terça-feira, 4 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Política / ‘Temos de entregar uma cidade melhor’, diz Diogo Balieiro no aniversário de Resende

‘Temos de entregar uma cidade melhor’, diz Diogo Balieiro no aniversário de Resende

Matéria publicada em 29 de setembro de 2019, 08:30 horas

 


Diogo Balieiro e o vice Geraldo da Cunha durante a inauguração de um posto de saúde
(Foto: Divulgação)

Resende celebra hoje 218 anos de emancipação e desde sexta-feira respira os ares da Exapicor, que se tornou a maior festa pública do Sul Fluminense. São cerca de dez dias de festa, com muitas atrações nacionais e regionais. O prefeito Diogo Balieiro Diniz afirmou que a cidade vive um momento especial, com a Saúde Pública eleita entre as melhores do país em duas avaliações distintas e com a Educação em alta, além de estar com muitas obras públicas e privadas em andamento. Diogo ressaltou o estudo do Ranking Connected Smart Cities 2019, que apontou Resende entre as 50 cidades com maior potencial de crescimento no país. No entanto, fez uma ressalva: “Há muito o que fazer, pois temos de entregar uma cidade cada vez melhor”. E destacou que o momento é de trabalhar, sem olhar para o período eleitoral.

DIÁRIO DO VALE – Resende comemora neste domingo 218 anos de emancipação e a prefeitura preparou uma grande festa, através da programação da Exapicor e com inaugurações. Há o que comemorar?

Diogo Balieiro – O aniversário da cidade já é mais que uma boa razão para celebração, mas felizmente chegamos a este domingo com bons motivos para celebrar. Em agosto, nosso serviço de Saúde Básica foi apontado entre os melhores do Estado pelo Programa Estadual de Financiamento da Atenção Primária à Saúde (PREFAPS). Uma avaliação independente, que indica a boa aplicação dos recursos recebidos e seu retorno à população.
Neste mês de setembro, uma outra avaliação independente, o Ranking Connected Smart Cities 2019, feito pela consultoria Urban Systems, colocou a Saúde de Resende como a oitava melhor do país. Temos a melhor perspectiva de governança do Sul Fluminense e a sexta do estado. Nossa Educação ficou como a segunda melhor da região. Resende teve ainda neste ranking a liderança regional nos indicadores de Meio Ambiente e de Urbanismo. Com isso, a Urban Systems classificou Resende entre as 50 melhores cidades do país em potencial para o desenvolvimento. Isso em uma avaliação com mais de cinco mil municípios.
Isso é muito importante, pois indica que estamos trabalhando muito no presente e no rumo certo para deixar uma boa perspectiva para o futuro.

DIÁRIO DO VALE – Como foi possível atingir estes índices, principalmente na Saúde, uma área sempre tão contestada?

Diogo Balieiro – Temos de destacar que esses índices são motivos de grande orgulho, mas a avaliação mais importante vem de quem usa os serviços. De nada adiantaria ter esses números se as pessoas não estivessem sendo melhores cuidadas agora do que antes de nosso governo. Felizmente, há essa percepção de melhora quando andamos nas ruas da cidade. Ao mesmo tempo, o contato com a população nos deixa uma certeza: há muito o que fazer, muito por trabalhar ainda.
Quando assumimos o governo, tínhamos ciência das dificuldades que viriam pela frente, a escassez de recursos era uma certeza. Então, a ordem foi aplicar uma gestão eficiente, sem desperdícios. Fazer mais com menos era nossa obrigação. Nós conseguimos recuperar a Santa Casa, estamos reformando o Hospital de Emergência e estas duas unidades estão ainda sendo modernizadas em todos os aspectos. Já entregamos mais de dez postos de saúde reformados, ampliados. Outras tantas unidades já receberam novos equipamentos.
Desde 2017, aumentamos a cobertura do Programa de Saúde da Família em Resende de 68% para 83%. A meta de nossa equipe é que até o final de 2020 estaremos perto de 100%. Não há mágica para isso. Foi gestão, aplicada a partir de uma equipe muito comprometida e dedicada a fazer o melhor pela população de Resende.

DIÁRIO DO VALE– Quais foram as maiores dificuldades encontradas em 2017?

Diogo Balieiro – Resende estava com as contas rejeitadas e com uma dívida grande. Nós tínhamos duas opções: ficar reclamando da situação ou trabalhar para mudar esse quadro. Escolhemos trabalhar e não ficamos perdendo tempo falando do passado. Isso foi fundamental, pois nossa equipe passou a trabalhar no presente mirando o futuro.
Em 2017, nos afundamos dentro dos gabinetes em planilhas, gráficos e contas. Ajustamos a máquina pública e foi um ano em que pouco consegui ir às ruas, que é o que realmente gosto de fazer. Mas foi um trabalho fundamental, pois as melhorias de agora são frutos desse trabalho técnico de organização das finanças e da administração.
Mesmo com isso, no primeiro ano demos início a projetos importantes, como a reforma da Santa Casa e ao “Revitaliza Resende”. Era até engraçado, pois tinha pouco dinheiro e quase tudo era feito na base de mutirões. Pintamos escolas, arrumamos canteiros, praças. Com a situação melhor em 2018, ampliamos essas ações. Hoje, Resende tem uma agenda pública positiva em todos os setores da administração pública. Ressaltando sempre que melhorou, mas que ainda temos muito a fazer.

DIÁRIO DO VALE – O funcionalismo público de Resende este ano voltou a ter reajuste salarial. Também é fruto deste trabalho de equilíbrio das contas?

Diogo Balieiro – O funcionalismo é um bom exemplo de tudo isso que falamos. Melhorou, mas ainda tem muito para fazer. Nós reajustamos os salários de todos os servidores municipais de carreira, mas excluímos cargos comissionados, secretários, prefeito e o vice. O aumento geral foi de 3%, mas os valores subiram até 41% para muita gente.
Quando assumimos, aproximadamente 1800 funcionários recebiam abaixo do salário mínimo, em um processo de defasagem que se arrastava há quase 10 anos. Então, decidimos equiparar o salário deles ao valor de R$ 998,00 (atual mínimo nacional). Além dessa melhoria, eles também receberam o acréscimo de 3% a esse salário base. Essa equiparação melhora também todos os benefícios que têm como cálculo o salário base, como por exemplo os anuênios e triênios. Com isso, entre reajuste e correção, o aumento pode chegar a até 41% para esta parcela dos servidores. Ou seja, Servidores que recebiam, por exemplo, R$727 passaram a receber R$998 mais 3% de reajuste, o que equivalerá a R$ 1.027, isso sem considerar as verbas adicionais.
Nós conseguimos ainda implantar o Piso Nacional do Magistério, colocamos o piso nacional para os agentes de saúde e estamos melhorando a estrutura física dos prédios municipais, modernizando as repartições. Estamos fazendo o possível para que o servidor tenha seus direitos reconhecidos e que os serviços oferecidos para a população sejam melhorados. É o que falamos sobre equilibrar as ações.

DIÁRIO DO VALE – Como diria que está a relação entre o prometido em campanha e o realizado até o momento, com quase três anos de governo?

Diogo Balieiro – Nós temos dois grandes compromissos com nossa população. Temos de entregar uma cidade melhor a cada ano de gestão e não cair na velha política. Neste sentido, estamos trabalhando para tornar Resende uma cidade cada vez melhor para se viver, investir, passear. Melhoramos a Saúde, mas avançamos muito também na Educação, com 16 unidades escolares revitalizadas. Desde 2017, nós já contabilizamos mais de 400 novas vagas somente em creches municipais. Essa é uma reivindicação constante.
Demos início às obras para construção do nosso Hospital Veterinário, entregamos o asfaltamento da estrada de acesso ao bairro Jardim do Sol, assim como estamos perto de entregar a estrada Surubi-Bulhões totalmente pavimentada. Inauguramos recentemente o Centro Municipal de Educação Infantil de Visconde de Mauá. Estamos conseguindo cumprir com tudo aquilo que falamos.
O mais importante, no entanto, é que mantemos e vamos manter sempre a promessa de fazer uma gestão comprometida, inovadora e sem os velhos vícios da política antiga. Nós implantamos uma “política que trabalhar com gestão” e não uma “gestão que trabalha por política”. Esse foi o maior compromisso assumido com a população e que vamos seguir à risca. Não basta ser “o novo”, temos de agir de maneira diferente.

DIÁRIO DO VALE – Ano que vem tem eleição municipal. O prefeito pensa em disputar a reeleição? Já tem articulações em andamento neste sentido?

Diogo Balieiro – Nós temos muito ainda que trabalhar até o dia 31 de dezembro de 2020 e até lá o foco tem de ser esse. Não adianta pensar em eleição ou reeleição sem ter cumprido com nossas obrigações. Temos de ter consciência de que nosso trabalho vai até o último dia do ano que vem. Fomos eleitos para trabalhar.
Por outro lado, é natural que quem esteja fora do governo tenha esse foco maior no período eleitoral e de certa forma isso acaba gerando conversas em alguns setores. Ninguém de nossa equipe está proibido de falar sobre eleição, mas tem de ter na cabeça que o foco é atender a população. Este é o exemplo que eu e o nosso vice-prefeito Geraldinho estamos buscando dar. O momento agora é de trabalhar, trabalhar e trabalhar. Acredito que na hora certa poderemos falar de eleição com mais propriedade, dentro do período eleitoral. Agora não é hora disso, não.

DIÁRIO DO VALE – Com isso, o que a população pode esperar para o restante de 2019 e para o último ano de governo?

Diogo Balieiro – Temos muitas obras em andamento para entregar, outras tantas para iniciar, assim como projetos importantes para tocar. Atingimos um nível muito bom na saúde, por exemplo, mas temos de manter e melhorar isso. Neste sentido, temos pelo menos cinco postos de saúde em obras. Outras três escolas também têm serviços em andamento. Queremos aumentar os atendimentos na saúde, mas também aumentar as vagas para alunos na Educação. Isso a população terá, com certeza.
Também temos obras de infraestrutura importantes em andamento, como a Estrada Surubi-Bulhões. Outras são de menor porte, mas igualmente importantes, como a Praça do Jardim do Sol. Na Cultura, implantamos projetos que acontecem o ano todo, como o “Música na Feira”, as exposições. Tem muita coisa boa por vir.

DIÁRIO DO VALE – Uma grande preocupação de todo prefeito é com relação à segurança pública. Mesmo sendo uma atribuição do Governo do Estado, é possível que a prefeitura ajude. O que está sendo feito em Resende?

Diogo Balieiro – A violência é um problema que atinge todos e não podemos ficar inertes, independente da posição que ocupamos. Qualquer cidadão pode ser útil no combate à violência, ainda mais um prefeito. Nós aumentamos o número de câmeras de segurança espalhadas pela cidade e reforçamos o Centro de Monitoramento, que hoje conta com um Guarda Municipal e um Policial Militar 24 horas por dia vigiando os monitores.
Em parceria com a Polícia Militar, nossa guarda e o pessoal da fiscalização age para tornar as noites da cidade mais ordeiras e seguras. Em tudo aquilo que podemos ser úteis, seremos. Estamos inteiramente à disposição das forças de segurança para ajudar. Pessoalmente, já fui em busca de reforços de pessoal e de viaturas para nosso batalhão. E acredito muito no potencial dos nossos policiais civis e militares para darem conta do recado.
Com isso em andamento, conseguimos em 2019 reduzir os índices de criminalidade em nossa cidade. No entanto, sabemos que a situação ainda tem muito que melhorar.

DIÁRIO DO VALE– Que mensagem deixa para o cidadão de Resende que vai comemorar o aniversário da cidade?

Diogo Balieiro – Que todos amem e se orgulhem de nossa cidade. Sobretudo, que nos ajudem a cuidar de Resende, pois a cidade é de todos nós e é o lugar que deixaremos para as gerações futuras. Que no futuro, as pessoas possam olhar para o ano de 2019 e dizer que foi um grande ano para nossa história.
E para marcar esse momento, preparamos uma grande festa na Exapicor. Vamos todos aproveitar muito, levar as famílias e respeitar as famílias que lá estiverem. Essa é a maior festa pública do Sul Fluminense, com grandes atrações e atividades que contemplam todos os gostos. Então, vamos aproveitar e exaltar nosso carinho por Resende.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Finalmente terminou as Obras da Creche Municipal em Visconde de Mauá. Povo não estava entendo porque de tanta demora para finalizar essa obra até porque quando o prefeito assumiu mais de 80% da obra já estava concluída. Mas de qualquer forma o povo de Mauá e Lote-10 agradece! Parabéns para o povo que foi pra manifestação em Mauá na época do governo Rechaun pedir a construção da creche.

Untitled Document