SMS de Volta Redonda reforça importância do diagnóstico e tratamento de hepatites virais - Diário do Vale
terça-feira, 21 de setembro de 2021 - 22:50 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / SMS de Volta Redonda reforça importância do diagnóstico e tratamento de hepatites virais

SMS de Volta Redonda reforça importância do diagnóstico e tratamento de hepatites virais

Matéria publicada em 31 de julho de 2021, 12:55 horas

 


Unidades de Saúde oferecem testes rápidos para hepatites B e C; infecção atinge o fígado causando alterações leves, moderadas ou graves

Volta Redonda – Na semana de combate à hepatite, a Secretaria de Saúde de Volta Redonda reforça a importância do diagnóstico e tratamento das hepatites virais (B e C). A doença atinge o fígado causando alterações leves, moderadas ou graves, mas na maioria das vezes a infecção é silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas.

Em Volta Redonda, as 46 Unidades de Saúde (UBS e UBSF) oferecem testes rápidos gratuitos para o diagnóstico das hepatites virais, B e C, bem como sorologia, através de exame de sangue solicitado pelo profissional de Saúde. O resultado do teste rápido fica pronto em até 30 minutos e qualquer pessoa pode solicitar a realização na rede municipal de Saúde.

Anna Beatriz de Avellar Melo, responsável pela Área Técnica de Hepatites Virais do município, comentou que as hepatites virais são doenças silenciosas e às vezes só aparecem os sintomas na fase avançada. O diagnóstico é de suma importância, mas a falta de sintomas dificulta a procura do paciente para a realização do teste.

“A maioria das pessoas não apresenta sintomas, mas alguns sinais podem sinalizar o alerta para a hepatite, como febre; fraqueza; cansaço; mal-estar; dor abdominal; enjôo, náuseas; vômitos; perda de apetite; urina escura (cor de café) e icterícia (olhos e pele amarelos). Entretanto, mesmo com a ausência de sintomas a Secretaria recomenda que as pessoas procurem realizar o teste pelo menos uma vez ao ano”, disse.

O tratamento da hepatite é feito de acordo com cada paciente, segundo Anna Melo, a profissional de Saúde citou que há outras hepatites virais, porém na nossa região as B e C são as mais comuns.

“A hepatite Viral tipo C tem cura, por isso a importância do diagnóstico precoce. A hepatite B não tenha cura, mas tem vacina contra essa infecção é ofertada de maneira universal e gratuita no SUS para qualquer idade”, finalizou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document