>
terça-feira, 5 de julho de 2022 - 04:42 h

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / O debate sobre os OVNIs no Congresso dos EUA

O debate sobre os OVNIs no Congresso dos EUA

Matéria publicada em 9 de junho de 2022, 15:31 horas

 


Audiência pública teve a apresentação de vídeos secretos sobre objetos voadores

No dia 17 de maio passado o Congresso dos Estados Unidos realizou uma audiência pública para debater um assunto incomum. Objetos voadores não identificados. Foi a primeira vez em 50 anos que isso acontece. A última audiência desse tipo foi no século passado, durante o governo do presidente Gerald Ford. Na verdade a audiência do dia 17 de maio foi em parte pública e em parte secreta. Depois da discussão do fenômeno diante dos jornalistas, houve uma reunião secreta, de uma hora de duração, a portas fechadas. E ninguém sabe o que rolou durante essa reunião.

Mas o que foi mostrado ao público já foi muito interessante. Scott Bray, vice-diretor de inteligência naval dos EUA mostrou gravações feitas por pilotos da Marinha que estavam sendo mantidas em sigilo até agora. Uma delas mostra uma estranha esfera metálica cruzando na frente de um jato F-18. Outra mostra um triângulo luminoso se deslocando no céu, acima de um navio de guerra. Os objetos parecem não ter nenhum sistema visível de propulsão e Bray concluiu: “Não tenho nenhuma explicação sobre o que possa ser esse objeto”.

O oficial revelou que, entre os anos de 2004 e 2021 foram registradas 400 aparições de fenômenos aéreos não identificados. Em 2021 um relatório divulgado pelo Pentágono concluiu que esses “fenômenos não identificados” poderiam ser uma ameaça à segurança dos voos. Houve vários casos em que esses objetos quase colidiram com aviões militares ou comerciais.

Bray disse que não foi feita nenhuma tentativa de contato com essas aeronaves porque elas parecem não ter tripulação. Seriam um equivalente dos nossos drones. Os pilotos de dois caças F-18 da Marinha relataram o encontro com um objeto que parecia um cubo metálico dentro de uma esfera transparente.

Bray disse que o aumento do número de casos pode ser devido ao uso de relatos de civis nas análises. No século passado as pessoas tinham medo de serem ridicularizadas se informassem ter visto coisas estranhas no céu. Mas a partir do momento em que o governo dos Estados Unidos admitiu a existência do fenômeno, as pessoas se sentiram mais a vontade para contar suas experiências.

Todavia, independente dos depoimentos dos civis, foram os encontros com aeronaves militares que deixaram o Pentágono e o Congresso preocupados. Soube-se de um caso em que uma bola luminosa vermelha voou sobre uma base de mísseis nucleares. E enquanto durou a aparição os mísseis foram desativados e todos os sistemas eletrônicos da base deixaram de funcionar. Para o republicano Rick Crawford, de Arkansas trata-se de uma “falha em identificar ameaças potenciais que equivale a uma falha de inteligência que certamente queremos evitar”. Ele se referia ao temor de que esses objetos possam ser armas secretas de alguma potência estrangeira hostil, como a China ou a Rússia.

Na verdade as características do fenômeno mostram uma tecnologia que se encontra séculos além de qualquer coisa existente no mundo de hoje. As aparições de objetos aéreos não identificados começaram há mais de 75 anos, durante a Segunda Guerra Mundial. Onde essas aeronaves não identificadas eram chamadas de”foo fighters” pelos pilotos. Na década seguinte houve uma explosão de relatos feitos por pilotos civis. Falava-se em aeronaves em forma de pratos metálicos, daí o termo disco voador, que vem do inglês “flying saucer”, literalmente pires voador.

Agora os objetos tomam a forma de esferas e triângulos mas continuam enigmáticos. Como diziam nossos avós, “existe algo no céu além dos aviões de carreira.”

Esférico: O OVNI filmado por um jato F-18


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Há uma teoria de quem é rh negativo , é porque prevaleceu em seu código genético a outra origem.
    Inclusive não pode ser clonado.

  2. Cracudiano Inácio da Silva

    Te falá uma coisa: quando eu fumava um cigarrinho do capeta eu também via ovni, saci pererê, duende, presidiário honesto e por aí vai. Aí entrei pros N.A. e aí a festa acabou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document