domingo, 19 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Sul Fluminense na 17ª Semana Nacional dos Museus

Sul Fluminense na 17ª Semana Nacional dos Museus

Matéria publicada em 14 de maio de 2019, 09:00 horas

 


Programação, que teve início ontem (13), segue até o dia 19; tema deste ano é “Museus como Núcleos Culturais: O Futuro das Tradições”

Evento é realizado anualmente em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, 18 de maio

Nesta segunda-feira, dia 13, teve início mais uma Semana Nacional dos Museus. Em sua 17ª edição, o evento acontece em 1.114 instituições de cultura de todo o país oferecem ao público 3.222 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes e muito mais. O Sul Fluminense está incluído na programação, com atividades em diversas cidades como Resende, Angra dos Reis, Vassouras, Volta Redonda e muito mais.
A Semana Nacional dos Museus é organizada anualmente Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, celebrado em 18 de maio. Com o tema “Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições”, a edição deste ano propõe um debate sobre o papel dos museus como centros emanadores e, igualmente, receptores de práticas, costumes e pensamentos de nossa cultura.
Em Resende a programação começa na quinta-feira, dia 16, com a abertura da exposição ‘Ocupa MAM’, às 18h. A mostra – que ficará disponível no Museu de Arte Moderna de Resende – comemorará o dia do Artista Plástico, data celebrada no dia 8 de maio. A visitação poderá ser feita até 06 de junho, de terça a sexta, das 10h às 18h. A entrada é gratuita.
O ‘Ocupa MAM’ é um movimento cujo objetivo é aproximar o museu das produções espontâneas da população de Resende, dando abertura para que artistas amadores e profissionais possam estar juntos no mesmo ambiente, gerando novas experiências e novos contatos. O caráter libertário deste evento é uma tendência encontrada em museus de arte moderna por todo o mundo desde o final dos anos 60, e o MAM de Resende não se afasta das tendências contemporâneas de artes.
Com o tema proposto pelo Ibram, 31 artistas aderiram à chamada pública proposta pelo MAM de Resende e inscreveram suas obras na exposição. O público que for conferir a mostra poderá apreciar quatro esculturas e 27 quadros elaborados com diversas técnicas como acrílica e óleo sobre tela, termomoldagem, lapidação, cerâmica, calcagravura, esmalte sintético sobre placa de vidro, desenho com giz de cera.
De acordo com a direção do MAM, um grupo bastante peculiar participará da exposição. Oito idosos do Asilo Nicolino Gulhot, de Resende, que usam a pintura como terapia ocupacional na casa de repouso poderão expor suas produções no museu. Na noite de abertura, no dia 16 de maio, haverá uma apresentação de alunos do projeto ‘Dança & Magia’.
Já em Angra dos Reis, a programação contará com exposição, roda de conversa e oficinas. Um dos destaques é a mostra “Milagre que fez – ex-votos de Angra dos Reis, fé, arte e tradição”, que foi aberta nesta segunda-feira (13) e vai até 5 de agosto. O termo “ex-voto” é uma abreviação latina de “ex-voto suscepto” – o voto realizado, usado para designar formas de agradecimento a determinada divindade por uma graça alcançada. São diversos os tipos de objetos, tais como estatuetas, placas e imitações de partes do corpo humano. Os materiais variam, podendo ser confeccionados em barro, madeira ou cera.
Angra dos Reis conta com uma coleção de ex-votos bem característicos, datados dos séculos XIX e XX. São pequenas tábuas recortadas lembrando oratórios onde se pintavam partes do corpo afetadas por doenças ou o próprio enfermo em seu leito. Em algumas placas foram representados somente os olhos, adornados por uma espécie de máscara. Os pedidos e agradecimentos eram escritos em papel e colados sobre a tábua abaixo do desenho, sempre com a frase inicial “Milagre que Fez”. São Benedito, Santa Luzia e Nossa Senhora da Conceição dos Remédios são os santos homenageados e a confecção das placas era executada por artesãos locais anônimos.
Nesta exposição, além das placas votivas, o visitante poderá conhecer esculturas dos santos e santas que são referências da fé Católica Romana em Angra dos Reis, bem como outras manifestações de gratidão que fazem parte das tradições locais.
Vassouras também participa da programação. Um dos espaços que estão incluídos na Semana é o Museu Casa da Hera, que elaborou exposições temporárias especiais – que vão do dia 14 a 19 de maio) – e apresentações de grupos tradicionais da região.
Uma das exposições é “ O Vale duas Tradições”, que resgata a memória das tradições culturais, valorização do nosso patrimônio imaterial. Já a outra é “Tradições de Atividades e eventos no Museu Casa da Hera”, uma mostra com recorte temporal de várias atividades realizadas na unidade desde 2010, valorizando exatamente a temática de preservação das ‘Tradições’. A programação na instituição encerra no dia 18, às 14h, com apresentações de Capoeira, Folia de Reis, Caminha Verde e Desfile de Bonecões.

Sobre o tema

“Haja hoje para tanto ontem.
E amanhã para tanto hoje.
Sobretudo isso.”
Paulo Leminski

A construção poética de Paulo Leminski convida-nos para um salto criativo no trampolim do tempo. Em boa medida, a sua poesia ilumina a compreensão de que a imaginação tem potência suficiente para não ser prisioneira do tempo. Vinda do passado a sua poesia explode no presente e se projeta no futuro com extraordinária capacidade de intervenção criativa.
A construção poética de Leminski indica que todo tempo é intenso e tenso. Mesmo havendo muito hoje não será possível dar conta de todo o ontem. Mesmo havendo muito amanhã não será possível dar conta de todo o hoje; pois, por mais que possam existir permanências, cada tempo é pleno de singularidades e nele não há espaço para repetições.
A poesia de Leminski propicia um diálogo criativo com o tema: Museus como núcleos culturais: o futuro das tradições, proposto pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM) para as comemorações do dia 18 de maio, celebrado como o Dia Internacional dos Museus. No Brasil, em maio de 2019, como já é tradição, vamos comemorar inspirados neste mesmo tema, em diálogo com permanências, singularidades e inovações, a 17ª Semana Nacional de Museus. Trata-se de um momento propício para fomentar debates no campo museal, para estimular a realização e o desenvolvimento de projetos e atividades museológicas que podem ser de curta, média ou longa duração.
Pensar os museus como núcleos ou centros culturais não constitui novidade; desde os anos de 1970 este tema tem sido trabalhado. A rigor, todo e qualquer núcleo ou centro existe em relação, ou seja, a sua existência está condicionada ao que lhe é externo. As relações entre centro e circunferência, centro e periferia, transmissão e recepção, irradiação e concentração são indissociáveis. Além disso, todo e qualquer ponto periférico pode se transformar em centro.
A ideia de núcleos culturais é dependente da noção de cultura com que se trabalha. Entre a perspectiva antropológica que considera a cultura como a totalidade da herança social e a noção de cultura como belas artes ou saber erudito há um mundo de diferenças. O que ocorre com a cultura, ocorre também com a palavra tradição, para a qual não há um sentido único. Existem tradições e tradições. No Brasil existem povos indígenas e quilombolas com tradições milenares, mas também existem tradições inventadas, tradições progressistas e tradições conservadoras, tradições que se opõem à vida e outras que valorizam a vida. Para nós que atuamos no mundo dos museus a vida social, a vida em relação e a vida biológica são limites intransponíveis. O futuro da tradição é preservar a vida!

Serviço:
A 17ª Semana Nacional de Museus – “Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições”, que teve início nesta segunda-feira, dia 13, segue com programação oficial até domingo, dia 19. Confira estas e outras atividades desenvolvidas durante o evento no site oficial, que em formato ‘Busca Rápida’ permite ao usuário encontrar atividades por Estado, Cidade, Museu ou Palavra-chave. Como resultado da busca, além da programação definida, há ainda o endereço da instituição assim como os contatos de telefone e e-mail. Confira http://programacao.museus.gov.br/


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document