segunda-feira, 3 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Funil aumenta vazão e Paraíba passa a ser monitorado em Volta Redonda, Barra Mansa e Resende

Funil aumenta vazão e Paraíba passa a ser monitorado em Volta Redonda, Barra Mansa e Resende

Matéria publicada em 12 de fevereiro de 2020, 15:45 horas

 


Volta Redonda, Barra Mansa, Resende e Barra do Piraí estão em alerta com possibilidade de cheia do Rio Paraíba

Nível do Rio Paraíba do Sul na tarde desta quarta-feira (12) na divisa do bairro Niterói e Aterrado
(Foto: Paulo Dimas)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Volta Redonda- A vazão da Represa do Funil aumentou de 300 metros cúbicos por segundo para 479 metros cúbicos no fim da manhã desta quarta-feira (12), em Itatiaia. A represa no momento está operando com 70,55% da capacidade. O aumento da vazão pode ocasionar o transbordo do Rio Paraíba do Sul em Volta Redonda, Barra Mansa, Resende e Barra do Piraí. Agentes da Defesa Civil destes municípios estão em alerta e monitoram o nível do rio. Em caso de emergência, os moradores devem telefonar para 199 e buscar ponto de apoio.

Em Volta Redonda, foi emitido alerta para a população, principalmente a ribeirinha. Os locais com maior risco de inundações são: Ponte Pequetito Amorim (Beira Rio) e os bairros Parque Independência (Três Poços), São Luís, Dom Bosco e Barreira Cravo.

As informações sobre a chuva estão disponíveis em todos os canais oficiais da prefeitura, como site e redes sociais. Os moradores da Avenida Beira Rio, no bairro Barreira Cravo, disseram ao DIÁRIO DO VALE que não haviam recebido alerta para sair de casa.

– Estamos preocupados com a possível cheia do rio, mas ainda não recebemos nenhum alerta para sair de casa. Equipes da Defesa Civil ainda não passaram pelo bairro – disse Vitória Madalena, que mora há 22 anos no local.

A moradora disse que a última enchente registrada no bairro ocorreu no ano de 2000 e casou um grande caos aos moradores de diversas localidades de Volta Redonda. Já o morador Ronil, que possui uma pequena mercearia, na Avenida Beira Rio, disse também estar preocupado e atento a possível cheia do rio.

– Preocupado a gente fica mesmo, pois há anos atrás fomos atingidos por uma enchente e eu perdi bastante coisa: guarda-roupa, alimentos e outros materiais. Eu moro no bairro há 30 anos e há 15 tenho esse pequeno comércio – falou o comerciante.

Barra Mansa 

A Defesa Civil de Barra Mansa também está em monitoramento no Rio Paraíba do Sul. De acordo com o coordenador do órgão, Sérgio Mendes, o Serginho Bombeiro, o rio pode transbordar e a população deve ficar atenta aos alertas do órgão.

Resende 

A Defesa Civil de Resende também emitiu um alerta para o risco de pontos de transbordo na Avenida Rita Maria Ferreira da Rocha, na altura da Ponte Miguel Couto Filho, que liga a Avenida Presidente Vargas à Rua Saturnino Braga.

Barra do Piraí

A Defesa Civil de Barra do Piraí informou que a cidade está em estágio de atenção. De acordo com o órgão, o risco hidrológico para Barra do Piraí está em moderado, segundo a Defesa Civil do Estado. A respeito das cheias do Rio Paraíba do Sul, as vazões estão em redução. Porém, devido à incidência de chuvas acima da Elevatória de Santa Cecília, permanece o estado de atenção.

Posicionamento da represa 

Em nota, a assessoria de imprensa da Represa do Funil informou que o “reservatório encontra-se atualmente na elevação 461,49 metros, o que representa um volume útil de 70,55%. A vazão defluente da usina de Funil, em Itatiaia, está em aproximadamente 480 m³s”.

Ainda no comunicado a represa disse que o vertedouro da Usina foi aberto às 11h da manhã desta quarta-feira (12), mas que a medida é um procedimento padrão para a época do ano.

– O vertedouro foi aberto, conforme despacho do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Projetada para atender ao conceito de usos múltiplos do reservatório e da água, a hidrelétrica de Funil atende à função de regularizar as vazões do rio Paraíba do Sul, contribuindo para reduzir os danos socioeconômicos em caso de cheias – disse.

A hidrelétrica de Funil possui três unidades geradoras, totalizando uma capacidade instalada de geração de 216 MW. Toda a energia produzida nas unidades geradoras brasileiras é enviada ao Sistema Interligado Nacional (SIN), que a distribui conforme a demanda.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Avatar

    é estive essa semana na represa e ela não tava tão cheia pra liberar água assim, na realidade há mais de 20 anos que não a vejo cheia de fato.

  2. Avatar

    Vão fechando o leito do Paraiba. E depois reclamam das chuvas.
    Uma vergonha o que fizeram com o leito do rio na Vila Americana e no Aero Clube.
    E ninguém faz nada.

  3. Avatar

    Tem risco de enchente aqui no Mariana Torres? Ajuda nóis.

    • Avatar

      Não dá pra entender, se o nível está a 70,55% da capacidade tem muito espaço ainda para se reservar agua e não desperdiçar aumentando a vazão do vertedouro. Vamos entrar em época de poucas chuvas e depois é a população que fica sem água e mudam a bandeira tarifária da conta de energia alegando que a capacidade dos reservatórios está baixa.

  4. Avatar

    Então a conta de luz vai abaixar

  5. Avatar
    Capeta da grota do Santa cruz

    Será que dá para uma ARCA DE NOE igual a mencionada no livro sagrado navegar no Paraíba com ele nessa situação ? Pois e teremos que construir uma.

  6. Avatar
    charles cunha werneck

    existe a possibilidade de enchente?

  7. Avatar

    No passado estarepresa causou um grande dano para barra mansa tivemos um grande prejuízo sem nos avisar.nem para nós precaver.não temos como escapar .Caso aja um erro por parte deles.

Untitled Document