quarta-feira, 19 de janeiro de 2022 - 02:22 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Restauração do antigo prédio da Central do Brasil é iniciada em Barra do Piraí

Restauração do antigo prédio da Central do Brasil é iniciada em Barra do Piraí

Matéria publicada em 25 de novembro de 2020, 15:55 horas

 


Antigo prédio será sede da Secretaria de Turismo, Cultura e Eventos, segundo prefeitura 
(Foto: Divulgação)

Barra do Piraí – A prefeitura de Barra do Piraí em parceria com a MRS Logística iniciaram a restauração do antigo prédio da Central do Brasil, o conhecido Pátio da Estação, neste mês de novembro, em Barra do Piraí. Ao todo, serão investidos cerca de R$ 3,8 milhões no prédio. A benfeitoria conta com a fiscalização do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). A prefeitura não destacou por quanto tempo durará a restauração.

De acordo com o representante da construtora Pydna, o engenheiro civil Alex Costa, o elo com as demais empresas, Quorum e Holos, foi importante para agilizar esta obra. Ele explicou que não se trata de uma reforma, mas sim restauro, e que a demora se dá “por conta de que é preciso manter as características e responsabilidades pelo patrimônio”. Frisou que o tempo no mercado faz da empresa “gabaritada para estar no processo” e que “sente satisfação quase que artística quando se tem um restauro como este”.

– Estamos no ramo há 15 anos e já trabalhamos em projetos parecidos. É uma satisfação estar numa cidade e restaurar um patrimônio histórico; é uma realização quase que artística, poder entregar um imóvel que é a criação da própria cidade, criado pelo Império e que tomou nova arquitetura. Tem muita história aqui, mais que cultural e econômica. Quando temos essa oportunidade, é mais atrativo, para mim, e será para a população que usufruir deste local com prazer – disse o engenheiro, acrescentando que parte do emprego gerado nas obras vem de mão de obra local.

Projeto

O projeto artístico das obras no Pátio da Estação está divido em dois momentos. O primeiro deles é o prédio principal, com o restauro completo da Estação da Central do Brasil, onde será uma casa de cultura, com salas para eventos e exposições. Além disso, o prédio será sede da Secretaria de Turismo, Cultura e Eventos. A segunda etapa inclui os galpões, onde serão reformados e onde haverá a criação de um anfiteatro de 250 lugares.

Para o secretário de Turismo, Cultura e Eventos, Juberto Folena de Oliveira Junior, a primeira parceria com a MRS, no tocante à cultura, é o “embrião de muitos que ainda virão”.

– Isso tudo é o início de uma longa parceria. Estou encantado com o capricho que estão tendo com este patrimônio; com Barra do Piraí. Estejam certos que vamos buscar novos elos, seja com a MRS ou com as demais empresas que possuem esta responsabilidade social, para o bem estar cultural dos barrenses. Estamos em vias de começar as obras em mais duas antigas estações ferroviárias, a de Ipiabas e a de Santana de Barra. Ou seja, para uma cidade que não possuía nenhuma casa de cultura, agora serão três, em pontos estratégicos para que a sua população se enriqueça com estes imóveis e mostras que, por eles, passarem – concluiu.

Inaugurado há 156 anos

O antigo prédio da Central do Brasil foi inaugurado em 1864, há mais de 150 anos, e ainda tem as principais características conservadas. Após ser cedido ao município, pela antiga Rede Ferroviária Federal, as tratativas para a aquisição do Prédio da Estação – como também é conhecido – ficou a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), do Governo Federal.

Todo o processo foi levantado, em parceria entre a Prefeitura de Barra do Piraí, a União, o Instituto de Desenvolvimento Econômico (IDehc) e a MRS. Em 2018, o projeto – elaborado pela MRS – foi aprovado pelo Iphan e lançado pela prefeitura. Por conta da pandemia pelo novo coronavírus, as obras, que começariam em março deste ano, foram adiadas para este mês.

O chefe de escritório do Iphan, em Vassouras, Almir Santos de Oliveira, destacou que todos os esforços estão sendo feitos, “no sentido de manter viva a característica deste patrimônio”.

– Todo o empenho é válido, quando se trata de um imóvel que estava parado e que será útil depois. O objetivo aqui é histórico e de dar uma continuidade à preservação de um bem da cidade. E o nosso intuito é o de fiscalizar o projeto e mão de obra, não no sentido de punir, mas em dar o aval ao que o prédio e a população merecem como bem que é seu – afirmou.

Parceria entre MRS e prefeitura vai garantir restauração do prédio inaugurado há 156 anos
(Foto: Divulgação)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document