domingo, 19 de setembro de 2021 - 02:31 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Volta Redonda retoma equoterapia e plataforma ‘Conect Edu’ ganha recurso para deficientes visuais

Volta Redonda retoma equoterapia e plataforma ‘Conect Edu’ ganha recurso para deficientes visuais

Matéria publicada em 3 de setembro de 2020, 15:28 horas

 


Volta Redonda – Cerca de 30 professores da Educação Especial se reuniram com a SME (Secretaria Municipal de Educação), na tarde de quarta-feira (02), no auditório da secretaria, no bairro Niterói, em Volta Redonda. O objetivo foi avaliar todo o trabalho das crianças especiais dentro da plataforma Conect Edu, que é utilizada pela rede pública municipal para o ensino de forma online nesse período de pandemia de Covid-19.

– A Educação Especial já vem fazendo essa avaliação de forma virtual, e hoje estamos fazendo presencial, para ouvir o profissional que está lá na ponta, entender melhor como está sendo esse ensino na plataforma com as crianças especiais – explicou a secretária municipal de Educação, Rita Andrade.

Professores 11 salas de recursos e de cinco salas de apoio pedagógico de escolas do município estiveram presentes.

A professora Klaynne Cibelina, que dá aula na Escola Municipal Pará, no Retiro, falou sobre a importância do encontro presencial para avaliar os trabalhos.

– Ajuda primeiro na motivação, pois temos uma aproximação, vemos um ao outro. Tem também a questão da troca de experiência com outros professores – disse Klaynne, acrescentando ainda que o ensino pela plataforma ajudou no sentido de facilitar a aproximação entre família, criança e professores.

Alunos da Escola Municipal Especializada Dayse Mansur da C. de Lima, no bairro Jardim Paraíba, contarão com aula ao vivo para iniciar o contato visual e reforçar a interação entre alunos e professores. A novidade foi anunciada pela secretária Rita de Cássia Oliveira de Andrade durante a reunião.

A plataforma Conect Edu passará a contar com um recurso que realizará a leitura dos trabalhos para as crianças com deficiência visual, visando proporcionar mais independência para os alunos. E a Equoterapia, que oferece atendimento de terapia com cavalos aos alunos encaminhados pela Seção de Educação Especial da SME, também irá retomar suas atividades a partir da próxima semana. A terapia será realizada seguindo todos os protocolos de segurança e sanitários para as crianças especiais.

Mudanças estão previstas para a próxima semana na Educação Especial, que teve avaliação durante encontro no auditório da SME
(Foto: Gabriel Borges / Secom VR)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Sabe-se que a presença dos alunos em muitas escolas na plataforma é quase zero. Muitos professores reclamam que não estão acessando. Eu como mãe mesmo com diversas modificações na plataforma não acho didática a forma de aprendizagem , principalmente para os alunos de primeiro ano que estão começando a alfabetização. Como explicar a junção das sílabas? Como explicar o que é uma dezena e o que é uma unidade sendo que nas maiorias das atividades as informações são soltas? É uma aprendizagem falsa. Eu consigo explicar pra minha filha mas. ..e as pessoas sem estudo? Sem paciência? Como fazer sem traumatizar essa criança que está no início de sua leitura e escrita??? Difícil. Muito difícil.

  2. ACORDA POVO ANO ELEITORAL KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  3. Mas diante a atipicidade do momento, existe a videoconferência que pode ser agregado a plataforma, as aulas porém pode ser realizada porque pelo chat não tem como explicar matéria.Algumas crianças nem escrever sabem!A educação sem que se adequar ao momento.

  4. Muito bom!Agora precisa colocar os professores para dar aula ao vivo através de videoconferência porque chat fica difícil entendimento.#Fica a Dica!

Untitled Document