Segundo semestre será mais favorável para o comércio, afirmam lojistas

by Diário do Vale

Barra Mansa – Uma pequena queda na taxa de desemprego (de 13.1% para 12,4%), Dia dos Pais, troca de estação, Dia das Crianças e festas de final de ano. Todos esses fatores estão contribuindo para que empresários do ramo de varejo e prestação de serviços apostem em um segundo semestre mais favorável para esses setores, se comparado com os primeiros seis meses do ano. Um estudo realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 44% dos empresários apostam em um cenário econômico melhor do país até dezembro.
Conforme destaca o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Barra Mansa), Xisto Vieira Neto, somado aos fatores citados, o que também contribui para esse expectativa positiva é o fato de, no segundo semestre, o consumidor estar isento de tributos e despesas com IPVA, matrículas escolares, impostos em geral e acertos de contas de fim de ano. “A expectativa para o segundo semestre é sempre boa, uma vez que esse período chega com datas comemorativas importantes como o Dia dos Pais, Dia das Crianças e claro, o Natal”, disse o presidente, ao destacar que o aumento das vendas nesse período, se comprado com o ano passado, deve alcançar 8$.
Coma chegada dos Dias dos Pais, comemorado no próximo dia 12, Xisto acredita que os lojistas já poderão sentir os efeitos de melhora nas vendas. Segundo ele, essa é uma data que fortalece cada vez mais diferentes setores: varejo, gastronomia e turismo e que, de forma positiva, envolve um fomento na economia como um todo. “O Dia dos Pais coincide com um período de queima de estoques. E isso contribui e ainda incentiva o consumidor a buscar por mercadorias da nova estação, o que é um incentivo às vendas como um todo e não só para presentear. A expectativa de crescimento nas vendas de Dia dos Pais dever variar entre 3% e 5% em relação ao mesmo período de 2017”, observou o presidente.

Importante ter cautela
Ainda que esteja melhorando, a pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas revelou que a maior parte do empresariado ainda se mantém cautelosa em relação à lenta recuperação da economia brasileira. Dessa forma, 72% pensam em manter o número de colaboradores, somente 17% desejam ampliar seu quadro de pessoal durante esse período e outros 6% querem reduzir sua equipe de colaboradores.
– O lojista tem sempre que ter muita cautela, em todos os sentidos. Cautela em relação ao estoque, à segurança nas vendas, como a CDL vem reforçando cada vez mais essa importância a fim de evitar a inadimplência, e também em relação à capacitação, ou seja: estar com sua equipe preparada para um bom atendimento e o entendimento sobre o produto a fim de conquistar e principalmente fidelizar o consumidor nesse período de maior circulação nas ruas – disse acrescentou o presidente.
Segundo ele, a possibilidade da abertura de novas lojas no comércio de Barra Mansa também vem sendo avaliada com cautela por empresários, mesmo com a expectativa de crescimento da economia nos próximos meses. Mas, embora esse cuidado ocorra de modo geral, Xisto destaca que a aposta de muitos empresários tem sido a reformulação de layouts, o que segundo ele “traz uma “cara” nova na empresa para o cliente perceber essa renovação, essa atualização”.

– Isso tem sido uma tendência para dar ânimo dos lojistas e é uma prática que muitos empresários estão adotando. Minha loja mesmo, por exemplo, está passando por esse momento. Estamos mudando o layout da loja, mais uma vez, a fim de atender ainda melhor nosso público que gosta e valoriza esse tipo de investimento – disse o presidente.
Consumidor e comportamento
Conforme avalia o presidente da CDL, se o número de brasileiros desempregados continuar a cair, isso com certeza será muito positivo para que o comércio recupere consumidores que, hoje, estão inadimplentes. De acordo com Xisto,o consumidor nos últimos tempos mudou seu comportamento em relação ao desemprego e a todo o aperto econômico no qual os brasileiros viveram recentemente.
– Nas instituições bancárias, vimos muitas economias sendo mexidas, como a retirada de Poupanças, as prioridades em compras precisaram ser revistas, o consumo foi moderado. Com a queda do desemprego, com o controle financeiro da população sendo aos poucos reestabelecido, a tendência é que as dívidas sejam cada vez mais quitadas, renegociadas e o consumo – aos poucos – vá melhorando de forma mais efetiva até mesmo com pagamentos à vista e em parcelas menores –  aposta o presidente.
Para quem vive esse momento de inadimplência, Xisto alerta que é de extrema importância o consumidor: saber que o empresário, o lojista e o prestador de serviços, muitas das vezes, estão abertos para uma conversa para renegociar as dívidas e oferecer condições de quitação.
– A orientação da CDL e para que o empresário esteja sempre em contato e com relacionamento junto ao cliente para oferecer uma negociação nas dívidas e, com respaldo e ajuda da CDL, através do Banco de Dados do SPC Brasil estar bem informado sobre seu cliente e as formas de lidar com a segurança em suas vendas – finalizou o presidente;
Comércio já sente a melhora
Gerente de uma loja de calçados masculino, feminino e infantil, o comerciário Adalberto Silvestre Corrêa afirma que, ainda que esteja no início, ele já percebeu uma melhora no fluxo de vendas nesse segundo semestre. Ele também aposta no sucesso das vendas para os próximos meses e dá a dica para que os lojistas alcancem o resultado esperado.
– A melhora na economia conta muito para aumentar as vendas, no entanto, o mais importante é o lojista ter o diferencial de dar atenção e bom atendimento para fidelizar seus clientes. No ano passado, nessa época, as coias estavam mais difíceis, mas agora já deu para observar uma melhora. Vamos continuar trabalhando para que os resultados sejam os melhores possíveis, até o final do semestre – disse o gerente.
O empresário Paulo Sérgio Françoso de Ávila é outro que também está otimista. De acordo com ele apesar do alto índice de desemprego, sua loja de roupas e calçados masculinos e femininos e artigos infantis já teve, este ano, um crescimento de 22,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Para isso, ele conta que vem trabalhando forte com mídias sociais e desenvolvendo um trabalho, junto aos lojistas da cidade, com a abertura do comércio em domingos que antecedem datas especiais com diversas atrações culturais e esportivas.
– Estamos investindo, pois acreditamos que nos momentos mais difíceis e que também aparecem as melhores oportunidades. Para o segundo semestre nossa expectativa é a melhor possível porque viemos ao longo deste último ano prospectando a empresa para um futuro promissor. Temos um planejamento de crescimento para este segundo semestre em torno de 35% em relação ao ano anterior –  garantiu Ávila.

You may also like

1 comment

CEM Reais para votar, SEM investimento depois 5 de agosto de 2018, 22:23h - 22:23

Muita calma, gente! A situação do Brasil requer atenção e cuidado. Além de ser ano eleitoral (de muitas dúvidas quanto a investimentos), os gráficos do PIB e do ICOM – Índice de Confiança do Comércio está em ritmo de baixa, ambos divulgados pelo IBGE. A corretora Spinelli acaba de divulgar que a Taxa Selic pode subir ainda neste ano (depois das eleições, claro, tudo irá subir, até a inflação).

Parece que estão querendo induzir aos lojistas para investirem. Não entrem nessa com ôba ôba!

E como estamos em ano de eleições OS ELEITORES podem descartar qualquer candidato apoiado pelos lojistas e empresários. O último que apoiaram foi o Pezão e todos viram que ele destruiu as finanças do estado e ainda arrumou mais uma dívida de 3 bilhões de Reais para todos pagarem. Isto se transformará em mais impostos a partir de 2019.

Quantos aos candidatos aparecendo abraçados com padres, bispos, pastores e religiosos tbm todos viram o que deram. Dilma/Lula do lado do católicos, ela afastada e ele preso. Prefeito Crivella e Albertassi do lado dos evangélicos.

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996