quarta-feira, 27 de maio de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Segmento de pequenos serviços ajuda quem trabalha fora

Segmento de pequenos serviços ajuda quem trabalha fora

Matéria publicada em 11 de novembro de 2018, 12:20 horas

 


Passear com cães, limpar panelas e preparar ‘papinhas’ para bebês são novidades oferecidas para quem tem a vida corrida

Preparar ‘papinhas’ para bebês está entre os pequenos serviços para ajudar quem trabalha fora

Volta Redonda e Barra Mansa – Quem trabalha fora sabe a dificuldade que é encontrar tempo para realizar algumas tarefas. Pensando nessas pessoas, alguns empreendedores vêm investindo no segmento de pequenos serviços que facilitem a rotina e o dia da dia de quem tem uma vida corrida. Entre os serviços que podem ser encontrados estão o preparo de “papinhas” para bebês até 24 meses, levar cães para passear e, até mesmo, limpar panelas cuja sujeira já parece não ter solução.
A empresária Michele Marins de Carvalho, pensando nas mulheres com crianças pequenas, apostou na produção de comidas especiais para esse público. Com o sucesso do negócio, hoje ela já faz entrega para clientes em Volta Redonda, Barra Mansa e também Resende.

-O que as mães mais relatam é a questão da praticidade das papinhas na vida delas, já que muitas trabalham. Sem falar as comidas possuem um diferencial no mercado devido ao meio de conservação, que é a vácuo e desenvolvido junto ao Sebrae, não tendo a necessidade de ser congelada por não terem conservantes. Com elas, as mães só precisam colocar o potinho na bolsa e levar para onde quiser: praias, viagens, shoppings, entre outros lugares, sem ter que manter em bolsas térmicas. É comida de verdade, tudo orgânico, sem sal e apenas com temperos naturais. Além das comidas também preparamos as porções de frutas, que também são orgânicas e não levam açúcar – explicou Michelle.

A média de custo de cada potinho é de R$ 10,00 e, segundo a empreendedora, o número de mamães interessadas no produto não para de crescer. A divulgação do produto, conforme conta Miclhelle, é feita em 90% pelas redes sociais e em parceria com blogueiras e outras páginas voltadas para mulheres e crianças.

-A venda das papinhas tem um número bem legal de clientes e o melhor é que as mães estão sempre me dando um retorno, inclusive com fotos dos bebês comendo. Isso eu prezo muito porque pode acontece do bebê não se adaptar, mas podemos afirmar que em 99% dos casos eles adoram. Tenho relatos até de mães que tinham dificuldade em alimentar a criança e que tem conseguido bons resultados com as papinhas – afirmou Michelle.

Por Roze Martins

Especial para o DIÁRIO DO VALE


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document