Vacinas contra gripe e Covid-19 podem minimizar impactos da bronquiolite

Informações são da Secretaria de Estado de Saúde, que alerta para agravamento dos casos

by Lívia Nascimento

Hospital Regional em Volta Redonda aumentou número de leitos da UTI Pediátrica – Foto: Mauricio Bazilio / SES

Estado do Rio – Um levantamento feito pelo Centro de Inteligência em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) aponta que o número de solicitações por leitos para bronquiolite cresceu de 94 pedidos na semana epidemiológica 19 (de 5 a 11 de maio) para 126 na semana 21 (de 19 a 25 de maio), o que corresponde a 34% de aumento. Especialistas da Secretaria alertam que, com a proximidade do período mais frio do ano, a quantidade e a gravidade dos casos costumam aumentar ainda mais.

“A bronquiolite é uma condição clínica causada pela inflamação do bronquíolo terminal, responsável pela troca gasosa e pela oxigenação. Quanto menor for a criança, mais grave pode ser o quadro de bronquiolite. Isso porque uma via aérea pequena pode ficar muito mais comprometida com secreção e inflamação. O que num adulto seria apenas um resfriado comum, pode causar sérios danos a um bebê, especialmente nos menores de um ano”, explica a pediatra da Secretaria de Estado de Saúde, Fernanda Fialho.

A especialista elenca também sinais que podem servir como alerta de agravamento da doença: prostração extrema, recusa alimentar, dificuldade para mamar, além de dificuldade para respirar. “Caso o bebê apresente qualquer um desses sintomas, é hora de procurar uma emergência”, explica Fialho.

A bronquiolite pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como o vírus sincicial respiratório (VSR), influenza, parainfluenza e adenovírus. O VSR é o principal agente infeccioso da bronquiolite, mas ainda não há vacina disponível para crianças. Entretanto, a imunização contra a Influenza e Covid-19 está disponível nos postos e impacta positivamente na contenção desses casos, que seguem aumentando nas unidades de saúde.

Ampliação de leitos em Volta Redonda

A SES-RJ ampliou a capacidade do Hospital Regional do Médio Paraíba Drª Zilda Arns Neumann, em Volta Redonda, passando de 20 para 35 leitos de UTI pediátrica, podendo chegar a 40 conforme aumento dos casos.

“Nosso monitoramento acontece 24 horas por dia, portanto, temos capacidade de detectar a piora ou melhora dos cenários rapidamente, ampliando a capacidade do Hospital Zilda Arns e, caso haja necessidade, abrindo leitos em outras unidades”, afirma a secretária de Estado de Saúde do Rio, Claudia Mello.

Além de monitorar os casos, a Secretaria está promovendo uma série de capacitações para profissionais de saúde que atuam nas emergências das unidades da rede estadual e para médicos dos 92 municípios do estado que trabalham na Atenção Primária.

 

You may also like

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996