quinta-feira, 9 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Restos de obra em terreno preocupam moradores de condomínio no Roma II, em Volta Redonda

Restos de obra em terreno preocupam moradores de condomínio no Roma II, em Volta Redonda

Matéria publicada em 8 de novembro de 2016, 17:43 horas

 


lixo-no-roma-libania-nogueira-12

Reclamação: Moradores temem que entulhos acabem virando focos do mosquito da dengue
(Foto: Libânia Nogueira)

Volta Redonda – Um terreno com lixos e recipientes acumulando água tem preocupado moradores de um condomínio no bairro Roma II. Segundo apurou o DIÁRIO DO VALE, os resíduos são sobras da obra do residencial, que foram abandonados pela construtora na conclusão da edificação.

Dois funcionários da empreiteira que estavam no local afirmaram que os moradores só estariam reclamando do terreno porque teriam pedido “as sucatas para o dono da obra e ele não deu”.

– Temos muitas gestantes no condomínio. Com toda essa chuva, os focos de dengue vão aparecer. Se não fosse tanto lixo, nós mesmos iríamos lá para recolher. Só que a quantidade é enorme e, além do lixo, tem máquinas e tambores abandonados acumulando água de chuva também – disse Rodrigo Ribeiro Soares.

O empreiteiro que presta serviço para a empresa Valtair Fernandes afirmou que a limpeza já era para ter sido concluída, mas não soube informar o motivo da demora.

– A chave do terreno ficou comigo para a limpeza do terreno. Não sei de lixo, só sei do que é a sobra da obra, que vai ser levada para a construtora, em São Paulo. Não tem mais nada naquele terreno e não tenho contato do dono dele. Não posso dizer um prazo para que todo o material seja retirado. Isso é só em São Paulo – respondeu Valtair.

Em nota, a Prefeitura de Volta Redonda, através da assessoria de comunicação, respondeu que o secretário de Serviços Públicos, Edson Carrá, esteve no local na tarde desta terça-feira (8) e fez um levantamento da situação.

Por ser área particular, a prefeitura disse que não pode recolher o lixo, no entanto, a fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente foi acionada pelo secretário, Carlos Amaro, para verificar a situação na manhã desta quarta-feira (9).

A orientação do secretário é que seja feita uma inspeção da área, identificação e notificação do proprietário, para que, segundo ele, pare imediatamente com o despejo irregular do lixo e faça a limpeza de toda a área. Segundo a nota, o dono está sujeito a multas, se descumprir a notificação que lhe será aplicada, por danos ambientais.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar
    Rodrigo Ribeiro Soares

    Só queria saber quem foram os infelizes que disseram que os moradores querem a sucata e por não ter sido dado a eles, denunciaram a situação. Ninguém tá preocupado com sucata e sim com o risco de pegar essa maldita doença chamada DENGUE.

  2. Avatar

    Pra arumar esse local completamente tem que retirar alguns lixo daqui tanbem mas isso aew ja é com a segurança publica

Untitled Document