terça-feira, 19 de outubro de 2021 - 02:25 h

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Força-tarefa autua cinco estabelecimentos comerciais em Volta Redonda

Força-tarefa autua cinco estabelecimentos comerciais em Volta Redonda

Matéria publicada em 28 de fevereiro de 2021, 09:21 horas

 


Uma festa particular também foi alvo de fiscalização nessa madrugada

Guardas acompanharam fiscalização em estabelecimento (Foto: Divulgação)

Volta Redonda – Membros da Secretaria de Fazenda, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal de Volta Redonda autuaram, na noite de sábado (27), mais cinco estabelecimentos comerciais durante fiscalização que visa o cumprimento do decreto municipal com medidas de prevenção e combate à Covid-19. A ação aconteceu nos bairros Jardim Amália, Aterrado, São Luiz, Monte Castelo e Vila Brasília.

Uma festa particular entre a noite de sábado (27) e a manhã deste domingo (28), ocorria em um salão no bairro São Luiz também foi interrompida. O dono do espaço não compareceu no momento da autuação e a notificação será entregue na segunda-feira (01). A ação contou com apoio da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Locais

No Jardim Amália, um estabelecimento foi autuado por não cumprir as normas de distanciamento entre as mesas e por colocar um número superior a seis pessoas em cada mesa.

Nos bairros Aterrado e São Luiz, dois estabelecimentos foram autuados por não possuírem licença para música ao vivo, ambos interromperam a atividade de imediato.

No bairro Monte Castelo, um bar foi autuado pela ocupação irregular da rua, com mesas e cadeiras. Já no bairro Vila Brasília, um bar foi notificado por não apresentar o alvará no momento da fiscalização, apesar de não ter sido constatada outra irregularidade.


Guarda Municipal 

De acordo com o comandante da Guarda Municipal de Volta Redonda, João Batista dos Reis, a fiscalização contribui com a diminuição da sobrecarga dos serviços de saúde. Ele ressaltou que comerciantes e clientes devem colaborar para redução da transmissão do novo coronavírus.

“As ações integradas propiciam atenuar a propagação do Covid-19, evitando também a sobrecarga dos serviços de saúde. Precisamos desse cumprimento por parte de cada estabelecimento, orientando seus funcionários, estando atento aos seus clientes na colaboração para a diminuição da transmissão, respeitando o uso de máscaras, o distanciamento, a higienização e não permitindo as aglomerações”, destacou.

As denúncias podem ser feitas pelo telefone: 156.

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

16 comentários

  1. Será que acabou a pandemia na Colina, pois ontem estava tudo normal mesas sem distanciamento. A fiscalização passou e continuou tudo na mesma. Isso está acontecendo depois que o atual prefeito assumiu. SERÁ PORQUE?

  2. Concordo plenamente com a guarda estão começando a trabalhar de verdade, tem que punir aqueles que não seguem as orientaçoes, deveria tambem voltar a fazer apreençoes de motocicletas e carro de som altos , motos. Barulhentas sem silincioso e no retiro esta cheio .

  3. Jardim Belvedere em frente a USB tem um churrasco de rua que só abre a noite.

    Fica um monte de aglomeração sem mascara .

    Cancela do Samoa, Jardim Belvedere fica outro churrasco, fim de semana somente , de dia, churrasqueiro sem mascara e sem juizo.

  4. Se a guarda desse exemplo, acredito que todos respeitariam o decreto, mas o ouça o que digo e não faça o que faço. Isso é Brasil. Essa guarda municipal não está com nada. É só para encher linguiça mesmo, infelizmente.

  5. Quero ver a guarda municipal subir no Vale verde pra fechar os bares de lá que só abrem as 15:00 e fecha só no outro dia drogas,festas rola geral.Ninguem usa máscaras e a maior folia.Tem um bar em frente ao Ciep que parece uma discoteca drogas,som alto,rola a noite toda polícia passa e não fala nada isso é Brasil.

  6. Sem citar os mês dos bares autuados não.parece nem uma matéria de jornal.e.sim uma fofoca de esquina

  7. Concordo com o Hanibal Lector.
    Corona Vírus transmite somente nos períodos de laser.

  8. Deixa funcionar é melhor que morre mais burros.

  9. Bairros residenciais de volta redonda tbm sofrem com barrulho, aglomerações e mesas e cadeiras nas calçadas. Cadê a fiscalização pra verificar se esses estabelecimentos tem alvará de funcionamento e estão cumprindo o decrero de pandemia?

    Alô fiscalização vai nos bairros Barreira Cravo, Sam Remo e Jardim Venesa, bairros residenciais com comércio pujante nas ruas internas.

  10. O comandante da guarda destacou?
    Como assim?
    Foi a Guarda que multou?
    Guarda pode multar bar e restaurante?
    Esse comandante entende de saúde pública pra falar alguma coisa?
    Cadê a vigilância sanitária?

    • EDMUR FERREIRA DA SILVA

      Em época de exceção e de acordo com o decreto, pode e deve.

    • Época de exceção?
      Melhor seria mandar a vigilancia sanitária então multar carros.
      Porque se em época de exceção tudo pode…
      E decreto pode ser ilegal.
      Se ele decretar que quem tem covid deve ser internado à força, nem por isso é uma medida legal.
      Volto a dizer: deviam mandar a vigilancia sanitar multar carros, bombeiros castrarem animais, e veterinários serem secretários de finanças.
      Cada um na sua meu caro.

  11. Alô prefeitura! Vamos fiscalizar os ônibus tbm. Ou será q o vírus só ataca o pobre do trabalhador na HR do seu laser???

    • Amigo,
      O ônibus para o trabalho é obrigatório para algumas pessoas levarem o pão pra casa. Nao tem jeito. Mas dá pra ficar sem festinhas por um tempo. Elas são boas mas não essenciais. Reflita e veja as óbvias diferenças de contexto.
      Um fraterno abraço.

    • Uma correção,segunda 1 de março e não dia 29 FEV.

    • O Diário do Vale agradece a observação.
      A correção foi feita

Untitled Document