quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Rodrigo Drable critica proposta para instalação de pedágio em BM

Rodrigo Drable critica proposta para instalação de pedágio em BM

Matéria publicada em 16 de janeiro de 2020, 16:42 horas

 


Rodrigo Drable: ‘É preciso ter um estudo sério sobre os motivos para que o projeto esteja sendo feito dessa forma’

Barra Mansa – Durante uma audiência pública que aconteceu na quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, foi anunciada a possibilidade de o município de Barra Mansa abrigar uma praça de pedágio, que atualmente está instalada em Itatiaia. A informação foi anunciada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que acrescentou que o pedágio pode ser instalado no distrito de Floriano. A audiência discutiu o novo modelo de concessão de rodovias com prefeitos de municípios localizados no eixo da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) e Rio-Santos (BR-101).
O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, não aprovou a proposta da ANTT, alegando que o município possui dez retornos da rodovia, sendo que sete formais e três informais. O prefeito também pediu para que uma audiência pública seja realizada em Barra Mansa para discutir o assunto.
Já o prefeito de Resende, Diogo Balieiro Diniz, que também participou da audiência, levantou a possibilidade de o pedágio de Itatiaia ser levado para o município de Queluz, no estado de São Paulo.

Transportes de cargas

Para o prefeito Rodrigo Drable, a instalação de uma praça de pedágio em Barra Mansa vai onerar ainda mais as operações de transportes de carga no Sul Fluminense.
“Já sofremos com as inúmeras indústrias que deixaram a região para se instalarem em São Paulo. O projeto apresentado fortalecerá esse movimento de esvaziamento do Sul do Estado. Os problemas são muitos. Para se ter ideia, são 72 passarelas de pedestres. Nenhuma em Barra Mansa. Temos cidadãos que morrem atropelados toda hora no trecho da estrada que corta o município. Me pergunto porque a outorga da atual concessão não é utilizada para investimentos nos hospitais, melhoria do CTI, Pronto Socorro e aumento no número de leitos para atender essas vítimas? Penso que esse projeto está todo errado; que deve haver uma manifestação de toda a sociedade contra essa fragmentação proposta. É preciso ter um estudo sério sobre os motivos para que o projeto esteja sendo feito dessa forma. E com relação ao pedágio no município, qual o resultado positivo para a sociedade? Essas informações precisam estar claras”.
Durante o seu discurso, Rodrigo ainda elencou outros problemas. “A Nova Dutra não respeita a história do loca. Barra Mansa é uma cidade de 187 anos com comunidades consolidadas. Com sete retornos autorizados e três oficiosos, esses três vivem correndo o risco de fechamento, essa comunidade vive a expectativa negativa de fechamento e nós vamos trabalhar para que isso não seja feito”.Durante o seu discurso, Rodrigo ainda elencou outros problemas. “A Nova Dutra não respeita a história do loca. Barra Mansa é uma cidade de 187 anos com comunidades consolidadas. Com sete retornos autorizados e três oficiosos, esses três vivem correndo o risco de fechamento, essa comunidade vive a expectativa negativa de fechamento e nós vamos trabalhar para que isso não seja feito”.

Outro problema citado pelo prefeito se refere aos acidentados na rodovia. “Eu recebo o dia inteiro na Santa Casa vítimas de acidentes na Via Dutra. Nunca me perguntaram quanto custam esses pacientes ou ainda qual o valor para manter o Pronto Socorro e o Serviço de Imagem. Este projeto é um atentado ao cidadão”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document