VR deve economizar R$ 500 mil por ano com energia solar em escolas municipais

Usina fotovoltaica construída no bairro Roma começa a operar neste mês em fase de testes

by Agatha Amorim

Foto: Cris Oliveira/PMVR

Volta Redonda – A cidade de Volta Redonda deve economizar R$ 500 mil por ano com a com a instalação de energia solar em 19 escolas municipais. A usina fotovoltaica construída pela Prefeitura de Volta Redonda em parceria com a concessionária de energia Light, no bairro Roma, começa a operar neste mês em fase de testes. O objetivo é tornar as unidades escolares autossuficientes energeticamente. A obra foi realizada por meio do programa de Eficiência Energética (PEE) da Light, em convênio com a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação (SME).

“É um projeto que foi acelerado na gestão do (Sérgio) Sodré, desenvolvido pela secretaria em parceria com a Light. É inovador dentro da educação; tem a questão da sustentabilidade com a produção de energia renovável, que traz o benefício ambiental; além da questão de redução de custos com energia nas escolas”, destacou o secretário municipal de Educação, Osvaldir Denadai.

Foram investidos cerca de R$ 2 milhões para a construção da usina: o governo municipal cedeu a área para instalação, além de pouco mais de R$ 500 mil; e R$ 1,5 milhão de investimento foi do PEE da Light – programa regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e voltado a iniciativas inovadoras, alinhadas às estratégias da companhia, para promover o uso eficiente da energia elétrica.

A usina é a terceira fase do Programa de Eficiência Energética (PEE) desenvolvido pela Light em Volta Redonda. Na primeira fase, cerca de 16 mil lâmpadas de LED foram colocadas em 42 escolas. Na segunda fase, foram trocadas 11 mil lâmpadas de LED em 48 escolas; totalizando 90 unidades.

“A cidade segue se desenvolvendo e isso é possível de forma sustentável. Essa redução nos custos com energia para as escolas vai refletir em mais melhorias para a qualidade da educação em nossa cidade, que sempre foi e sempre será prioridade para o governo municipal”, frisou o prefeito Antonio Francisco Neto.

Em funcionamento, a usina terá 282 quilowatt-pico, que significa a potência máxima das 832 placas fotovoltaicas que foram instaladas, produzindo cerca de 30 mil quilowatts-hora por mês de energia. A previsão é que haja uma economia nas contas de energia da prefeitura de mais de R$ 40 mil mensalmente e R$ 500 mil por ano, somente com o consumo de energia dessas 19 escolas.

A usina fica em um terreno em frente ao Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas), onde 382 placas fotovoltaicas são as responsáveis por captar e fazer a conversão da luz do sol em energia elétrica.

Foto: Cris Oliveira/PMVR

You may also like

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996