segunda-feira, 6 de dezembro de 2021 - 20:47 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ONG recebe cerca de 30 denúncias de maus tratos a animais por semana

ONG recebe cerca de 30 denúncias de maus tratos a animais por semana

Matéria publicada em 6 de novembro de 2017, 15:51 horas

 


Sociedade Protetora dos Animais (SPA) recentemente resgatou quatro animais em estado deplorável, dois em Volta Redonda e dois em Barra Mansa

pandora

Maus tratos: Pandora foi resgatada de uma casa no Boa Vista II, em Barra Mansa, pela ONG
(Foto: Divulgação/SPA)

Volta Redonda– A Sociedade Protetora dos Animais de Volta Redonda (SPA-VR) recebe 30 denúncias de maus tratos a animais por semana: uma média de cinco casos por dia. As denúncias, de acordo com Igor Reis, um dos diretores da ONG, chegam pelas redes sociais e por telefone. A apuração dos casos é feita pelos voluntários da instituição com o apoio de órgãos públicos, como policias civil e ambiental, além das secretarias municipais de meio ambiente.

Segundo Igor Reis, recentemente a SPA resgatou quatro animais -dois em Volta Redonda e dois em Barra Mansa- vítimas de maus tratos, todos em estado deplorável. O caso mais chocante ocorreu na última sexta-feira, dia 3, no bairro Boa Vista II, em Barra Mansa. Uma cadela extremamente subnutrida, com todos os ossos a mostra, e uma gata também debilitada e com ferimentos de mordidas expostos foram retiradas da casa onde viviam em péssimas condições de acomodação e higiene. O resgate contou com o apoio de agentes da Guarda Ambiental de Barra Mansa.

Os animais foram encaminhados com urgência para cuidados veterinários, o estado mais grave é da cadela, sem raça definida, chamada Pandora que não ia resistir mais há uma semana nessas condições. Segundo Igor, a cadelinha não sobreviveria, pois estava sem cobertura de sol e chuva, em uma corrente de meio metro, sem alimento e água ao seu alcance. Ela está em recuperação recebendo suplementação alimentar e outros cuidados médicos. A gata, Drica, também está ganhando os cuidados com a alimentação e se recupera dos ferimentos.

Igor frisou que o psicológico dos animais que sofrem com maus tratos também é afetado, é necessário paciência e cuidados na ressocialização com as pessoas, pois os animais ficam traumatizados e com muito medo de contato com seres humanos.

– Tanto Pandora, quanto Drica, estão sendo estimuladas a não perder o vínculo com as pessoas. Elas vão ser direcionadas a adoção quanto se recuperarem – disse.

O homem, identificado como proprietário dos animais, foi encaminhado a 90ª DP (Barra Mansa) e autuado pela Lei de Crimes Ambientais por maus tratos aos animais e deverá pagar multa. Além dos animais, que foram resgatados, de acordo com a SPA, o homem tem outros animais em casa.

– O homem tem dentro de casa, uma cadela mais ou menos bem cuidada, com alguns filhotinhos de raça. Enquanto isso a Pandora (adotada na feira da Vila Santa Cecília, segundo o antigo tutor) viveu até hoje neste espaço e nestas condições. Sem cobertura de sol e chuva, numa corrente de meio metro, sem alimento e água ao seu alcance. Essa é a segunda cadela que ele pega e fica assim. Infelizmente não ficamos sabendo da primeira a tempo, mas conseguimos chegar a tempo pra Pandora – relatou a ONG, em uma rede social.

Outro resgate recente feito pela ONG ocorreu em Volta Redonda, um casal de cachorros foi retirado de uma casa semi abandonada, no bairro Monte Castelo. De acordo com o diretor Igor Reis, o imóvel estava completamente sujo com os próprios dejetos dos animais e o local não recebia nenhum tipo de limpeza. Os cachorros foram encontrados infestados de carrapatos e doentes, infelizmente o macho não resistiu a doença do carrapato (hemoparasitose) e morreu já a fêmea, também contaminada pela doença, continua recebendo atendimento médico veterinário, porém pelo estado avançado da doença ficará com sequelas.

A dona da casa, que não mora no imóvel, e vai ao local sem uma frequência foi também autuada na Lei de Crimes Ambientais por maus tratos aos animais e além de multa deverá responder o processo na Justiça semelhante ao caso de Barra Mansa, citado acima. Igor Reis fez questão de destacar que se um animal passa a maior parte do tempo preso a uma corrente é caracterizado como maus tratos. O animal tem de ter um espaço livre para circular tendo um pote de água e ração sempre por perto.

Adoção responsável

O diretor da ONG Igor Reis comentou que muitas pessoas encaminham o animal para adoção sem se preocupar com o adotante, muitos nem anotam o endereço, nem se quer o nome da pessoa que está adotando o animal. Ele mencionou o espaço de adoção, conhecido na Vila Santa Cecília, em Volta Redonda, que tem sido utilizado, segundo Igor, como “descarte de animais” sem o mínimo de cuidado na hora da adoção.

Igor disse que existem ONGs responsáveis que realizam adoção no local, mas o espaço é aberto a qualquer um e não existe fiscalização. O diretor salientou ainda que o ato de adoção tem que ser responsável, tanto para o doador quanto para o adotante.

– A feira de adoção está se tornando descarte de animais, muitos estão levando os bichos para lá sem o mínimo cuidado na hora da adoção, sem se preocupar com quem está adotando nem para onde o animal está sendo levado. Em Volta Redonda há ONGs que ajudam na adoção dos animais, mas como esse espaço é aberto, qualquer um pode levar o bicho para tentar a adoção. No caso das ONGs para adotar é necessário preencher uma ficha com as informações pessoais da pessoa, isso resguarda um pouco o animal e tem como tentar localizá-lo depois para uma eventual visita – explicou.

Muitos animais idosos são colocados para adoção e outros são ainda abandonados na rua. Igor destacou que é desumano fazer isso com o animal que viveu durante anos com uma família, já tendo se adaptado as condições do local e também pela fragilidade da idade do animal. Muitas pessoas abandonam o animal idoso por ele ter desenvolvido doenças tipicamente do tempo de vida.

– Vemos muitos animais idosos sendo colocados para adoção e outros jogados fora pela família, muitas pessoas querem um animal enquanto filhote porque é bonitinho, mas o animal envelhece com o tempo, assim como nós humanos, e desenvolvem doenças com a idade. É desumano ver a situação de um animal idoso já adaptado ao tutor e aos familiares ser abandonado porque já não serve mais. Os animais têm sentimentos e criam vínculos eternos com a família, já vi muitos casos assim infelizmente. Um dos objetivos da SPA é conscientizar as pessoas que na hora de adotar um bicho pensar que ele precisará de cuidados por muito tempo, inclusive durante velhice – falou.

 

Estima-se que de cinco a sete mil
animais estejam abandonados nas ruas

Existem milhares de animais de rua e em lares temporários que precisam de uma família, por exemplo, no espaço da Sociedade Protetora dos Animais (SPA-VR) 80% dos animais estão disponíveis para adoção. Os interessados devem entrar em contato com a ONG através da fan page no Facebook ou por telefone. A SPA agendará uma entrevista com o futuro adotante para analisar se o perfil da família será compatível com o animal, caso seja, o animal finalmente sairá do local e ganhará uma família.

Segundo a SPA, estima-se que de cinco a sete mil animais estejam abandonados nas ruas de Volta Redonda. Um número agravante que necessita ser reduzido com atitudes de adoção e também de controle de animais, através da castração, de acordo com a ONG.

– Adotar é sinônimo de amor, temos que estimular a população à adoção, pois existem milhares de animais necessitando com urgência de uma família – comentou a SPA.

Entretanto, ainda há pessoas que são estimuladas a comprar animais, principalmente cachorros de raça. Na opinião do diretor Igor Reis, há muita publicidade mostrando animais de raça em propaganda, anúncios na internet, incentivando ter um animal de raça. Em um breve levantamento feito pela ONG, segundo Igor, existem mais de 300 anúncios de filhotes de raça em Volta Redonda, em sites de vendas na internet.

Para Igor comprar um animal fomenta o comércio de criadores ilegais, espalhados na região e no Brasil, que obrigam cães a procriar apenas com o objetivo de lucro financeiro aos proprietários. As ONGs de proteção animal são totalmente contra os criadouros e o diretor explicou o porquê.

– Os animais, principalmente as fêmeas não têm descanso entre uma gestação e outra, a maioria dos animais não recebe vacinação, outro fator agravante é que os criadouros não possuem registro de autorização e não tem um veterinário a disposição do criadouro. Que também tem de ter autorização sendo registrado como canil na legislação de comércio – alertou.

Animais silvestres

O diretor Igor Reis detalhou ainda que a ONG recebe diariamente denúncias de pássaros silvestres em cativeiro, os relatos são encaminhados a Polícia Ambiental.

– Todos os dias recebemos denúncias de pássaros, principalmente de trinca-ferro. Outras aves silvestres como maritaca e filhotes da espécie, além de tucanos, também recebemos denúncia, porém são em datas sazonais – falou.

No final de semana, a PRF apreendeu aves silvestres que eram transportadas ilegalmente na Rodovia Presidente Dutra, em Itatiaia, ao realizar revista no veículo, foram encontrados 11 pássaros silvestres (Trinca-Ferro; coleirinho; Canário da terra) que eram transportados em gaiolas no porta-malas do veículo, desacompanhados de qualquer documentação ambiental para provar a posse regular dos animais. Apreensões como essa são recorrentes na rodovia.

Castração e doação em dinheiro

A SPA faz castração de cães e gatos, o procedimento é realizado às segundas-feiras e sextas por um preço mais acessível do que as clínicas convencionais. O agendamento é realizado pelo telefone (24) 99985-7023. Quem tiver interesse de ajudar a ONG pode fazer uma doação em dinheiro, de qualquer valor, através da conta Bradesco, Ag. 2806 c/c. 02317-5.

O CNPJ é 03.024.930/0001-73.

Por Franciele Bueno

[email protected] 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. o governo precisa fazer mais nessa questão. quem gera esse problema é a população.

  2. Meu pai do Céu, que estado deplorável desse pobre animal. Que coisa mais triste. Quem fez isso deve ser duramente punido

  3. A SPA trabalha incansavelmente para que casos assim sejam punidos, mas o apoio da sociedade e da prefeitura precisa ser intensificado

  4. Réchitegui revoltado

    Pena de morte para esses carrascos que maltratam animais.

  5. O trabalho da SPA é extremamente sério, realizado por pessoas que gostam de animais e que estão sempre dispostas a trabalharem em prol dos bichos. Tenho profunda admiração por essa ONG.
    Peço a quem possa que contribua com a SPA, seja através de trabalho voluntário ou doação de alimentos, ou ainda com ajuda financeira.
    Quem tiver dúvida sobre a beleza desse trabalho, visite a SPA e verá o quanto de carinho é dispensado aos animais.

    Parabéns a todos da SPA e que Deus os abençoe.

Untitled Document