Secretaria de Volta Redonda lista ações de saúde do Mês da Mulher

Por Diário do Vale
Durante coletiva: Secretaria de Saúde apresentou campanhas importantes no bem-estar das mulheres (foto: Felipe Vieira)

Durante coletiva: Secretaria de Saúde apresentou campanhas importantes no bem-estar das mulheres (foto: Felipe Vieira)

Volta Redonda

A secretária municipal de Saúde promoveu na manhã de hoje, no auditório da pasta, uma entrevista coletiva para falar sobre o Mês da Mulher e as ações voltadas à saúde delas que serão realizadas na cidade. Entre os assuntos abordados estiveram o início da campanha de vacinação contra o HPV (Papiloma Vírus Humano), a importância dos exames preventivos e o atual cenário da dengue em Volta Redonda.
A secretária municipal de Saúde, Marta Magalhães, explicou que para a campanha de vacinação contra o HPV (que causa vários tipos de câncer, inclusive o de colo do útero), o público alvo são meninas com idade entre nove a 13 anos.
– Essa vacina previne o câncer de colo de útero, que é o câncer, cujo índice de mortalidade é muito alto no país. Então essa campanha é um convite para que as nossas pré-adolescentes e adolescentes procurem nossas unidades de Saúde e participem – disse Marta, acrescentando que a imunização é feita em três etapas: a primeira agora, a segunda daqui a seis meses, e a última no espaço de cinco anos.
A coordenadora da Área Técnica da Saúde da Mulher, Juliana Monteiro, que também esteve na coletiva, informou que para as meninas que não iniciaram a vida sexual, a vacina garante quase 100% de chance de nunca desenvolver a doença.
– Em outros países, como os da Europa, constataram que houve uma diminuição de 50% de mortalidade de mulheres por conta dessas doenças, então o que nós queremos é ver essa diminuição de casos aqui – enfatizou a coordenadora.
Já a enfermeira Flávia Diogo, coordenadora do setor de Epidemiologia, que há a estimativa de que mais da metade da população que tem uma vida sexualmente ativa tem contato com o HPV.
– Por isso, é muito importante que as meninas se previnam agora – alertou.

Outra campanha

Com o objetivo de prevenir o câncer de mama e o ginecológico, a secretaria de Saúde também dará início à campanha municipal contra essas doenças. A ação começa no próximo dia 21 e vai até o dia 27 deste mês e acontece anualmente em duas etapas, nos meses de março e outubro – como o “Outubro Rosa”.
Neste período, todas as unidades de saúde (UBS e UBSF), incluindo a Policlínica da Mulher, estarão aptas a receber mulheres para a realização de exames preventivos e promover o encaminhamento para os exames de mamografia. Mulheres de 25 a 65 anos, incluindo gestantes, são o público alvo desta campanha.
– Hoje nós temos capacidade para atender toda a população na faixa etária designada para o controle do câncer de mama. Nós temos redes próprias e redes conveniadas prontas para atender todas as mulheres que nos procurem para se tratar. Esse é um convite para elas se cuidarem, porque nós estamos esperando que elas participem – destacou a secretária de Saúde.
Segundo dados da secretaria de Saúde, atualmente no município há 261 mulheres em tratamento do câncer de mama; oito com câncer de colo de útero e duas com câncer de ovário.

Cenário atual da dengue também é discutido

Durante a coletiva, a secretaria de Saúde apresentou o cenário da dengue no município. De acordo com a secretária, a pasta está em alerta para a situação sempre, mas o início do ano, por ser uma época mais favorável à infestação do mosquito, é o período de maior monitoramento.
– Nós falamos de dengue o ano inteiro, porém mais intensamente durante o início do ano, porque é a época de chuvas, calor intenso, em que os índices aumentam – disse Marta.
A secretária informou que o último LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti), realizado em janeiro, mostra que o índice de infestação no município aponta uma realidade de “médio risco”, ou seja, o risco de uma possível estado de epidemia é médio, além de 95% dos focos do mosquito estão dentro das casas. Os bairros com índice mais alto de infestação são os do complexo Vila Brasília.
– Essa situação é que nos preocupa. A gente precisa mobilizar a população nas comunidades para cuidar da sua residência e mobilizar a vizinhança – disse Marta, completando que o comitê composto por vários setores da secretaria se reúne semanalmente para estarem atentos ao diagnóstico da situação.
A coordenadora da vigilância ambiental, Janaína Soledad, explicou que o ciclo total do mosquito, do ovo até o adulto, dura de sete a 10 dias. Então, se uma vez por semana, o morador eliminar todos os focos e larvas, esse ciclo não se conclui, diminuindo a proliferação.
– Se a pessoa tirar 10 minutos por semana para vistoriar o seu ambiente, seja sua casa ou seu local de trabalho, a gente consegue cortar o ciclo de vida do mosquito – disse, informando ainda, que o mosquito se mantém em lugares úmidos e escuros.

Advertisement

Por: Thaís Fraga

Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996