segunda-feira, 16 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Sobe para nove o número de policiais mortos no Estado

Sobe para nove o número de policiais mortos no Estado

Matéria publicada em 4 de fevereiro de 2019, 08:28 horas

 


Cabo Sá Freire, lotado no 28° Batalhão (Volta Redonda), morreu em ação no bairro Retiro, na noite desta sexta-feira (Foto: Arquivo)

Volta Redonda e Rio de Janeiro – Com a morte do cabo Carlos Alberto Sá Freire Almada, de 39 anos, lotado no 28º Batalhão da Polícia Militar (Volta Redonda), no último sábado (2), sobe para nove o número de policiais mortos este ano, no Estado do Rio de Janeiro.

O militar foi assassinado com um tiro na cabeça, no bairro Retiro, em Volta Redonda, durante uma investigação sobre denúncia de tráfico de drogas. Os agentes ao chegarem ao local foram recebidos a tiros por criminosos. Uma das balas atingiu a cabeça de Almada, que foi levado para o Hospital São João Batista, mas não resistiu aos ferimentos. Um dos suspeitos de matar o PM foi preso no fim de semana. O policial, que estava há dez anos na corporação, deixa mulher e  uma filha.

Mortes 

O histórico das mortes de policiais, lotados no Sul Fluminense, revela que a maioria foi assassinada em confronto com bandidos. O caso mais recente foi do cabo Carlos Alberto Sá Freira Almada, de 39 anos, assassinado com tiro na cabeça, no último sábado (2), em confronto com criminosos, no Retiro, em Volta Redonda.

O policial foi à localidade apurar denúncia de tráfico de drogas. O mesmo ocorreu com o PM Deivid Ribeiro Silas, de 38 anos,  vítima de emboscada de criminosos, no dia 25 de setembro de 2018, no bairro Areal, em Barra do Piraí. Ele também estava investigando denúncia de ações criminosas quando foi atingido por tiros disparados por traficantes.

Em novembro de 2017, Eleonardo Silva, conhecido como “Léo”, de 31 anos, morreu na Santa Casa de Barra Mansa, onde foi socorrido após ser baleado por ladrões. O policial tentou evitar um assalto a um posto de combustível localizado na Avenida Presidente Kennedy, próximo a Vila Delgado, no bairro Ano Bom.  Na época, a quadrilha roubou R$ 20 mil do estabelecimento.

A soldado Fabiana de Souza, de 30 anos, que morava em Valença, foi outra vitima de bandidos que atacaram a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), no Nova Primavera, conjunto de favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio. Assim como Almada, Fabiana também foi sepultada em Valença.

Dados da Comissão de Análise da Vitimização Policial da corporação revelaram que no ano passado, 92 agentes foram assassinados, 43% a menos do que os registros de 2017, quando morreram 163 policiais.

Segundo a Comissão, do total de PMs mortos no ano passado, 24 – ou um quarto deles – estavam em serviço, 13 eram policiais reformados e 55 estavam de folga no momento do crime.

De acordo com o levantamento, mais da metade dos agentes da ativa assassinados fora de serviço foi vítima de assaltos ou reagiu a uma tentativa de roubo que testemunharam. A pesquisa revelou ainda que outros policiais assassinados no ano passado,  foram executados em emboscadas.  Outros oito foram mortos após brigas ou discussões.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Bandido só será levado a sério , Quando acabar a propinas e acabar com às boca de fumo . O governo tem que estatizar às empresas privadas e gerar empregos e salários . Aí podemos podemos fulminar esses bandidos . Agora um governo que só fala em privatização e destruição . Querendo apagar fogo com fogo só piorar a situação . Também um povo leigos em política …

    • Avatar

      Sábias palavras Wanuil…. Só brasileiro mesmo pra chamar esse Bozo de mito….Ao que tudo indica vai aumentar a desigualdade social e com isso a violência é consequência…. Família podre envolvidas com milícias….Com todos os erros do PT nao foi tirado o direito dos trabalhadores… Agora pelo visto pobre voltará a ser pobre…..

  2. Avatar

    Infelizmente é uma realidade que só tende a aumentar…O Brasil elegeu um presidente que é movido pelo ódio…Quer apagar fogo com gasolina, até agora só tomou medidas que em nada vai melhorar a vida das pessoas, liberação de armas,fim do ministério do trabalho,fim das aposentadorias,e por aí se vai…. Estamos voltando a época da Elite Capitalista…. Até o momento nao se falou em um plano sério de Educação… Enquanto as escolas estiverem sucateadas teremos a violência a nossa vida….. Envolvimento com milícias e por aí se vai….. Até a múmia do Henrique Meirelles seria melhor que esse Bozo….

  3. Avatar

    Esperando até agora os snipers agirem!

  4. Avatar

    Acho que esta faltando mais cautela por parte dos policiais. Os bandidos não estão sendo levados a serio por eles. Foi o tempo que nossa região era dominada por “projetos de bandidos”. Eles estão mais ousados e muitos tem vindo de fora. Mais atenção guerreiros, cautela.

  5. Avatar

    Em nenhuma outra profissão no Brasil se morre tanto! Devemos valorizar e cobrar nossas autoridades para que valorizem nossos policiais.

Untitled Document