sábado, 22 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / MAN abre plano de demissões voluntárias

MAN abre plano de demissões voluntárias

Matéria publicada em 18 de março de 2015, 21:24 horas

 


Após negociações com o Sindicato dos Metalúrgicos, segundo turno de produção está garantido até dezembro deste ano

(Foto: Arquivo)

(Foto: Arquivo)

Resende

O Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense comunicou hoje aos empregados do Consórcio Modular da MAN Latin America que as empresas do consórcio (as que fornecem peças e serviços à montadora de caminhões e ônibus e operam no mesmo parque industrial) vão abrir, a partir de amanhã, um Plano de Demissão Voluntária (PDV). Os empregados diretos da montadora não estão incluídos no plano e o segundo turno de produção está mantido até dezembro deste ano, conforme acordo assinado com o sindicato.
De acordo com o boletim distribuído aos trabalhadores, o sindicato foi procurado pelas empresas para discutir medidas provenientes da necessidade de ajuste no ritmo de produção.
“No encontro, a montadora apresentou uma situação pior do que foi apresentada em dezembro de 2014, dizendo que seriam necessários novos ajustes na fábrica de Resende, porém, sem quebrar o acordo já assumido com a entidade sindical”, afirma o sindicato.
Os trabalhadores que quiserem aderir ao PDV vão receber, além das verbas normais de rescisão de contrato de trabalho, o equivalente a 60% do salário para cada ano trabalhado, sendo que o valor mínimo será de R$ 5 mil, independente do tempo de registro em carteira do empregado. Haverá também a opção por receber mais cinco meses de plano de saúde, ao custo de R$ 1 mil, descontados do valor do PDV.

A situação

A MAN Latin America emplacou 15.029 caminhões no ano passado, em queda de 2,4% na comparação com os 15.392 de 2013. Em janeiro deste ano, foram 2.270, contra 2.847: uma redução de 20,3%. No segmento de caminhões a produção de 16,2 mil unidades no primeiro bimestre de 2015 significa redução de 43,9% sobre as 29,0 mil de igual período de 2014. Apenas em fevereiro foram fabricados 7,8 mil caminhões, baixa de 48,7% contra fevereiro do ano passado e de 7,8% sobre janeiro.
No licenciamento a queda é de 50,3% no comparativo dos meses de fevereiro deste ano e do anterior – 5,2 mil unidades versus 10,4 mil – e de 32,5% ante as 7,7 mil do primeiro mês de 2015. O desempenho acumulado deste ano está 39,4% menor: 12,9 mil unidades contra 21,2 mil licenciadas em 2014.
As exportações seguem a tendência de baixa, apesar de fevereiro ter registrado alta de 22,2% em relação a janeiro: a comparação dos dois primeiros meses de 2015 e de 2014 mostra que as 2,6 mil unidades deste ano estão 11,1% abaixo das 2,9 mil do ano passado. No caso do segmento de ônibus, há estabilidade ao se comparar as 733 unidades exportadas nos dois meses transcorridos deste ano com as 746 do primeiro bimestre de 2014.
Já no licenciamento as 1,5 mil unidades de fevereiro estão em queda tanto com relação as 1,9 mil de janeiro quanto com as 2,8 mil de fevereiro do ano passado – 18,5% e 44,5% respectivamente. O acumulado do bimestre de 2015, com 3,4 mil, está 24,2% mais baixo do que as 4,5 mil dos primeiros dois meses de 2014.
A produção de chassis apresentou aumento de 15,5% de janeiro para fevereiro – 2,5 mil no primeiro mês contra 2,9 mil no segundo –, mas queda de 23,5% na comparação dos meses de fevereiro deste ano e do anterior. Com o resultado, o acumulado aponta redução de 13,4% entre 2015 e 2014: 5,4 mil contra 6,2 mil.
Foto: Arquivo
Opcional: Consórcio Modular oferece benefícios a quer quiser ser demitido


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document