>
quinta-feira, 11 de agosto de 2022 - 15:09 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Rússia pode enviar de dez a 12 caças à Síria

Rússia pode enviar de dez a 12 caças à Síria

Matéria publicada em 26 de novembro de 2015, 18:15 horas

 


Avião russo foi derrubado por um míssil enquanto fazia uma missão contra posições terroristas na Síria

site

No ar: Rússia enviará caças à Síria para progteger bombardeiros (Foto: Irkut/Sputnik)

Rússia – A Rússia está considerando a possibilidade de enviar de dez a 12 caças à base aérea de Hmeymim na Síria para garantir a cobertura de cada um de seus 24 bombardeiros. Anteontem, um avião russo foi derrubado por um míssil enquanto fazia uma missão contra posições terroristas na Síria.
Segundo uma fonte do jornal russo Kommersant no Ministério da Defesa, antes do acidente, os aviões russos voavam sem cobertura, pois não havia uma ameaça potencial. A inteligência não comunicava que os terroristas possuíam sistemas de defesa antiaérea portáteis. Ao mesmo tempo, ninguém considerava a ameaça do ataque por parte da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.
“Agora, cada um dos 24 bombardeiros será acompanhado por um caça”, disse hoje (26) o jornal Kommersant. Assim cada Su-24M e Su-34 irá efetuar tarefas militares acompanhado por um Su-27SM e Su-30SM.
Ancara alegou que derrubou o avião russo Su-24 porque a aeronave violou o espaço aéreo turco. Entretanto o Ministério da Defesa da Federação da Rússia confirmou neste mesmo dia que “a análise dos dados de controle objetivo mostrou inequivocamente que não houve violações do espaço aéreo da Turquia”.
Um dos pilotos do caça derrubado foi morto a tiros enquanto descia de paraquedas, enquanto o copiloto foi resgatado e levado de volta à base aérea russa perto de Latakia. Ele informou que não houve avisos da parte turca antes do ataque
O presidente russo, Vladimir Putin, chamou o abate do avião de “golpe nas costas” por parte dos coniventes com o terrorismo.

Russos reforçam controle sobre
importações de alimentos turcos

A Rússia anunciou ontem que vai reforçar o controle sobre as importações de alimentos turcos devido a violações das normas de segurança alimentar, aumentando ainda mais a tensão com Ancara depois da derrubada de um avião russo.
Cerca de 15% da produção agrícola turca “está com níveis de pesticidas, nitratos e nitritos consideravelmente acima dos limites de segurança”, disse o ministro da Agricultura Alexander Tkachev.
“Tendo em conta as repetidas violações por parte dos produtores turcos de normas russas, o governo [russo], através da agência de segurança alimentar, vai reforçar o controle sobre o fornecimento de produtos agrícolas e alimentos provenientes da Turquia”, adiantou Tkachev.
A Rússia vai “levar a cabo fiscalizações adicionais na fronteira e nos locais de produção de alimentos na Turquia”, destacou.
A medida anunciada agora pelo ministro da Agricultura surge poucos dias depois de a Turquia ter derrubado um avião de combate russo, na fonteira com a Siria.
Na terça-feira, a Turquia anunciou que dois dos seus caças-bombardeiros F-16 tinham abatido um SU-24 russo que tinha violado o espaço aéreo turco dez vezes num período de cinco minutos, ao longo da fronteira com a Síria, ignorando todas as advertências.
Em reação, o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que o abate do avião russo pela Turquia tinha sido “uma facada nas costas” que teria “consequências sérias” nas relações entre os dois países.
Da Agência Lusa.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document