domingo, 20 de junho de 2021 - 21:15 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Santa Casa de Resende recebe usina de gases medicinais, ar comprimido e vácuo

Santa Casa de Resende recebe usina de gases medicinais, ar comprimido e vácuo

Matéria publicada em 7 de maio de 2021, 16:02 horas

 


Resende – A nova Santa Casa de Resende está recebendo melhorias para reforçar a estrutura e a qualidade do serviço na unidade. Nesta semana, recebeu uma nova usina de gases medicinais, com fornecimento de ar comprimido e vácuo. A novidade é mais um marco para a estrutura da unidade.

O processo de instalação foi iniciado em 2020. Durante este processo, a Santa Casa recebeu, em um primeiro momento, a tubulação para os gases em áreas que ainda não tinha. Houve também a troca da tubulação no Centro Cirúrgico e na UTI. Em 2021, a gestão deu continuidade ao serviço com a instalação completa da usina.

O Vácuo Clínico, agora produzido na Santa Casa, é fundamental por ser usado em todos os setores, principalmente na UTI e no Centro Cirúrgico, na intubação do paciente, segundo o secretário de Saúde, Tande Vieira.

O ar comprimido medicinal, que é vital para o hospital, leva ar ultra limpo e purificado aos pacientes em condições críticas durante a ventilação mecânica, ao centro cirúrgico e aos leitos. O sistema de ar comprimido e vácuo conta com quatro compressores e cada um deles conta com backup de segurança. Ou seja, desta forma os compressores mantêm as atividades caso aconteçam quedas no fornecimento convencional de energia. Além disso, não precisam de óleo para funcionar, o que elimina todo o risco de emitir vestígios de óleo através da tubulação para os pacientes.

O prefeito Diogo Balieiro Diniz comentou o reforço de modernidade para a estrutura da Santa Casa.

– São exigências que a Nova Santa Casa de Resende vem trabalhando há algum tempo para se adequar com o que há de mais moderno, pensando na segurança do paciente e dos funcionários. Antes, a instituição contava com aspiradores portáteis e com um compressor normal que atuava nesta função, mas não atendia as normas técnicas de funcionamento. Com a usina, o fornecimento agora é feito totalmente na Santa Casa, 24h por dia, 7 dias por semana e com toda segurança possível – disse o prefeito.

Economia

O sistema de ar comprimido medicinal produzido na unidade terá como consequência a redução do custo com oxigênio, que tem o metro cúbico mais caro. Alguns procedimentos, que antes eram realizados com oxigênio, passarão a contar com o ar comprimido medicinal. Com isso, a usina de gases trará economia e mais segurança para a unidade. Outro ponto importante é o benefício na preservação dos aparelhos de ventilação mecânica da UTI, uma vez que o ar é livre de umidade e puro.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document