;
terça-feira, 24 de novembro de 2020 - 01:20 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Reservatório seria causa da falta de água em condomínio de Volta Redonda

Reservatório seria causa da falta de água em condomínio de Volta Redonda

Matéria publicada em 28 de dezembro de 2015, 22:19 horas

 


Depósito está sendo insuficiente para atender os moradores do residencial, no bairro Três Poços, neste verão

À procura de água: Fila de moradores com baldes e galões têm se formado no residencial do bairro Três Poços ( Foto: Enviada via Facebook por Leidiane Lacerda)

À procura de água: Fila de moradores com baldes e galões têm se formado no residencial do bairro Três Poços (
Foto: Enviada via Facebook por Leidiane Lacerda)

O DIÁRIO DO VALE mostrou na semana passada que moradores do Residencial Penhe Marchtein (Pedrão), do programa do governo federal, “Minha Casa, Minha Vida”, no bairro Três Poços, estavam sem água há cerca de 20 dias. O problema segundo eles continua sem solução e agora já são aproximadamente 30 dias sem abastecimento de água. O Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) informou que os transtornos seriam frutos de um reservatório instalado pela empreiteira contratada pela Caixa Econômica Federal.

O diretor-executivo do Saae, Paulo César de Souza, o PC, explicou que o problema havia sido identificado em maio deste ano, antes dos moradores se mudarem para o condomínio, e que um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) foi feito para que um novo reservatório pudesse ser colocado no local.
– Nós havíamos detectado esse problema em maio, prevendo que quando o consumo de água fosse maior, como é no verão, poderia haver esse problema com o desabastecimento. Um Termo de Ajuste de Conduta foi firmado para que pudéssemos reforçar o abastecimento de água no condomínio e a Caixa Econômica Federal providenciou o novo reservatório. Estamos trabalhando direto, desde quarta-feira para solucionar o problema o mais rápido possível. Os moradores sabem pois estão nos vendo no local. Esse novo reservatório é com mais uma cisterna subterrânea e uma casa de bombas. Amanhã (29) faremos o teste junto com a empreiteira contratada pela Caixa e se tudo correr bem, em breve esse problema será solucionado – disse PC.

Sem água para nada

Moradores do residencial procuraram o DIÁRIO DO VALE mais uma vez para reclamar da situação. A maior preocupação deles é com a falta de água para crianças e idosos.
– Estamos desesperados e precisando que alguém nos ajude, porque só reclamar não adianta. Eu não falo nem por mim, porque eu e minha mãe podemos ir para a casa de outros parentes, quando a situação aperta, mas sim pelos idosos que estão acamados e não podem sair de casa; pelas crianças, pessoas deficientes, que usam cadeiras de rodas. Eu tomo as dores dessas pessoas porque muitas delas não têm instrução e conhecimento, e nem para onde ir, mas que mesmo assim pagam suas contas todos os meses no dia certo – disse a auxiliar administrativa Cristina Marinho.
A moradora Juli Gonçalves relatou que tem evitado ir para casa e que a situação está crítica.
– Nem tenho como voltar para casa todos os dias porque a comida fica estragando, a louça se acumula, não tem como limpar nada. Semanas atrás a água até caía de madrugada, hoje nem isso acontece mais. O Saae foi até o local e levou um caminhão-pipa e diversos moradores deram graças, achando que poderiam pegar água. Na verdade, o caminhão foi fazer um conserto nos canos de esgoto do condomínio, que também estavam vazando há meses – falou, acrescentando o que tem feito para driblar a falta de água.
– Eu tento me virar como posso, compro galões de água, ou vou para a casa de parentes. Muitas pessoas não têm condição de comprar nem uma passagem de ônibus, que dirá se virar em situações de emergência como essa. Todo mundo está precisando de ajuda – garantiu.

Baldes e galões estão sendo usados por moradores para pegar água em reservatório (Foto: Enviada via Facebook por Leidiane Lacerda)

Baldes e galões estão sendo usados por moradores para pegar água em reservatório
(Foto: Enviada via Facebook por Leidiane Lacerda)

Uma dona de casa que mora com os filhos e a mãe e disse que por causa do problema no condomínio, a família foi obrigada a passar o Natal sem água.
– Hoje  é dia 28 e nós continuamos sem água. Pelo jeito o ano novo vai ser a mesma coisa. O Saae chegou até a abrir a torneira da caixa d’ água para que alguns moradores pudessem retirá-la com balde, mas depois fecharam. Do que adiantou? Isso não resolveu nada. Eles não explicam o que acontece e quando o fazem, falam uma coisa para imprensa e outra para nós. Ninguém confirma nada ou nos dá um prazo – indignou-se.

Problema de abastecimento deixa Brasilândia e Cailândia sem água


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    E essa tal empreiteira que veio aqui, fez escavações para colocar a outra caixa, e deixou a terra tirada todo jogada no condomínio, isso é um desacato com os moradores, crianças brincando a todo momento, e correndo perigo de escorregar nesse monte de terra e se machucar. Vamos cobrar meu povo, 30 dias sem água é um absurdo. Isso não existe.

  2. Avatar

    Espera aí. Quer dizer que o SAAE numa simples verificação já constatou que a capacidade do reservatório instalado não atenderia à demanda dos moradores no verão? Cabe então a pergunta. Por que essa falha de projeto não foi verificada pelos órgãos e pessoal competentes para fazer esse serviço? Na fase de aprovação do projeto isso poderia ter sido verificado. Mais uma vez vemos o descaso no trato do dinheiro da população. Estamos cansados de ver obras públicas mal feitas, mal acabadas, com erros de projeto e quetais. Um exemplo? A Avenida Amaral Peixoto com as suas tampas de bueiro e caixas de visita desniveladas em relação ao asfalto. Os responsáveis pelos projetos não se atentam a esses detalhes ?

  3. Avatar

    Gostei muito desta postagem e como o assunto foi abordado,

  4. Avatar

    Kd os caminhões pipa?! Não solucionaria, mas já ajudava!!!

Untitled Document