;
quarta-feira, 25 de novembro de 2020 - 21:25 h

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Prefeitura programa ação para coibir ‘isoporzinhos’ na Praça da Colina

Prefeitura programa ação para coibir ‘isoporzinhos’ na Praça da Colina

Matéria publicada em 21 de outubro de 2020, 18:20 horas

 


Reunião com moradores e comerciantes do bairro Colina serviu para alinhar novas sugestões de atuação
(Foto: Felipe Carvalho)

Volta Redonda– Uma equipe da Prefeitura de Volta Redonda se reuniu na tarde desta quarta-feira, dia 21, no auditório do Palácio 17 de Julho, com comerciantes e moradores do bairro Colina. O objetivo do encontro foi alinhar novas ações da força-tarefa multissetorial implantada para fiscalizar o funcionamento das atividades comerciais e sociais dentro das normas de prevenção à Covid-19.

De acordo com os moradores e comerciantes, estão ocorrendo, principalmente aos fins de semana, os eventos clandestinos chamados de ‘isoporzinho’, incluindo aglomerações com som alto e outros tipos de transtornos durante as madrugadas no bairro. As ocorrências acontecem na Praça da Colina, região com bares e restaurantes.

Algumas sugestões foram apresentadas em conjunto, como o uso de mensagens via o aplicativo Whatsapp para denúncias, atuação constante do poder público e estratégias para coibir o comércio ilegal.

Pela administração municipal, estavam presentes representantes das secretarias de Fazenda (SMF), Extraordinária de Segurança Pública (Sesp), Desenvolvimento Econômico e Turismo (Smdet), Comunicação (Secom), além do Gabinete de Estratégia Governamental (Gegov) e da Guarda Municipal (GMVR).

Durante o encontro, também ficou definida a realização de uma intervenção já no próximo fim de semana, com intensificação das ações para coibir as ocorrências relatadas. Antes, o planejamento envolverá uma reunião com representantes da Polícia Militar para uma atuação em conjunto.

Força-tarefa

A força-tarefa trabalha para coibir aglomerações na cidade, fazendo rondas por bares e restaurantes e atuando com protocolo especialmente implantado para combater os ‘isoporzinhos’.

A equipe da Secretaria Municipal de Fazenda (SMF), que compõe a força-tarefa, criou ainda um protocolo para impedir esse tipo de evento clandestino. A fiscalização verifica bares, restaurantes e depósitos de bebidas que estão incentivando as aglomerações, seja com a venda de bebidas alcoólicas ou com o fornecimento de mesa e cadeiras para esses eventos.

Também são verificadas as infrações ao Código de Trânsito, como veículos estacionados em local proibido ou com som alto. Os responsáveis podem ser multados, ter mercadorias e equipamentos apreendidos e os estabelecimentos podem ser interditados e ter o alvará cassado.

A ação é realizada em conjunto pelos fiscais do Departamento de Atividades Econômicas e Sociais da SMF, agentes da Sesp, Guarda Municipal e Polícia Militar. O poder público conta com a colaboração da população que deve continuar denunciando pela Central de Atendimento Único (CAU), pelo telefone 156, e aplicativo FiscalizaVR. Além disso, a operação é orientada pelo Centro de Inteligência e Segurança Pública (Cisp), que pode identificar aglomerações pelas câmeras de segurança do município.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Avatar

    Sou moradora da Colina e acho um absurdo ver a praça lotada e os bares cheios, além de notar todas as pessoas sem máscara e aglomeradas. A pandemia não acabou.
    Acho muito viável estabelecer um horário limite para o funcionamento dos bares, bem como controlar do número de pessoas dentro dos estabelecimentos (quem está fiscalizando a capacidade de lotação a 30%?). Além disso, fechar a praça da Colina, como já foi feito no início da pandemia.
    Tenho vizinhos que são idosos que têm problemas de saúde, e também crianças, todos estão sendo privados de dormir bem (uma necessidade BÁSICA do ser humano) porque a noite por aqui está longe de ser tranquila.
    Observação: ligar para o 156, 199 e 190 é a mesma coisa que nada!

  2. Avatar
    Capeta da grota do Germano

    Engraçado que vc liga pra polícia 190 e reclama de barulho e som alta fora de hora o policial atendente pergunta se vc vai junto com os policiais… estão de sacanagem mesmo.. não querem trabalhar,..só fazem o que rende grana pra eles…quem tem que colocar a cara e coibir essa situação e a polícia militar juntamente com a guarda municipal…ganham pra isso e não fazem nada….bando ….

  3. Avatar

    Só deixa um caminhao ”PIPA” la , e quando precisar…..
    MANDA AGUAAAAAAA!!!!!!!!!

  4. Avatar

    Fácil você diz pq não mora lá né infeliz, semana passada tinha Guarda Municipal , e mesmo assim a zorra comeu solta, é uma verdadeira falta de preparo e vontade de coibir essa bagunça por parte do órgão público, a Colina merece respeito.

  5. Avatar

    A Secretaria da Fazenda deveria estar preocupada em agilizar os processos de legalização de empresas e emissão de alvarás, que demoram uma eternidade (por volta de duas semanas) e não ficar empacando a vida de quem quer empreender.

  6. Avatar

    Lojas cheias , ônibus lotados , bares super cheios . Ano de eleição, deixa o tubo !!!!

  7. Avatar

    Que implicância com o Monte Castelo!
    Procurem outras irregularidades (mais graves), na cidade. Monte Castelo é “Point”, deixa rolar.

  8. Avatar

    Peço ao Sr Prefeito que venha com seu Carro sem avisar para ninguém aqui na Rua Vilagran Cabrita, São Geraldo , de ponta a ponta apos 22:30 hs para ver consumo de drogas, menores consumindo tudo, Urinando nas portas dos moradores, falando alto até as 5:00hs.

  9. Avatar

    É só manter uma dupla de guardas municipais na praça, coibindo as chamadas irregularidades. Pra que esse estardalhaço todo?

    • Avatar
      Luiz Carlos Prastes

      Isso mesmo gênio

      Se você fosse guarda e eu o seu chefe, eu diria assim: vão você e o soldado Zé pra lá e contenham aqueles 3700 que estão lá, ok ?

      Você está fazendo todo o esforço pra ser o comentarista mais burro desse site, e olha que a concorrência é alta

  10. Avatar

    Resolver isso é muito fácil. Só colocar o efetivo devidamente na rua. Não vejo as autoridades municipais em ação maís. Não ficam em cruzamentos movimentados maís. Não abordam cidadãos e nem usam de recursos de advertência do tipo sonoro para mostrar a todos os quem são os cidadãos faltosos com as regras de convivência no trânsitoe e nas vias públicas de pedestres. Não há poder da guarda do município sendo exercida. Estão trabalhando nem slow motion. Dui na Amaral Peixoto e Gustava Lira né vi carros e motos furando sinal e avançando em cima de pedestres com o sinal fechado. Estamos largados.

Untitled Document