Rua de Niterói ficará sem decoração de Natal - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:33 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Rua de Niterói ficará sem decoração de Natal

Rua de Niterói ficará sem decoração de Natal

Matéria publicada em 2 de dezembro de 2020, 17:16 horas

 


Volta Redonda –

A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de todos e neste fim de ano não está sendo diferente. Várias cidades pelo país já cancelaram eventos e a Organização Mundial da Saúde(OMS) passou várias orientações a respeito das celebrações. Em Volta Redonda a situação não está sendo diferente, o natal definitivamente não será como os anteriores e o novo normal vai quebrar uma tradição.

Moradores da Rua São Vicente de Paula, no bairro Niterói, não terá as tradicionais decorações e luzes natalinas, neste ano. Os moradores fixaram um cartaz na localidade avisando da decisão. Por conta da pandemia, a rua não será enfeitada para evitar aglomeração de moradores de Volta Redonda e outros municípios que todo ano iam prestigiar as decorações do bairro.

A “Rua das Luzes”, conhecida popularmente, é uma tradição que já dura cerca de 30 anos e sempre chamou atenção de quem visitava o bairro entre o Natal e o Ano Novo.

Um dos principais incentivadores das decorações e luzes na Rua São Vicente de Paula era Eduardo Ermida Filho, conhecido como “Dadinho do Presépio”, que morreu no dia 23 de julho por Covid-19, aos 73 anos. A montagem do presépio, que era uma tradição familiar, não contará com a participação de Dadinho neste ano. Ele montou o presépio por 50 anos consecutivos e por 29 anos abriu ao público com a ideia de fortalecer projetos sociais. Dadinho deixou três filhos, Marcio Adriano Ermida, Eduardo Ermida Neto e Kelly de Oliveira Ermida, que juntos com a mãe, Regina Célia de Oliveira Ermida, vão fazer a montagem do presépio.

-De início não íamos fazer nada, pois não temos forças, e o presépio era uma coisa muito pessoal do meu pai. Nós não vamos conseguir fazer da mesma forma que ele fazia, ele levava quase um mês na montagem. Diante de tudo que aconteceu com a nossa família, nós não temos condições psicológicas de nos dedicar como ele, nem a habilidade e o encantamento dele. Mas a minha mãe resolveu, diante de memórias que vem aparecendo nas redes sociais, montar pelo menos a parte principal do presépio e nós, os filhos e familiares, vamos ajudá-la como pudermos – explicou Kelly.

A filha de Dadinho contou ainda que outra motivação, para a família não interromper por inteiro a tradição do pai, é o fato de muitas pessoas terem tornado o presépio como local de peregrinação e levando pedidos que posteriormente o Dadinho levava até a Basílica de Aparecida.

– Antes falecimento do meu pai, uma enfermeira me procurou e deu o testemunho dela, falando que recebeu uma graça através do presépio. Ela contou que, mesmo sendo evangélica, um dia passando na porta o meu pai a convidou para entrar. Segundo ela meu pai falou que era pra ela escrever um pedido que estava no coração dela e mesmo sem fé naquilo ela escreveu. Meses depois a graça dela, que era engravidar, foi alcançada. No dia que ela me contou isso, ela ainda me disse que tinha fé que meu pai sairia vivo do hospital e que ela iria contar isso pra ele, mas infelizmente ele não resistiu. Assim como ela, várias pessoas já fizeram pedidos e promessas no presépio do meu pai. Então o presépio vai ficar montado aqui, da forma que nossa família conseguir e se alguém aparecer pedindo pra fazer uma oração, é claro que vamos abrir nosso portão e onde meu pai estiver ele estará feliz com essa nossa iniciativa – concluiu, acrescentando que a família também continuará recebendo as doações de quem desejar fazê-las, assim como sei pai fazia.

 

Decoração em Volta Redonda

A prefeitura de Volta Redonda reduzirá os enfeites de Natal nos centros comerciais, sobretudo na Praça Brasil, na Vila Santa Cecília, serão mais simples em 2020 devido ao luto permanente por conta das mortes por Covid-19 decretado em maio deste ano. Até o último boletim epidemiológico, município contabilizou 261 mortes por Covid-19.

Segundo a prefeitura, além do luto, há também o alto valor das decorações natalinas e também os enfeites podem gerar aglomerações. A prefeitura também cancelou a festa de réveillon, que foi realizada nos últimos três anos na Vila Santa Cecília.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. O medo vencendo a vida.

    • Vai lá na casa das primas e faça sexo sem camisinha então, machão

    • Quando eu ainda voava em instrução de vôo, recordo que meus instrutores sempre batiam na tecla de que um piloto sem medo era um piloto pronto para morrer. O medo era a garantia de que ele estaria atento aos checklists, ao check cruzado, de estar sempre procurando um lugar para um pouso mesmo que uma pane não tenha acontecido, enfim, o medo mantém o piloto vivo. O medo é um mecanismo de auto preservação. Agora, quando leio essa frase aí do medo vencendo a vida, a única coisa que ela me faz crer é que a pessoa que a propaga está envolvida numa cruzada política e, inconscientemente, seu egoísmo vibra por isso. Mas nunca saberemos se este é “O Flautista de Hamelin” ou um dos ratos que se afogaram…

    • Decisão acertada dos moradores

      Nobody concordo com vc.

      O medo não pode paralisar , mas é o que mantém vivo!

      A hora é de usar máscaras, evitar aglomerações , se protegendo e protegendo os outros.

    • Tem muita gente que não é grupo de risco e não está nem aí.

      Lembre-se que mesmo assintomatico a pessoa transmite e a outra pessoa poderá não 5er a mesma sorte.

      Dolo eventual, quando você assume o risco de algo acontecer.

      Quem não cumpre protocolo infecta o outro por dolo eventual.

      As pessoas, principalmente os jovens tem que pensar nisso.

    • O entendimento e discernimento sobre o que significa uma Pandemia, o respeito ao próximo, a empatia e principalmente, a inteligência usada para a preservação da vida.

  2. Rua São Vicente de PAULO

Untitled Document