VR: ação integrada faz abordagem às pessoas em situação de rua no Aterrado

Segundo a prefeitura, outros 18 bairros da cidade serão contemplados pela iniciativa, que visa a acolher e cadastrar pessoas em situação de vulnerabilidade

by ana Calderone

 

Ação foi intensificada depois de uma série de denúncias de que essas pessoas estariam trazendo problemas para comerciantes e cidadãos / Foto: Divulgação – Secom/PMVR

Volta Redonda – A presença de pessoas em situação de rua – algumas usuárias de drogas e com passagens pela polícia –, em 18 bairros como Aterrado, Vila e Retiro, tem tirado o sossego de comerciantes, moradores e pessoas que trabalham nessas áreas. Além do mau cheiro e da sujeira, alguns importunam mulheres e crianças, seja pedindo dinheiro ou fazendo provocações. Na tarde desta quarta-feira (15), por exemplo, um dos homens que ficam perambulando pelo Aterrado sob efeito de drogas foi flagrado batendo em um cachorro na frente de uma drogaria, na Avenida Paulo de Frontin. O caso foi denunciado à Guarda Municipal de Volta Redonda.

Ciente das reclamações que têm sido feitas nas redes sociais, a prefeitura intensificou,  também nesta quarta-feira (15), a abordagem social integrada às pessoas em situação de rua. A ação contou com a participação do Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) e da Guarda Municipal (GMVR).

Equipes das secretarias Municipais de Assistência Social (Smas) e Políticas para Mulheres e Direitos Humanos (SMDH), com o apoio de agentes da Guarda e integrantes do MP, estiveram no bairro Aterrado para acolhimento e cadastro nos serviços socioassistenciais do município aos moradores que estão em situação de rua na Avenida Paulo de Frontin e Rua Luiz Alves Pereira.
Segundo a prefeitura, a ação foi intensificada depois de uma série de denúncias de que essas pessoas estariam trazendo problemas para comerciantes e cidadãos. Segundo a prefeitura, o mapeamento aponta que a população de rua está presente em 18 bairros da cidade, principalmente, na Vila, Aterrado e Retiro. A ação acontece até esta sexta-feira (17).

Serviços

A assessora técnica da Smas, Joveline Batista Tomaz, explicou que a abordagem é uma atividade de rotina em Volta Redonda – e que está sendo intensificada com o objetivo de sensibilizar os moradores em situação de vulnerabilidade a conhecerem e utilizarem os serviços oferecidos pelo Centro de Referência Especializado Uhady Nars, o Centro Pop, localizado no bairro Aterrado.

Com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, o Centro Pop oferece aos usuários café da manhã, almoço, jantar, banho, espaço para lavagem de roupas e encaminhamento para retirada de documentos de identificação – como, por exemplo, RG (identidade) e CPF, entre outros –, além de orientação psicológica e social e encaminhamento para o Abrigo Municipal Seu Nadim.

“O Centro Pop, totalmente dedicado aos moradores em situação de rua, possui uma equipe de assistentes sociais e educadores que fazem abordagens diárias em todo o território de Volta Redonda. Durante essa ação, nós conversamos com eles também sobre a possibilidade de reingressarem para suas cidades de origem, pois muitos são migrantes na região. Com isso, disponibilizamos o retorno ao seu local e, em alguns casos, para suas famílias, principalmente aquelas dispostas a aceitá-los de volta quando ainda há um vínculo familiar existente”, comentou a assistente social Joveline Tomaz, acrescentando que o Serviço de Abordagem Social se concentra, principalmente, nos centros comerciais de Volta Redonda, onde o índice de pessoas em situação de rua é maior.

“Todas as regiões de Volta Redonda estão mapeadas, sendo que a maior concentração de moradores em situação de vulnerabilidade é nos centros comerciais. Porém, 19 bairros também têm registrado a presença dessa população, que vem sendo acompanhada pela abordagem da Assistência Social”, finalizou Joveline.

A assistente social ainda orienta a população de Volta Redonda que, ao ser abordada por um morador em situação de rua, o oriente a buscar ajuda no Centro Pop para ter acesso a alimentação e orientações em geral. “A população pode acionar o Serviço de Abordagem Social através do WhatsApp da Secretaria Municipal de Assistência Social de Volta Redonda: (24) 98143-0097.”

Abrigo

O Abrigo Municipal Seu Nadim tem capacidade para acolher 25 pessoas, sendo 20 vagas masculinas e cinco femininas. As pessoas acolhidas são identificadas nas ruas pela Abordagem Social e encaminhadas para o Centro Pop, que faz a articulação com a equipe do abrigo para que a pessoa possa ser acolhida.

O equipamento conta com uma equipe multidisciplinar que realiza acompanhamento e trabalha para que a pessoa em situação de rua retorne para sua família ou consiga se organizar de forma autônoma.

Rede de proteção

Atualmente, a Smas trabalha com a rede de proteção através do Departamento de Proteção Básica, que age na prevenção junto às famílias para fortalecimento do vínculo familiar; e do Departamento de Proteção Social Especial (DPES), quando já ocorreu a violação de direitos e a pessoa precisa de proteção social urgente.

Volta Redonda conta com uma rede completa de assistência social que, além do Serviço de Abordagem Social, o Abrigo Seu Nadim e o Centro Pop, oferece o Serviço de Atendimento ao Migrante (SAM), que após o atendimento no Centro Pop faz a concessão de passagem rodoviária aos usuários em trânsito.

You may also like

1 comment

funcinário público 16 de maio de 2024, 10:57h - 10:57

Isso situação se resume em: Falta de Deus no coração, amor pro-pio e as drogas.

Reply

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996