>
sexta-feira, 27 de maio de 2022 - 16:48 h

TEMPO REAL

 

Capa / Intervenção no Rio / Temer anuncia criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública

Temer anuncia criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública

Matéria publicada em 17 de fevereiro de 2018, 15:00 horas

 


Rio – Após reunião realizada hoje (17) no Palácio Guanabara, sede do governo do estado do Rio de Janeiro, para tratar da intervenção militar no estado, o presidente da República, Michel Temer, anunciou a criação do Ministério da Segurança Pública. Ele não respondeu perguntas da imprensa e não falou quem assumiria a nova pasta. As informações são da Agência Brasil.

“Nós não vamos parar por aí. Muito brevemente, na próxima semana ou na outra no mais tardar, eu quero criar o Ministério Extraordinário da Segurança Pública, que vai coordenar a segurança pública em todo o país, evidentemente sem invadir as competências de cada estado federado”, disse o presidente.

Temer destacou a união de esforços e a concordância do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, com a intervenção. “A situação do Rio de Janeiro cria também problemas em outros estados, porque se as coisas desanda aqui a tendência é desandar no resto do país”, acrescentou.

Participaram do encontro o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; e da Secretaroa-Geral da Presidência da República, Moreira Franco; o general  Walter Braga Netto, nomeado interventor da área de segurança publica no estado; e outros oficiais militares. Eles trataram do planejamento da intervenção militar que foi determinada em decreto presidencial assinado ontem (16).

O secretário de estado de segurança Roberto Sá foi afastado do cargo e o general Walter Braga Netto será, na prática, quem cuidará de todas as questões ligadas à segurança pública. O decreto já está em vigor mas precisará ser confirmado pelo Congresso para seguir valendo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Ponto 1: esse general poderá interferir nas nomeações dos cmt de batalhões e coibir a corrupção da polícia?
    Ponto2: o poder judiciário dará suporte para as ações dos militares ou ficará do lado da bandidagem?
    Ponto 3: fuzil é arma de guerra portanto o enfrentamento deverá ser na mesma moeda.

  2. Interessante: Com este novo ministério, a PF passa a responder diretamente para o “presidente”. Adeus lava-jato.

  3. Bela ocasião para fazer um plebiscito para estabelecer a pena de morte e a legalização do aborto.

  4. Competente é o molusco, a madame mim e o cabrocha.

  5. Depois fala que a previdência que quebra o país.

  6. Concordo com o emir, o que faz a diferença no Rio é o poder de fogo da bandidagem. E são e armas e munições que chegam através das fronteiras, principalmente com Paraguai, Bolívia e até Argentina e atravessam no mínimo 2 outros estados até chegar ao RJ ou ainda pelo mar. Sobre isso os ministros da Defesa e da Justiça nada falam.

  7. Esse incompetente do Temer está aproveitando a violência no Rio, para criar mais um cabide de emprego para seus amiguinhos. Se um ministério fosse resolver o problema da violência, o governo dele seria um esmero de eficiência, pelo tanto de ministério que tem e, muito pelo contrário, nunca se viu o nosso pais numa situação tão vexatória em todos os sentidos. Nos sentimos humilhados por sermos brasileiros. Hoje eu estava vendo um programa na televisão mostrando comunidades brasileiras na Líbia, quando moça, que mora a poucos quilômetros da Síria,disse que não vem ao Brasil com medo da violência. A moça tem mais medo da violência no Brasil do que a da guera. Vergonhoso a que ponto deixaram nosso país chegar.

  8. Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

    O que mais chama a atenção no Rio é o poder de fogo dos bandidos e sua ousadia…

  9. Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

    Em Fortaleza, cidade 3x menor que o Rio, matou-se muito mais no Carnaval do que aqui. O Rio não aparece no ranking das cidades mais violentas do país…

    É insegura? Sim! Algo tem que ser feito? Tem!… A questão é que o Rio não é a única cidade brasileira com problemas de violência. O que pretendem fazer em Recife, Maceió, Fortaleza, São Luís, Manaus, Belém, Vitória, Salvador, isso sem contar as regiões metropolitanas, que em muitos casos suplantam os índices das capitais, e em cidades litorâneas do interior, como Macaé e Angra dos Reis, que são a meca do banditismo?…

Untitled Document
close