terça-feira, 28 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Suspeito de comprar notas falsas é preso em Resende

Suspeito de comprar notas falsas é preso em Resende

Matéria publicada em 5 de dezembro de 2019, 12:42 horas

 


Esta é a segunda prisão em uma semana; até o momento, R$ 2 mil em notas falsas foram apreendidas pela PF

R$ 2 mil em notas falsas foram apreendidas pela PF (Foto: Cedida pela PF)

Sul Fluminense – Uma pessoa foi presa por agentes da Polícia Federal de Volta Redonda, nesta quarta-feira (04), em Resende, após ser pega em flagrante, recebendo notas falsas por encomenda, via internet. Essa é a segunda prisão realizada em uma semana pelos agentes, já que no dia 28 de novembro, outra pessoa também foi presa pelo mesmo motivo. Até o momento, a quantia de R$ 2 mil em notas falsas, foi apreendida. A identidade dos suspeitos não foi revelada.

Em entrevista ao DIÁRIO DO VALE, Pedro Paulo Simão da Rocha, delegado de Polícia Federal de Volta Redonda, responsável pelas investigações, disse que um dos suspeitos efetuou a compra de R$ 1 mil em notas falsas, com apenas R$ 200,00.

Perguntado se existe a possibilidade de as notas estarem sendo ‘fabricadas’ na região, o delegado informou que não descarta a hipótese, mas acredita que as notas estejam sendo trazidas para a região.

– As investigações seguem em sigilo. O que podemos afirmar é que em uma semana, conseguimos prender duas pessoas em Resende. Essas notas estão vindo de fora e estamos tentando localizar a origem – disse.

Ainda segundo Pedro Paulo, um dos fatores que pode estar motivando esta prática, é o aumento das vendas no comércio neste período do ano.

– Nessa época do ano, com a chegada do natal, por exemplo, o movimento no comércio aumenta de forma significativa. Com isso, os comerciantes não se atentam, se tornando mais vulneráveis a serem vítimas desse tipo de golpe – explicou.

Comércio

O DIÁRIO DO VALE entrou em contato com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda, onde informou que até o momento, nenhum comerciante deu queixa sobre o assunto. Segundo Gilson Castro, presidente da CDL-VR, os comerciantes devem verificar, durante o recebimento das notas, itens de segurança, como marca d’água e códigos de segurança. E, se percebem qualquer alteração, devem entrar em contato com a polícia para registrar o fato.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document