segunda-feira, 17 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Universitários promovem festa para comemorar o Dia do Idoso em Resende

Universitários promovem festa para comemorar o Dia do Idoso em Resende

Matéria publicada em 1 de outubro de 2018, 18:39 horas

 


Diversas atividades recreativas foram feitas por universitários no Asilo Nicolino Gulhot

Resende – Os idosos do Asilo Nicolino Gulhot, em Resende, tiveram na tarde de domingo, 30, uma comemoração antecipada em homenagem ao Dia do Idoso. O tema da festa foi primavera e contou com a participação de alunos voluntários da Universidade Estácio de Sá, nas atividades recreativas para os mais velhos.
A data é, na verdade, comemorada no 1º de outubro, porém a assistente social Cristina Rodrigues, 48 anos, informou que no domingo mais pessoas poderiam participar da festa. Os idosos, com auxílio, confeccionaram flores de papel crepom, o lanche natural colorido foi montado por eles.
– O resultado foi surpreendente. Tudo isso graças à ação dos voluntários da Estácio. Muito respeito à dignidade e ao processo de envelhecimento – contou Cristina.
Ela disse ainda que todos os institucionalizados participaram da festividade. Cristina, que também é professora na universidade, através de um projeto para desenvolver a sensibilização sobre às necessidades socioemocionais da pessoa idosa, aproveitou a oportunidade para convidar os alunos a participar do evento.
O direito dos idosos de ter prioridade em diferentes serviços, e outras garantias, ficou amplamente conhecido depois do Estatuto do Idoso, que completa 15 anos de vigência nesta segunda-feira (1º).
Criado pela Lei 10.741, em 1º de outubro de 2003, quando o Brasil tinha 15 milhões de idosos, o estatuto trouxe, de forma inédita, princípios da proteção integral e da prioridade absoluta às pessoas com mais de 60 anos e regulou direitos específicos para essa população.
-Foi a primeira legislação que de fato passa a regular os direitos humanos das pessoas idosas. Eu trabalho na área de envelhecimento há quase 40 anos e, na época, nós éramos um dos países que não tínhamos uma legislação que permitisse penas e sanções administrativas para aqueles que praticassem maus-tratos e violência – relata Laura Machado, representante da Associação Internacional de Gerontologia e Geriatria na ONU e membro do conselho do HelpAge Internacional.
A partir do estatuto, pela primeira vez, negligência, discriminação, violência de diferença tipos, inclusive a financeira, e atos de crueldade e opressão contra o idoso foram criminalizados e hoje são passíveis de punição. O estatuto também aumentou o conhecimento e a percepção dos idosos sobre seus direitos.
-O idoso hoje sabe que não pode ser uma voz passiva, que tem direitos assegurados, isso está muito mais disseminado pela população como um todo. E não é só em relação a ter preferência na fila ou ter uma vaga para encostar o carro. Isso melhorou, mas acho que as pessoas se sentem mais empoderadas e cientes dos seus direitos – diz Alexandre Kalache, epidemiologista especializado em envelhecimento.

Por: Gabriela Batista com  Débora Brito – Repórter da Agência Brasil

Direito de prioridade em diferentes serviços ficou amplamente conhecido depois do Estatuto do Idoso
Foto : ( Marcelo Camargo – Agência Brasil )

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Como pode milhões foram gastos naquela obra para agora deixarem ser invadida. E ninguém tomou providências nem o prefeito da Cidade.
    A OBRA da Vila dos IDOSOS NO BELMONTE EM VOLTA REDONDA ja era para terminarem a muito tempo ninguém fala nada

  2. Avatar

    EM VOLTA REDONDA NÃO ESTA FUNCIONANDO ESTE ESTATUTO DOS IDOSOS. A OBRA QUE O GOVERNO COMEÇOU PARA OS IDOSOS NO BELMONTE. CHAMADA COMO VILA DOS IDOSOS.
    ESTÁ INVADIDA POR SEM TERRA. E O PREFEITO DE VOLTA REDONDA E REGIÃO NÃO ESTÃO TOMANDO NENHUMA SOLUÇÃO PARA OS IDOSOS.

Untitled Document