quinta-feira, 29 de outubro de 2020 - 01:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Sargento da PM morre com disparo acidental em Três Rios

Sargento da PM morre com disparo acidental em Três Rios

Matéria publicada em 29 de junho de 2020, 11:51 horas

 


Três Rios – Um sargento do 38º Batalhão de Polícia Militar de Três Rios, identificado como Renato Onísio dos Santos, de 38 anos, morreu com um disparo acidental de sua própria arma, na manhã desta segunda-feira (29). Segundo informações de policiais que testemunharam o ocorrido, Renato voltava de um plantão durante a madrugada e após descer da viatura, estacionada na sede do BPM, localizada na Estrada União e Indústria, no bairro Boa União, deixou sua pistola calibre .40 cair no chão e quando tentou pegá-la, o disparo ocorreu, atingindo sua cabeça.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez o socorro para unidade de saúde da região, o Hospital das Clínicas Nossa Senhora da Conceição, no entanto, o policial não resistiu ao ferimento.

O DIÁRIO DO VALE entrou em contato com a assessoria do hospital, que confirmou a entrada do PM na unidade médica.

Em nota, a unidade lamentou a morte do Sargento. ”O Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição informa que um policial militar do 38º Batalhão da cidade, de 38 anos, após dar entrada no pronto-socorro da unidade com ferimento por arma de fogo, na madrugada de hoje (29), veio a óbito nesta manhã. A Instituição lamenta o falecimento do paciente”, concluiu a nota.

O corpo foi levado ao IML de Três Rios.

Também em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar lamentou a morte do sargento Renato Onisio dos Santos.

O Centro de Criminalística da Polícia Militar (CCrim) foi acionado para perícia no batalhão. A ocorrência foi registrada na 108ª DP. Um procedimento apuratório foi instaurado pelo comando do 38º BPM para averiguar as circunstâncias do fato.

O sargento Renato estava na Corporação desde 2006. Ele deixa esposa e dois filhos. “A Corporação está prestando apoio à família. Até o momento, sem confirmação de horário e local do sepultamento”, disse a Secretaria em nota.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    História estranha…Quem pega uma arma que caiu no chão e põe o dedo no gatilho com o cano virado pra cabeça? E outra questão; disparo acidental com arma que cai no chão é imediato, com o impacto da arma no chão quando cai, e mesmo assim destravada. Nem um iniciante amador em armas cometeria tantas séries de erros ao mesmo tempo. Muito estranho! Mas se tratando de pms, não confio em nenhum! Meus sentimentos à família do policial.

    • Avatar
      Tânia Maria de Carvalho Figueiredo

      Que triste fatalidade, que Deus o receba na sua infinita bondade aos familiares meu respeito e condolencias

  2. Avatar
    Jumento de Garimpeiro

    Taurus 24/7 Pro Tatical.

  3. Avatar

    Lamentável o ocorrido. Meus pêsames aos familiares do Policial Militar.

    • Avatar

      A principal pergunta… POR QUÊ OS COLEGAS DE FARDA NÃO O LEVARAM ÀS PRESSAS NA VIATURA ATÉ O HOSPITAL?? Esperar ambulância chegar pra socorrer alguém com possível trauma na coluna é uma coisa, esperar ambulância chegar pra socorrer um colega baleado é outra coisa!!!!!!!

  4. Avatar

    Já estava no pátio, descendo da viatura, dentro do batalhão. Por que a arma destravada?

    • Avatar

      E outra questão, porque os outros pms não o socorreram? Se até suspeitos baleados são socorridos em viaturas, por quê um pm baleado não pode? ESTRANHO ISSO!

Untitled Document