 8 às 17 horas.

A unidade também tem inscrições abertas para pessoas maiores de 16 anos para o curso de artesanato, na quarta e sexta-feira, pela manhã e tarde e oficina de inclusão digital, no Telecentro da unidade, com formação de turmas diárias, oferecendo 20 vagas. Todas as atividades são gratuitas.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document