Uma jornada de superação: a formatura de Isabella e o milagre da cura

A história inspiradora de Isabella, que superou a Doença de Wilson e se formou em medicina com a força da fé e do amor

by Agatha Amorim

Sul Fluminense – No dia 26 de março de 2024, a imagem de Isabella, uma jovem lutando para se manter equilibrada e em pé, com dificuldade na fala e uma fadiga extrema que a impossibilitavam de caminhar sozinha, parecia um retrato cruel de um futuro incerto. Mas, através da fé e do apoio inabalável de sua família, Isabella conseguiu superar esses desafios. Em sua formatura, ela estava deslumbrante em seu vestido, demonstrando que essa celebração era mais do que a conquista de um diploma, mas a consagração de uma jornada de superação e fé. Este relato serve como inspiração para muitos, motivando a todos a acreditarem em seus sonhos e a lutarem por seus ideais.

 

O desafio da Doença de Wilson

A jornada de Isabella começou aos onze anos, quando foi diagnosticada com a Doença de Wilson, uma condição genética rara que impede o corpo de eliminar corretamente o excesso de cobre. Este acúmulo pode causar danos graves em órgãos vitais como o fígado e o cérebro, tornando-se um grande desafio para ela e sua família. A descoberta precoce da doença foi um verdadeiro milagre, desencadeando uma busca incessante por um tratamento adequado, que envolveu inúmeras viagens, exames e orações.

A Doença de Wilson é um distúrbio genético que impede o corpo de eliminar o cobre ingerido através da alimentação. Em indivíduos saudáveis, o cobre é processado pelo fígado e eventualmente eliminado. No entanto, em pessoas com a Doença de Wilson, a ausência da enzima ATP7B causa um acúmulo de cobre, levando a danos significativos no fígado e no cérebro.

A descoberta e a luta

A descoberta da doença de Isabella foi quase milagrosa. Inicialmente, ela apresentava dores de cabeça crônicas, e durante uma consulta de rotina, seu pediatra detectou que seu fígado e baço estavam dilatados. Exames laboratoriais revelaram enzimas hepáticas alteradas, e após uma série de investigações, chegou-se ao diagnóstico de Doença de Wilson. Esse diagnóstico trouxe medo e insegurança, devido à raridade da doença e à falta de informação e médicos capacitados para tratá-la.

A jornada de tratamento de Isabella foi marcada por fé e resiliência. Durante momentos críticos da doença, a fé de sua família foi testada, mas eles continuaram a buscar a graça e o favor de Deus. Após meses de tratamento sem melhorias significativas, os médicos sugeriram um transplante de fígado. No entanto, um novo exame revelou uma melhora milagrosa nos resultados de Isabella, evitando a necessidade do transplante e permitindo que ela continuasse o tratamento com uma medicação mais simples. Essa cura foi recebida com gratidão e vista como um verdadeiro milagre.

 

O momento da virada

Durante o curso de medicina, Isabella manifestou o desejo de morar nos Estados Unidos para se dedicar à obra de Deus. Contudo, após um mês, ela decidiu retornar ao Brasil, sentindo-se chamada a concluir seus estudos. Esse período foi de grande insegurança, mas a certeza do chamado divino a manteve firme. A crença de que seu diploma seria o passaporte para pregar a palavra de Deus e ser um instrumento de cura e milagres deu a ela a força necessária para enfrentar os desafios.

Visualizar Isabella entrando em sua formatura, caminhando sozinha e deslumbrante, era um sonho constante. A fé tem um poder transformador, e ver com os olhos da fé manteve a esperança viva. Cada detalhe desse momento foi preparado com cuidado, celebrando a vitória ao lado dela. Isabella nasceu com o DNA da cura, e seu chamado na medicina será marcado pela sensibilidade de quem viveu a doença na própria pele.

 

A transformação de Isabella

Hoje, ao vê-la formada, é impossível não lembrar da mãe que chorou, se desesperou e subiu ao monte em busca do milagre. A filha transformada pela fé é um testemunho de que milagres acontecem e que a fé pode mover montanhas. A jornada de Isabella e sua formatura são símbolos de esperança e inspiração para todos, demonstrando que com fé e perseverança, tudo é possível. Que esta história inspire a todos a seguirem em frente, mesmo diante dos desafios, e a acreditarem que, com fé e determinação, qualquer sonho pode ser alcançado.

Renata Pançardes é nutricionista, com especialização em fitoterapia e nutrição clínica, com especialização em nutrição comportamental, Eneagrama, Hipnose clínica. Formada em Coaching pela Sociedade Brasileira de COACHING. Cursou Coaching Sistêmico pela Febracis e de Mindful Eaating. Diretora do jornal Diário do Vale e idealizadora do Diário Delas.

You may also like

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996