Vazão da Barragem Santa Cecília será reduzida gradualmente

Por Diário do Vale

A vice-presidente do Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Paraíba do Sul (Ceivap), Vera Lúcia Teixeira, disse que a redução da vazão da Barragem de Santa Cecília, em Barra do Piraí, no Rio, será gradual e deve começar após uma reunião marcada para amanhã (4) no Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O encontro vai discutir o modo como será feita essa diminuição. “Deve haver uma redução de 5 metros cúbicos por vez. A gente tem até 30 de junho para chegar a 110”, disse Vera Lúcia, ao acrescentar que os impactos da redução serão avaliados.

A redução da vazão mínima de Santa Cecília, de 140 metros cúbicos por segundo para 110, foi determinada ontem (2) pela Agência Nacional de Águas (ANA). Dessa barragem, é bombeada a água que chega ao Rio Guandu, que abastece a região metropolitana do Rio. Também sai de lá a água que segue o curso do Rio Paraíba do Sul e recebe outros afluentes em direção ao norte e noroeste do estado, passando em parte de Minas Gerais.

A determinação da ANA inclui a avaliação periódica da redução. Segundo a agência, será preciso observar a água que segue para o Rio Guandu e a que fluirá rio abaixo. “Essas análises serão feitas pela agência, pelo ONS e pelo governo do estado do Rio. O Ceivap e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu darão apoio às avaliações”, informa a resolução.

A medida também pede que as concessionárias responsáveis pelos reservatórios promovam ampla divulgação da redução, com atenção especial às cidades ribeirinhas.

Em maio de 2014, a vazão da barragem de Santa Cecília caiu de 190 metros cúbicos por segundo para 173. Em julho, nova resolução baixou para 165 e, em setembro, para 160. O patamar atual, de 140 metros cúbicos por segundo, foi determinado em dezembro.  A nova redução considerou “a atual situação hidrometeorológica desfavorável da região”, além de documentos do ONS e do Ceivap.

Advertisement

A redução afeta os reservatórios rio abaixo, que também terão diminuições de vazão. Segundo a determinação, até 30 de junho, a descarga mínima de Santa Branca, que deixou o volume morto na semana passada, deve cair de 40 para 34 metros cúbicos por segundo. O Reservatório de Funil terá redução de 80 para 70, e a Represa de Jaguari, de 10 para 4.

Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

1 Comentário

ÊTA POVINHO 3 de março de 2015, 18:35h - 18:35

A represa de Santa Branca subiu além do nível morto, né DV? As outras represas: Jaguari e Funil precisam urgente fecharem as torneiras o quanto antes melhor para na próxima estiagem estarem cheias para suportarmos a próxima estiagem aqui no Sul Fluminense. Se deixarem a água descer à vontade elas estarão secas em setembro/outubro.

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996