segunda-feira, 24 de julho de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Stalin e a corrupção do poder

Stalin e a corrupção do poder

Matéria publicada em 17 de julho de 2017, 13:54 horas

 


Objetiva lança no Brasil a trilogia sobre o ditador soviético; Stalin era um grande admirador de Lenin e citava o líder morto com precisão

O poder corrompe, e o poder absoluto corrompe totalmente. É o que vem à mente durante a leitura da minuciosa biografia do ditador Joseph Stalin produzida pelo historiador americano Stephen Kotkin. Resultado de uma longa pesquisa o resultado é uma trilogia que acompanha a história de Stalin, desde sua infância na Rússia tzarista, até seus últimos anos como líder supremo da poderosa União Soviética.

Para os russos a figura de Stálin ainda é ambígua. Eles reconhecem que foi um ditador cruel, que mandou milhares de pessoas para a morte nos pelotões de fuzilamento e nos campos de trabalhos forçados da Sibéria. Mas também foi o líder que enfrentou a invasão do exército nazista de Hitler, com quem tinha feito, inicialmente, um pacto de não agressão.

O primeiro volume da obra de Kotkin está saindo no Brasil pela editora Objetiva. “Stálin – Paradoxos do poder” cobre a vida do futuro ditador desde seu nascimento até o ano de 1928. O segundo volume vai até os anos iniciais da Segunda Guerra Mundial, que os russos chamam de “Grande Guerra Patriótica”. O trabalho vai se encerrar com o terceiro volume, que aborda o final da guerra e o início da Guerra Fria com os Estados Unidos.

No início Stalin não era o sociopata que eliminava metodicamente seus opositores. Era um homem corajoso, que se agarrava a suas convicções e acabou esquecendo os princípios em nome do poder absoluto. Como todo homem, Stalin foi um produto de sua época e é aqui que o texto de Kotkin se revela mais interessante. Ele nunca deixa de mostrar o ambiente onde viveu o biografado, os anos difíceis do regime tzarista, a pobreza do povo que acabou levando a revolução russa e a tomada do poder pelos comunistas.

Stalin era um grande admirador de Lenin e citava o líder morto com precisão, mesmo quando discordava dele. Lenin, por sua vez, não confiava em seu admirador e recomendou, em seu testamento, que ele fosse afastado do poder.

“Stálin – Paradoxos do poder” tem 1.112 páginas com três colunas de texto cada uma e custa em torno de R$ 92. Não é a obra definitiva sobre o ditador, mas é uma das mais minuciosas.

Início: Stalin, antes do poder absoluto

Início: Stalin, antes do poder absoluto

Por Jorge Luiz Calife

jorge.calife@diariodovale.com.br

6 comentários

  1. Na realidade, usam de argumentos para se tomar o poder, seja da forma que for, como um infeliz que acusou Moro de Czar, podemos dizer que esse mesmo infeliz quer ser Stalin, afim de criar o absolutismo. Na época da ditadura do país, os trouxas iam para a rua lutar por “democracia”, entretanto esse que morreram e apanharam da ditadura eram apenas gado que lutavam por algo que não era real, na realidade desejam o poder para usurpá-lo e fizeram o uso de inocentes sobre a bandeira da tal “diretas já” e passados tanto tempo o que mudou nesse país, infelizmente nada e nosso povo está se tornando cada vez mais alienado, até quando os brasileiros desejarão ir até ao fundo do poço por apoiar essa corja política atual em que apenas gasto geram para o estado sem nada fazer para o povo. Acordem a história têm muito dizer sobre esse tal comunismo aí que é vendido por diversos partidos nesse país, se ao menos o povo estudassem um pouco mais e se aprofundassem, as coisas seriam melhores e não se venderam a migalhas, pois a única coisa que têm que se é comum nesse país é que entre os pobres, estes deverão ficar cada vez mais pobres entre eles e os ricos cada vez mais ricos entre eles, essa é a ideia do comunismo nesse país.

  2. Leitura recomendada para todos os esquerdistas em geral e admiradores do PT e do PSOL em especial, que ainda hoje acham que o socialismo é um modo viável se administrar uma economia. Outro livro excelente sobre Stálin é o “Stálin: A Corte do Cezar Vermelho”, do Simon Montefiore, que infelizmente está com tiragem esgotada no Brasil, mas pode ser encontrado facilmente em inglês para o Kindle. Stálin era um monstro, não existe outra palavra para definir o antigo líder da União Soviética. O socialismo criou os piores regimes da história da humanidade, e ver alguns imbecis defendendo o regime em pleno século XXI aqui no Brasil é a prova maior do nosso atraso intelectual e fanatismo ideológico de nossos supostos intelectuais.

    • O nome do livro é Stálin: A Corte do CZAR Vermelho”. Maldito corretor ortográfico…

    • Disse tudo Anderson, ao invés desse povo alienado ficar lendo Marx, vejam o que o ideal de Marx criou, um gângster como Stalin subiu ao poder, um líder populista, bandido, assim como um tal ex-presidenta, que até um soldado matou. Essas ideias de comunismos e suas variantes, mais popularmente hoje conhecida como “populismo” geram aberrações como exemplo mais fresco é a Venezuela, portanto, antes de se alienarem a seguir um líder que apenas joga os cordões para manipular as pessoas como marionetes, leiam e estudem afim de quebrar essas amarras e usar o pensamento crítico ao invés de ser gado de abate.

  3. Milhões de russos e todos os políticos de esquerda do Brasil como o PT, PCdoB, PSOL e PSTU adoram esse líder sanguinário que matava quem pensava diferente dele!
    Como dizia Boris Casoy: “Isto é uma vergonha!”.

  4. Todos deveriam ler sobre esta figura. Só assim passariam a entender as nuances do PODER. Do Vereador ao Presidente da República, a tentação é muito grande, embriaga e corrompe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document