sábado, 4 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Samuca e MPRJ se reúnem nesta quarta para discutirem flexibilização de templos, clubes e academias

Samuca e MPRJ se reúnem nesta quarta para discutirem flexibilização de templos, clubes e academias

Matéria publicada em 1 de junho de 2020, 19:23 horas

 


Volta Redonda – A proposta técnica que o prefeito Samuca Silva apresentou ao MPRJ no dia 25/05 será discutida nesta quarta (03). A informação foi confirmada pelo próprio prefeito. Pela proposta, clubes, academias, igrejas e templos religiosos seriam abertos em 10 de junho, seguindo uma série de restrições quanto à ocupação de parte da capacidade total, e outras medidas de segurança e higienização, como distanciamento entre os frequentadores, proibição para grupos de risco e disponibilização de álcool em gel.

Critérios

Para levar a proposta de flexibilização mais ampla, o prefeito considerou os dados técnicos que mostram que o número de casos de pessoas consideradas curadas, por terem se passado 14 dias da manifestação dos sintomas, está mais perto do número de casos confirmados. Subtraindo o número de curas do número de casos confirmados, conforme os registros desta segunda (01/05), atualmente há 75 portadores do vírus ativo na cidade.

O prefeito ressaltou que as contaminações diárias caíram e que o vírus está controlado em Volta Redonda. Além disso, os óbitos estão restritos a pessoas que fazem parte do grupo de risco, seja por apresentarem comorbidades, como diabetes ou hipertensão, ou por terem outrs fatores de risco, como idade acima de 60 anos ou gravidez.

Eixos

Continuarão valendo os eixos determinados no acordo para a manutenção da flexibilização em vigor. São os seguintes: A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50%. A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60%. O grupo de risco deve permanecer em isolamento social. O uso de máscara nas ruas é obrigatório. Permanece proibido qualquer tipo de aglomeração.

Leitos

Volta Redonda tem uma decisão judicial que lhe permite manter a gestão sobre a metade de seus leitos, mesmo os inscritos no CIB (Comitê Intergestores Bipartite); em outras cidades, não há essa limitação. No entanto, o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto , afirmou que, até esta segunda-feira (25), nenhum paciente foi transferido de outro município para os leitos administrados pro Volta Redonda.

No que diz respeito à alta complexidade, Volta Redonda já acrescentou oito leitos no Hospital do Idoso e vai concentrar todos os casos fde alta complexidade que estiverem no Hospital São João Batista ou no Hospital do Retiro no Centro Municipal de Saúde (antigo Santa Margarida) para que seja possível retomar as cirurgias eletivas.

O perfil da cidade é de casos com média complexidade, que estão sendo atendidos no Hospital de Campanha localizado no Estádio Raulino de Oliveira. Esses leitos estão com uma ocupação muito inferior aos 60% previstos no acordo em vigor.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. Avatar
    Que Deus nos abençoe!

    Igreja , todo mundo dividindo o mesmo banco…

    Tenso.

    Oremos de casa.

    Academia , tentei correr de máscara me deu falta de ar, caminhada e musculação até dá , mas aeróbico como corrida etc acho difícil.

    Eletivas, estou aguardando para operar meu filho.

    E fim.

  2. Avatar

    Liberar academia é loucura….sem noção

  3. Avatar

    Cortou o cabelo né meu filho?

    Fica de olho porque o Brant está abrindo mais cedo e fechando depois do horário.

  4. Avatar

    Uma temeridade liberar, impossível controle da agromeraçao nesses ambientes.

  5. Avatar

    E a feira livre setor de vestuário, vai voltar quando?

  6. Avatar

    É só mais uma reunião de embromação.

Untitled Document